Um plano simples para construir patrimônio

Muitos educadores financeiros ensinando como investir, mas todos repetindo as fórmulas tradicionais. Renda fixa, fundos imobiliários, ações, dólar. Alguns falando da necessidade de investir no exterior para fugir do risco Brasil. Uns falam bem do ouro, outros dizem que não serve para nada. E você? Paralisado.

Em um país onde a maioria absoluta das pessoas não tem nenhum real guardado e os poucos que possuem alguma reserva utilizam a poupança, é irreal pensar em um salto tão grande. Ao mesmo tempo, alguma coisa precisa ser feita. Estou aqui para te ajudar.

Quando o boleto não é o vilão.

Muitos fazem associação negativa aos boletos. Boleto serve para pagar contas, serve para gastar dinheiro. Serva para pagar aquilo que você acaba de comprar no Mercado Livre e não se sentiu seguro de colocar seu cartão de crédito. Não precisa ser assim.

Movido a boletos.

Ao mesmo tempo, tem aquelas pessoas que dizem aos quatro ventos que só conseguem comprar as coisas se tiverem um boleto para pagar, porque se dependessem de guardar dinheiro regularmente para os objetos mais caros, nunca os teriam. Tenho muitos amigos que vivem desta maneira.

Vou te contar um segredo. Os boletos podem ser usados para pagar primeiro a você mesmo. Vou te contar a história de 19 anos do investimento mensal que mudou completamente minha vida.

Nos últimos 19 anos sempre tive alguns boletos mensais sendo pagos para mim mesmo. São os consórcios de imóveis que comecei a adquirir em 2002. Na época gastava meu dinheiro comprando computadores, palmtops, máquinas fotográficas. Trabalhava com isso, mas era uma desculpa, gastava mais do que o necessário. Fiz meu primeiro consórcio pensando em guardar dinheiro para, quem sabe, alguma hora conseguir investir em um imóvel. Uma salinha comercial para minha empresa, talvez.

Foi o início de uma relação saudável com os boletos. Cada mês em que eles chegavam, lembrava que estava guardando para mim mesmo antes de pagar as outras contas. Era uma sensação boa saber estar cuidando de mim mesmo e do meu futuro.

Com o tempo, o bolo ia aumentando. A parte “que já tinha pago” dos consórcios somava um valor cada vez maior. Via que o tempo e a regularidade traziam resultados. E a medida em que ganhava mais com meu trabalho, sempre que possível aumentava um pouco mais o valor mensal que pagava a mim mesmo, adquirindo mais uma carta de consórcio.

Quem me conhece a mais tempo sabe que aprendi a lucrar com as contemplações das cartas de consórcio, vendendo-as com lucro quando contemplava cedo. Poucos sabem que esse não foi meu objetivo inicial, foi apenas um bônus que aproveitei muito bem. O lucro na venda dessas cartas se tornou tão relevante para meus resultados que passei a refinar o investimento, a estudar os detalhes. Falei com amigos mais inteligentes que eu. Validaram minhas ideias. Investiram da mesma maneira. Lucraram com esse investimento.

Abri uma empresa e passei a vender consórcios para quem desejasse investir como eu mesmo estava fazendo. Era um hobby, continuava com minha empresa de internet. O tempo passou e o negócio cresceu a ponto de eu ter que escolher que rumo seguir. E quem venceu foram os consórcios. Ajudava muito mais pessoas com isso do que com meu trabalho na área de tecnologia.

Investimento maduro.

Hoje, quase 20 anos desde que comecei, com a vida feita, bem casado e pai de duas crianças maravilhosas, com centenas de clientes que melhoraram suas vidas com o investimento através dos consórcios, começo uma nova etapa. Uma etapa em que nada muda no que já vinha fazendo antes, mas onde muda a forma como isso será divulgado. Já ajudei muitas pessoas que estavam procurando por uma maneira de mudar suas vidas para melhor. Agora chegou a hora de ajudar àquelas que ainda não se deram conta de que podem melhorar suas vidas com uma estratégia simples de pagar a si mesmas primeiro. E para isso, conto com você.

Divulgue esta mensagem com um amigo que você acredite que possa se beneficiar deste tipo de investimento regular, seguro e automático. Eu te agradeço antecipadamente por isso, mas quem mais irá te agradecer é o amigo beneficiado por esta mensagem.

Hoje é feriado. E aqui estou, trabalhando.

Escrevo mais um texto para o Instagram, para meu site, para você. Não faço por obrigação, mas por servidão. Apesar de estar há quatro meses escrevendo aqui diariamente, essa questão da regularidade é mais um exercício para mim. O importante é viver, aprender, e ter algo de útil para transmitir. E se apenas uma pessoa ler, se apenas uma pessoa aprender algo, se apenas uma pessoa se sentir valorizada por algo que falei ou escrevi, terá valido a pena. Espero que seja o caso hoje.

Queria falar que é feriado, mas que esse fato pouco ou nada muda na minha vida. Desenhei ela para ser assim. Um feriado mais complica do que ajuda no meu caso, pois alguma coisa que pudesse precisar pode estar fechada e as vezes eu nem saber.

A realidade do meu trabalho torna todos os dias potenciais feriados, no sentido de não ter ponto a bater, não ter horário rígido. Posso me dar ao luxo de passear com meu filho no meio da manhã, acompanhar a aula online da filha durante a tarde. Não quer dizer que não trabalhe tanto ou mais do que quem tem a rigidez dos horários, veja só, é feriado e estou aqui trabalhando. Pode ser noite, e eu trabalhando. Fim de semana? Trabalhando. Posso estar fazendo as compras do supermercado (sempre com lista) e estar atendendo algum cliente ao telefone, trabalhando.

O ponto é: planejei o tipo de vida que desejava e busquei as alternativas que me permitissem chegar a este estilo de vida. E você, está satisfeito com a vida que a vida te deu? E se não estiver, o que está fazendo para mudar essa situação?

Porque a grande verdade é que a vida nos dá apenas o que exigimos dela. Ao mesmo tempo, pagamos o preço das escolhas que fazemos.

Você faz suas escolhas e paga o preço delas, ou ainda está pagando o preço de seguir o fluxo que a sociedade lhe atribuiu seguir?

Sua vida é como você escolheu? Se não é, o que você fará hoje para começar a mudar isso?

Aprendendo com a experiência dos outros

O maior aprendizado que podemos ter é com nossas próprias experiências. A dor nos ajuda a lembrar do que passamos e a não cometer os mesmos erros. Apesar disso, usar o atalho de aprender com a experiência dos outros pode nos economizar muito tempo e muito dinheiro.

Abaixo, os cinco livros que acredito possam ser os mais importantes para quem deseja entender os fundamentos do mundo do dinheiro.

Basta clicar na imagem da capa para ir direto à página de venda na Amazon.

Porque estou aqui?

Sou um cara privilegiado. Posso ver meus filhos crescendo bem de perto, junto deles 24/7. Isso é ainda mais concreto neste período em que até as aulas são online. Ao mesmo tempo, não sou um cara completamente fora da curva. Não sou um gênio, não possuo talentos excepcionais. Sou só um cara normal, que fez escolhas diferentes das escolhas da maioria. E essas escolhas me permitiram atingir os objetivos que sempre busquei.

Estou aqui para mostrar que é possível. Que precisa da decisão de fazer escolhas coerentes com o que você deseja. Publico tudo por aqui e no meu site pessoal para que mais e mais gente possa saber que há caminhos diferentes da corrida dos ratos, mas que exigem o direcionamento do pensamento para apreciar o belo nas coisas do cotidiano. Não quer dizer que sejam caminhos mais fáceis. Andar por caminhos pouco percorridos implica em seus próprios desafios.

As vezes perguntam se não gosto de carros esportivos. Gosto. Se pudesse escolher qualquer um hoje, acho que teria uma Land Rover daquelas grandonas, que cabem toda a casa dentro. Poderia comprar uma, mas do que abriria mão por isso? Porque a verdade é que não preciso de um caminhão desses. Seria um luxo pouco prático, de ter por ter, já que viajamos pouco e só uso o carro atualmente para ir até o supermercado. Então é importante separar o que são nossas necessidades do que são nossos desejos. E escolher bem quais colocar em prática.

Dizem que não gosto de ostentar. Não concordo com isso. Ostento demais até. Ostento o que me é mais importante. Ostento o fato de poder trabalhar em casa. Ostento a liberdade de tempo para estar com minha família. Antes das aulas regulares ostentava as viagens que fazíamos.

Já pensou no que deseja para sua vida? Já desenhou um caminho para conseguir chegar lá? Minha vida não foi sempre assim, já trabalhei de sol a sol virando noites até conseguir o que queria. Fiquei anos sem tirar férias. Montei diversos negócios até encontrar a fórmula que funcionava. Desenhei o que queria para minha vida e corri atrás de maneiras de fazer funcionar.

E se puder te ajudar, vai ser um prazer.

Aumente sua capacidade de ganhar mais

Dizem que “não importa tanto o quanto você ganha, mas sim o quanto gasta e quanto sobra no final para investir.”

MENTIRA!!!

O jeito mais fácil de juntar um caminhão de dinheiro não é encontrando investimentos mágicos que façam suas merrecas crescerem. O jeito mais fácil de juntar um caminhão de dinheiro é GANHAR um caminhão de dinheiro com seu trabalho ou seus negócios.

Quanto mais ganha, mais fácil é fazer sobrar para destinar ao seu patrimônio e seus investimentos. Mais fácil é economizar e fazer seus investimentos atingirem um valor relevante a ponto de sustentar seu padrão de vida apenas com os rendimentos.

Em vez de pesquisar por um investimento que renda pouco mais do que você já conhece, use este tempo para aprender algo novo que te permita ganhar mais com seu próprio trabalho.

Imagine ter R$ 10.000 ou R$ 100.000 aplicados em renda fixa. Rende pouco mais de 2% ao ano, depois dos impostos.

Pesquisando, você descobre um CDB fantástico de um banco pequeno, que paga 120% do CDI, ou seja, 20% a mais que seu fundo de renda fixa.

Quanto rende a mais esses tais de 120% do CDI? E eu respondo, aproximadamente 0,4% a mais ao ano. Ou seja, para R$ 10.000 investidos, com risco muito maior de perder tudo, você ganhará R$ 40 a mais no ano! Mesmo que você tenha um valor maior, R$ 100.000 investidos, você ganhará apenas R$ 400 a mais para correr mais riscos.

Em vez de buscar um retorno miserável a mais em seus investimentos, não seria mais fácil dar um jeito de ganhar mais? No caso de uma reserva de R$ 100.000, estamos falando de pouco mais de R$ 30 mensais. Será que se tornando um profissional mais qualificado você não consegue um aumento bem mais considerável que isso? E volto a lembrar, esse valor ridículo implica em você ter os tais R$ 100.000 investidos.

Pare de procurar investimentos milagrosos e se dedique a aprender as coisas que lhe permitam crescer profissionalmente e ganhar mais com seu trabalho, e assim, poder investir mais. Seu futuro agradece.

Trabalhe para ganhar dinheiro

Trabalhar para ganhar dinheiro é o básico. Todos temos alguma capacidade de ganhar dinheiro. Algumas pessoas ganham mais, outras ganham menos, mas todos temos habilidades suficientes para ganhar alguma coisa. O que precisamos focar neste tópico é sobre a importância de estar continuamente aprendendo coisas novas que permitam aumentar nossa capacidade de ganhar. Naturalmente é mais fácil de enriquecer se ganharmos mais.

Mas devemos lembrar que a independência financeira significa viver no nosso padrão de vida atual sem precisar trabalhar. Isso torna possível que qualquer pessoa atinja a sua independência financeira pessoal. Cada um sabe o quanto precisa ganhar para estar satisfeito.

Então o estudo constante é a forma que devemos utilizar, não para simplesmente ganhar mais, mas para permitir o aumento do nosso padrão de vida. Só podemos gastar mais, possuir mais conforto, se ganharmos mais. E consequentemente, ao ganharmos mais, podemos economizar mais e assim, atingir mais rapidamente nossa independência financeira.

Além de estar constantemente nos aperfeiçoando, precisamos ficar atentos às oportunidades. Estas podem aparecer como uma promoção, como um curso, uma oferta de emprego em outra empresa ou até mesmo em outra cidade ou país. Temos que estar atentos e analisar todas as alternativas que a vida nos apresenta. São nossas decisões que decidem onde vamos chegar.

Outra coisa que pode facilitar bastante nossa caminhada é nos beneficiar da experiência de um mentor. Este pode ser um chefe, um colega de trabalho, um amigo que já tenha conquistado o que desejamos. Estes são mentores reais, pessoas que conhecemos e que podem nos indicar o caminho das pedras, que podem nos apresentar para outras pessoas e nos ajudar a abrir portas. Mas podemos também nos beneficiar de mentores virtuais ou imaginários, autores de livros que admiramos ou mesmo seus personagens. Quantas pessoas não saíram planejando adquirir diversos imóveis depois de terem lido o livro Pai Rico, Pai Pobre? Quem não pensou na possibilidade de abrir sua própria empresa depois de ter lido O Segredo de Luisa?

Revolução da internet

Chega a ser engraçado ver as pessoas falando hoje em dia da internet como algo comum, que faz parte do dia a dia de todos. Se torna ainda mais interessante quando falam de como a internet está revolucionando o comércio, permitindo as compras online, facilitando a vida no meio desta confusão todas pela qual estamos passando, permitindo a comunicação e proximidade com a família, mesmo que através de uma tela.

O que hoje é comum para você, o mundo em que você nasceu, dependendo da sua idade, não existia 25 anos atrás. Eu estava lá, não apenas quando tudo estava começando, mas mais, estava lá com pás e picaretas ajudando a cavar as fundações, a colocar as bases iniciais e os tijolos que começariam a levantar essa tal de internet.

Não é que eu me lembre de como era o mundo antes da internet. Isso muitas pessoas da minha idade ou mais ainda lembram. O que eu lembro, mesmo, é como essas pessoas viam o mundo antes da internet, e desdenhavam de quem, como eu, estava construindo “essa coisa que não serve para nada”, a não ser perder tempo, ficar de bate papo com desconhecidos, baixar fotinhos borradas ou com poucas cores, fazer esses barulhos estranhos e ocupar o único telefone da casa por horas e horas sem fim.

Um pouco disso tudo se transporta para a questão do trabalho remoto. Há mais de 12 anos trabalho exclusivamente em casa. E as pessoas ao redor, mesmo as mais próximas, não entendiam como fazia isso. Agora entendem. A necessidade se impôs. As dificuldades pelas quais estão passando, já as vivi, já as resolvi. Há vários livros que tratam do tema, com sugestões como acordar e se vestir como se fosse sair para trabalhar fora, até a de fazer uma ida virtual ao trabalho, dando uma volta na quadra antes de começar a trabalhar em casa, por exemplo. Ter um espaço separado, privado, dentro de casa também ajuda. Um quartinho, ou um canto exclusivo pelo menos.

Tirando a parte problemática do momento, estamos vivendo no mundo que sempre sonhei, no mundo que ajudei a construir. É legal ver as coisas em que sempre acreditamos se tornar parte do dia a dia de todas as outras pessoas.

O trabalho não tem horário.

Consigo entender sutilmente a necessidade de horários fixos para algumas coisas. Saber que das 10h às 16h podemos ir ao banco que encontraremos as portas abertas. Saber que a padaria abre antes da nossa necessidade do pão quentinho. Só não entendo o apego excessivo das pessoas em tentar colocar horário em tudo.

Ontem escrevi que domingos para mim são como outro dia qualquer. Não que eu não descanse no domingo, faço, nem que seja porque algumas coisas estão fechadas mesmo e não teria como fazer diferente. Não posso levar um filme para revelar, agendar uma consulta médica ou coisas desse tipo num domingo.

Os horários, para mim, funcionam como os domingos. Não há problema em estar trabalhando às 3h da madrugada em um dia que esteja com insônia. Ok, pode ter esse tipo de problema hoje, com filhos pequenos e a situação de que se não tentar voltar a dormir o dia seguinte poderá se tornar um grande arrasto, mas fora isso, não haveria problema.

Tenho a sorte (que eu plantei lá atrás) de poder trabalhar de onde quiser. E mais, de poder trabalhar quando quiser. Se não estou a fim de fazer alguma coisa hoje pela manhã, dificilmente isso gerará grandes problemas futuros. Só terei que fazer um pouco depois. Claro que as vezes a realidade atropela os horários e a vontade.

Quando tinha meus servidores de internet, as vezes um problema causava a parada do serviço de diversos clientes. Aí, o trabalho não ter horário significava justamente que tinha que trabalhar, ‘no matter what’. Incêndio tem que ser apagado na hora.

Com os consórcios os incêndios são bem menos frequentes. As decisões são mais lentas, mais bem pensadas. Esperar um dia para responder um email pode ajudar a cristalizar melhor uma ideia e evitar um erro.

Mesmo assim, as vezes há urgência. Não responder é largar o cliente para o concorrente que respondeu mais rápido.

Então “o trabalho não tem horário” pode trazer a liberdade de passear tranquilamente todas as manhãs com o filhote. Porém, pode trazer também a necessidade de “largar tudo para resolver isso agora”.

Como é sua rotina, seu trabalho?

Domingo

Escorregador na entrada da casa, temos.

Domingo para mim sempre foi um dia como outro qualquer. Talvez por ter tido a sorte (ou ter feito essa boa escolha) de sempre ter trabalhado com o que gosto, nunca “precisei” de um dia para “descansar”.

É engraçado para mim ver as pessoas falando sobre este desafio que o planeta está passando e de como o trabalho em casa tornou todos os dias iguais, porque faz pelo menos 12 anos que vivo exatamente esta rotina. Por escolha própria.

As vezes tenho alguns inconvenientes, como ter uma boa ideia para discutir com alguém e me lembrar que nem todos vivem como eu vivo. Me seguro, anoto a ideia e deixo para ligar na segunda-feira. Tem dias em que a pessoa com quem quero tratar do assunto tem uma vida parecida, então domingo vale como dia comum.

Só não pense que porque não dou ênfase no “dia de descanso”, que não tenho meus domingos. Pelo contrário, tenho sete domingos por semana.

Quando acabo de tomar meu café da manhã e os filhos já estão alimentados, não importa o dia da semana, é meu domingo de passear na rua com os filhos. As vezes só vai um, as vezes só vai outra, mas diariamente tenho esse longo intervalo com eles. Meu domingo é intercalado na semana inteira.

Quando à tarde as tarefas diminuem por já terem sido resolvidas mais cedo, começa meu domingo. Se neste momento não dá para ir em uma pracinha, que seja então dentro de casa.

Quando em uma quarta-feira o dia está quente, é piscina com as crianças. Se o trabalho chegar enquanto isso, uns minutos não farão diferença relevante, e se diferença fizerem, com o celular mesmo já resolvo a questão debaixo do sol mesmo.

Então hoje é domingo, e aqui estou escrevendo enquanto as crianças acabam seu café da manhã. Não é porque não me faça diferença que eu não tenho domingos, mas porque trabalhei para tornar isso possível que tenho, não só domingos hoje, como também todos os mini-domingos durante a semana.

Os consórcios me proporcionaram isso, primeiro como meu investimento pessoal, depois, com a internet que eu ajudei a começar no Brasil, como vendedor.

Bom domingo para você.

Arrume sua cama todas as manhãs.

Não vou me estender muito neste título. O objetivo disto, além de ter o quarto arrumado é começar o dia com uma pequena vitória. Não importa o que surja de dificuldade, você já começou o dia vencedor.

O hábito de escrever estes textos aqui todas as manhãs tem um pouco disto. Todo dia, quando preparo meu café e sento aqui para escrever, tenho a emoção de ter realizado uma das tarefas importantes do dia. Sim, é uma tarefa importante produzir conteúdo regular aqui, mesmo que não diretamente ligado à venda de consórcios, porque pessoas compram de pessoas. Tento não apenas ajudar com reflexões em meus textos, mas principalmente, tento mostrar um pouco de quem sou e do que penso. Quero que você queira comprar de mim, antes do produto ou serviço em si. Minha intenção é termos uma relação duradoura, então é importante haver certo alinhamento de ideias.

Entretanto, há uma pequena armadilha nisso. Já caí nela. As vezes, por ter concluído uma tarefa importante (arrumar a cama não conta), tenho a impressão de que o dia já está ganho. E não é assim que funciona. Há outras coisas bem importantes para se fazer a cada dia. Como para cada armadilha há um desarme, assim que me dei conta disto já providenciei a escapatória. Faço no dia anterior uma lista com as três tarefas mais importantes do dia seguinte que tenho que executar. Isso já basta para me manter na linha. Fico com a sensação boa de ter começado bem o dia e ainda com a direção de para onde seguir.

Outra coisa que temos que cuidar é a frustração de não ter feito algo. Para isso, sempre há um novo dia, nem sempre conseguimos ser superprodutivos. Já aconteceu de não conseguir escrever pela manhã, e quando isso acontece, como me estabeleci um desafio, tento me lembrar ao longo do dia de concluir a tarefa. Um dia apenas aconteceu de ter concluído as 23h45. Cumpri meu compromisso comigo mesmo, mas se não tivesse, não seria o fim do mundo.

Seja gentil com você mesmo. Lembre-se sempre disso.