Diversificação

Em 11 de setembro de 2001 aprendi minha primeira lição sobre diversificação. Uns dias depois, na verdade.

Quem me lê a mais tempo sabe que no início dos meus investimentos perdi tudo que tinha investido na bolsa. Já contei essa história antes. No meio da tragédia das Torres Gêmeas e do horror que tudo aquilo representou, as bolsas despencaram com as dúvidas sobre o que aquilo traria de consequência para o mundo.

Naquela época investia em meu campo de conhecimento, sem olhar muito para outros setores. Minhas posições estavam concentradas em apenas três empresas, todas do mesmo setor de telecomunicações. Tinha Embratel, Globo Cabo e CRT apenas. Não poderia estar mais concentrado, nem estar no setor mais errado no meio do que aconteceu. Minha carteira perdeu 95% do valor em apenas três dias.

Claro, tragédias dessa magnitude não podem ser previstas antes de acontecerem, mas aí é justamente onde entra a importância da diversificação, ela nos protege justamente daqueles problemas que não conseguimos prever. Se eu tivesse a diversificação que tenho hoje, financeiramente o impacto teria sido absolutamente menor.

O Corona virus causou impacto semelhante em alguns setores da economia mundial. Imaginem se minha área de conhecimento fosse o setor de viagens e entretenimento, e se só investisse em empresas desse ramo, o tamanho do buraco em que teria caído. Ou se vivesse de imóveis de aluguel por temporada, imóveis de férias? Mesmo setores tradicionais e resilientes como este, podem sofrer consequências péssimas que, antes de uma epidemia de proporção mundial, jamais seria prevista.

Para minha sorte, perder tudo que tinha em um momento em que estava começando, onde ainda não tinha tanto assim, acabou sendo uma excelente lição que me protegeria em diversas ocasiões posteriores. Crise do subprime? Joesley Day? Greve dos caminhoneiros? Passaram batido, um soluço no grande esquema das coisas.

Como a todos, o Corona virus pegou meus investimentos de surpresa. Só não foi uma tragédia completa graças aos anos de aprendizado sobre a importância da diversificação. Enquanto algumas posições caíram bastante, outras subiram em proporção semelhante. No equilíbrio das coisas, e contando também com um pouco de sorte de ter feito certos negócios “na hora certa”, acabei ficando no zero a zero.

Se você teve o azar de ter sido atingido em cheio com as consequências da pandemia nas suas economias, deixo minha mensagem de alento, de que as coisas vão melhorar. O mais importante, porém, é estudar como estavam seus investimentos em março, e porque foram tão atingidos, para corrigir o rumo e proteger sua carteira das crises futuras, que certamente virão, não sabemos nem quando, nem de onde.

Termino com preces voltadas a todos que perderam suas vidas na tragédia imensa que foi a queda das Torres Gêmeas, e a todos que estão sofrendo as consequências atuais, não apenas as financeiras, da pandemia que assola nosso planeta no momento. Fiquem bem.

Empreendedorismo e as crises inesperadas

Há três anos, escrevi um texto onde explicava como ganhar dinheiro com o aluguel de imóveis, mesmo sem possuir um imóvel para alugar. Hoje, escrevo retomando aquele texto para explicar um erro primário que muitos que aplicaram aquela idéia cometeram, e hoje estão beirando a falência por conta deste erro.

É bom explicar que as pessoas que erraram brutalmente não seguiram minha idéia. Nem me conhecem. Apenas tiveram elas próprias essa idéia, mais ou menos na mesma época. E mais, não estamos falando de uma ou duas pessoas que tenham cometido esse erro, mas de gente suficiente para o assunto se tornar matéria no Wall Street Journal.

A idéia era simples: alugar um imóvel, colocando no contrato a possibilidade de sub-locação. Negociar um valor mais em conta por conta de um contrato de longo prazo. Decorar o imóvel de maneira a torná-lo aconchegante e completo para alugar por temporada, e listá-lo no AirBNB ou serviços semelhantes para lucrar com a diferença entre o valor do aluguel tradicional e o da locação por temporada.

Uma alternativa, para quem tivesse a possibilidade, seria adquirir os imóveis através de financiamento, e ir usando os lucros para pagar o saldo devedor, podendo ainda ir encadeando isso em novos imóveis a medida em que os aluguéis fossem aumentando a renda e com isso pudessem iniciar novos financiamentos.

Apesar de simples, muitas pessoas que montaram para si este tipo de negócio, algumas inclusive tendo feito isso com várias propriedades, cometeram um erro primário no mundo dos negócios.

Qual é o erro mais comum de se cometer no mundo dos negócios?

O erro mais comum nas pequenas empresas, para quem monta seu primeiro negócio, é misturar o fluxo financeiro dos negócios com suas finanças pessoais. Quanto mais a empresa fatura, mais a pessoa gasta em sua vida pessoal. Pessoa e empresa são uma coisa só. EUpresa, como costumo chamar.

Não há nada de errado em montar um negócio pessoal, uma empresa onde você seja o faz-tudo e todo dinheiro retorne para você próprio, mas as contas da pessoa física e da empresa precisam ser distintas. E os planos e previsões de um e outro também. Desta forma, as despesas da empresa devem ser bem avaliadas e contingências estimadas.

As pessoas que hoje estão pedindo falência por terem sua renda de locação por temporada indo a zero durante a crise do Corona Vírus, são justamente as que não fizeram, nos bons tempos em que o negócio estava faturando bem, uma reserva financeira suficiente para cobrir alguns meses em que eventualmente pudessem haver problemas. E problemas sempre acontecem, seja uma crise como a que estamos passando, seja algo mais simples, mas igualmente caro para se resolver, como um encanamento que precise ser trocado por conta de vazamento, ou até mesmo um incêndio, para os que nem seguro contra isso fazem.

É triste de ver esse tipo de coisa acontecer com empreendedores bem intencionados, principalmente por ser tão simples de evitar se tivessem pensado um pouco mais nos detalhes do negócio, em vez de simplesmente pensarem em quanto poderiam ganhar e, assim que o dinheiro começou a jorrar, passaram a pensar somente em todas as coisas nas quais poderiam gastar o dinheiro. Um planejamento mínimo e uma pequena reserva para garantir alguns poucos meses de pagamento dos aluguéis e condomínio caso ficassem sem entradas de dinheiro por um tempo já seria o suficiente para manter o negócio andando, ou ao menos dar tempo de tomarem alguma iniciativa para evitar a falência.

Então termino perguntando: se você tem uma pequena empresa, você estava preparado para conseguir contornar esta crise? Se não estava preparado, o que precisaria ter feito? Mesmo estando no meio do furacão, é bom pensar neste tipo de coisa agora, pois tudo que começa, um dia acaba, e da próxima vez, quem sabe, você estará melhor calçado para enfrentar os desafios.

Lembre-se sempre que o tombo é o melhor professor, mas temos que aprender a lição para não repetir. E melhor do que ter que aprender deste jeito, é fazer o exercício na cabeça antes de se jogar nos negócios. Pense sempre antes de começar: qual a pior coisa que poderia acontecer? Qual a situação em que eu teria que fechar meu negócio se acontecesse? Em que cenários eu teria um prejuízo enorme? Com as questões mapeadas, desenhe as possíveis saídas de cada crise que você antecipou. E lance seu navio ao mar. Saiba sempre onde você quer chegar, mas também em quais as saídas possíveis se o destino não puder ser alcançado.

Empreender é tudo de bom, faça com o cuidado que seu futuro merece.

PS: para os que perguntaram, desde que lancei a idéia no site, tive algumas pessoas me indagando sobre isso ao longo dos últimos três anos. Para todas, minha resposta sempre envolvia a pergunta de como manter o negócio se houvesse qualquer tipo de problema em manter o negócio funcionando. Minha preocupação não era com algo como o Corona Virus, não tinha como antecipar isso, mas sim com algo mais trivial como uma doença qualquer que inviabilizasse o trabalho necessário para manter o andamento do negócio. Sempre sugeri, por exemplo, a inclusão de alguma forma de saída do aluguel de longa duração, seja por meio de multa de alguns meses de pagamento extra para antecipar a entrega do imóvel, no caso da locação de longo prazo, seja via a entrega/venda do imóvel no caso de ter adquirido através de financiamento.

PS2: conheço muitas pessoas que fizeram o mesmo tipo de negócio com a locação de veículos para utilizar como Uber e não “gastar” seu próprio carro, ou ainda que compraram vários carros financiados e sublocavam elas próprias para pagar as prestações do mesmo. Vale o mesmo, qual sua estratégia de saída?

Renda de 6% a 12% ao ano, em dólar

Com a última decisão do COPOM de baixar a taxa de juros para apenas 5,5% ao ano, entramos definitivamente em uma nova realidade no mercado brasileiro de investimentos.

Neste momento, bons imóveis de aluguel se tornam uma opção muito melhor do que a renda fixa, no sentido de que nestes, além de recebermos a renda mensal recorrente, podemos contar também com a valorização dos imóveis e a consequente manutenção do poder de compra dos valores recebidos mensalmente.

Sempre se pode argumentar que imóveis são piores do ponto de vista de liquidez, que não conseguimos vendê-los de uma hora para outra, e que as vezes, dependendo do mercado, podemos não conseguir vender pelos valores que desejamos. Tudo isso tem que ser levado em conta, mas em nenhum momento deveríamos pensar em imóveis como uma reserva de liquidez. Imóveis são essenciais em um plano sólido de formação de patrimônio e geração de renda, mas devem ser acompanhados de suficiente reserva de segurança com liquidez, justamente para não precisarmos vender em uma emergência financeira qualquer.

Ainda em relação à liquidez, imóveis são investimentos que tendem a render mais simplesmente porque não fazemos com eles o giro que costuma acompanhar investimentos mais líquidos, evitando assim pagar impostos sobre os lucros que acabam comendo boa parte da rentabilidade total ao longo dos anos. Há uma máxima no mercado que diz que uma das maiores habilidades dos grandes investidores é a de não girar tanto suas carteiras de investimento.

Partindo para a prática…

Aqui no Brasil há excelentes oportunidades de imóveis para locação, seja a locação tradicional, com um inquilino que permaneça no seu imóvel por muitos anos, seja com a locação por temporada, como eu já descrevi em uma excelente oportunidade que descobri em Gramado, na serra gaúcha.

Hoje, no entanto, gostaria de abordar outro assunto: o investimento em imóveis de locação no exterior, para obter renda mensal em dólares.

O mercado americano é extremamente diverso, e esta diversidade nos permite encontrar algumas pepitas que, bem lapidadas, podem nos enriquecer de forma consistente ao longo dos anos. Vou tratar desta estratégia nos próximos parágrafos, e também discorrer sobre outras idéias criativas relacionadas ao investimento em imóveis nos Estados Unidos.

Para quem deseja se aprofundar no assunto, a primeira indicação que tenho é o Seminário Sobre Aquisição de Imóveis de Aluguel nos Estados Unidos que acontecerá em Houston, TX, nos próximos dias 2 e 3 de dezembro de 2019. Este seminário conta com a participação de um time de profissionais do mercado americano abrangendo advogados, corretores, contadores, empresários e investidores, todos focados na formação de um time de consultoria que em conjunto, permite um investimento muito mais seguro e lucrativo.

Quem desejar participar do Seminário pode se inscrever diretamente na página abaixo:

http://tejasbrazil.com

Os participantes que informarem ter sido indicados por mim participarão ainda de um encontro exclusivo, com uma palestra que ministrarei para estes convidados.

O preço do seminário é simbólico, frente ao valor de se conhecer pessoalmente alguns dos profissionais mais qualificados que atuam no mercado de Houston. Somente a rede de contatos formada neste evento, com certeza poderá fazer toda a diferença nos resultados obtidos. Os organizadores do evento investem pessoalmente desta maneira e utilizam este grupo de profissionais como consultores em seus investimentos imobiliários, obtendo um resultado de 6% a 12% de rentabilidade anual, em dólares, com o aluguel de seus imóveis.

Continuidade…

Vejo este investimento como uma excelente maneira de formar patrimônio, criar uma nova fonte de renda em moeda forte, protegida dos altos e baixos da economia brasileira, e planejar renda para o futuro. A ênfase no futuro se dá por um motivo bastante simples: ao iniciar este investimento com a compra de um imóvel para locação nos Estados Unidos, minha sugestão seria a de receber estes aluguéis em dólar e manter o valor nos Estados Unidos, investindo ao longo do tempo de maneira a ir utilizando tais valores como entrada na compra de novos imóveis que farão a bola de neve crescer de maneira consistente ao longo dos anos.

No final do processo, você tem uma série de imóveis que geram renda suficiente para viver em qualquer lugar do mundo que desejar, por receber seus aluguéis em moeda forte.

Para quem não tem a intenção de formar uma carteira internacional de imóveis de locação, ainda assim a compra de pelo menos um imóvel destes nos Estados Unidos pode representar uma excelente oportunidade… É o que chamo pessoalmente de:

PLANO ANUAL INFINITO DE FÉRIAS

Imagine o seguinte: você investe um valor na compra de um imóvel de locação nos Estados Unidos. Depois disso, você passa a receber um aluguel mensal que permite que todos os anos você faça uma viagem internacional para onde quiser, pagando tudo diretamente de sua conta corrente norte-americana com os dólares recebidos ao longo do ano anterior.

As possibilidades são infinitas. O que mais você imagina que poderia realizar com uma renda mensal em dólares?

Minha sugestão: se inscreva no seminário, estude o assunto, conheça pessoalmente a região sugerida para iniciar seus investimentos nos Estados Unidos. O investimento é baixo, e com certeza lhe fará pensar em oportunidades de investimento que hoje não fazem parte do que você acredita ser possível. Você investirá um valor ínfimo frente ao aprendizado prático que uma viagem como esta proporcionará ao seu crescimento como investidor. E certamente este aprendizado, mesmo se não utilizado diretamente no investimento em imóveis descrito neste artigo, lhe proporcionará oportunidades de lucros em muitas outras frentes.

O mundo é dos que buscam o crescimento. Vamos caminhar juntos.

Há 17 anos adquiri meu primeiro consórcio imobiliário

Consórcios, 17 anos depois…

Chega até a ser engraçado, mas já se passaram 17 anos desde que adquiri minha primeira carta de consórcio, lá atrás, em 2002 e 14 anos que abri a Megacombo, minha empresa criada para divulgar o consórcio de imóveis como ferramenta de investimento.

Lendo a página de como nasceu a Megacombo, relembrei como comecei, com a aquisição de cartas de R$ 25.000, a menor que tinha disponível na época, equivalente hoje à carta de R$ 70.000.

É engraçado lembrar de tudo isso, porque apesar de eu continuar ajudando muitas pessoas a iniciar seus investimentos desde o princípio, começando com uma ou duas cartinhas de pequeno valor como eu comecei, ao mesmo tempo tenho ensinado este investimento à pessoas que possuem muito mais patrimônio do que eu.

O investimento em consórcios me proporcionou um crescimento exponencial nestes 17 anos. Se hoje eu possuo imóveis, ações e fundos de investimento, tudo isso é resultado daquele pequeno valor mensal que comecei investindo nos consórcios lá em 2002.

Ao mesmo tempo em que meu patrimônio foi crescendo, o perfil dos investidores que fui auxiliando também foi aumentando. Hoje atendo desde quem adquire uma cartinha de R$ 70.000, até quem faz planos de R$ 4 milhões ou mais, para adquirir imóveis de forma alavancada, ou investir na construção.

Atribuo isso a uma questão de identificação pessoal. Quem tem pouco dinheiro para investir costuma ter dificuldade para imaginar uma vida muitas vezes mais abundante do que sua situação atual. Ao ver o caminho que percorri desde o início, fica mais fácil ver onde dá para chegar.

Já quem tem patrimônio igual ou maior que o meu, sabe das dificuldades que passou até atingir este ponto, sabe o quanto é difícil fazer o dinheiro crescer com investimentos. Geralmente dedicaram muitas horas de trabalho para cada real investido. Esses se identificam com a perspectiva de fazer o que conquistaram crescer a uma velocidade maior do que vêm conseguindo fazer com seus investimentos atuais.

Então, se tu acreditas que eu possa te ajudar a começar teus investimentos, ou se está no ponto onde eu possa te ajudar a fazer eles renderem mais do que vem rendendo atualmente, estou aqui, à disposição, com a melhor orientação para sua situação particular.

Desde que comecei com os consórcios há 17 anos, ainda não encontrei investimento melhor e mais completo para quem tem valores mensais para investir. Vem comigo, que desenhamos um plano perfeito para ti.

Se deseja saber mais, leia os artigos do site Investimento em Consórcio, ou simplesmente entre em contato.

Imóvel inteligente é aquele que coloca dinheiro no seu bolso

Compre um imóvel em Gramado investindo apenas metade do valor do mesmo, usufrua da melhor cidade turística do Brasil e ganhe dinheiro todos os meses para sua aposentadoria.

Agora em maio conheci um pessoal sensacional que trabalha com locação por temporada. Cuidam de todos os aspectos do negócio, desde a colocação dos anúncios em vários sites deste tipo, como Booking.com e AirBNB, entre outros, até a recepção dos hóspedes e limpeza e manutenção das unidades. Cuidam principalmente da gestão das opiniões dos hóspedes sobre sua experiência com a locação, ponto essencial para um negócio deste tipo.

Estão em Gramado, RS, a cidade mais bem cotada como destino turístico no Brasil. Não há baixa temporada em Gramado, quando as pessoas não vão para ver neve ou para as comemorações de Natal, vão para o Festival de Cinema ou para eventos empresariais que costumam ocorrer na cidade.

Um dos aspectos legais do negócio, além da experiência e da seriedade das pessoas envolvidas, é que a empresa que gerencia tudo isso tem como um dos sócios uma construtora forte da região. E esta construtora constrói, principalmente, prédios já voltados para esta operação, ou seja, com as características necessárias para otimizar e facilitar este tipo de negócio. Isso vai desde a entrada com fechaduras digitais, até detalhes como chuveiros com aquecimento duplo, a gás e elétrico, como redundância caso haja problema com um sistema ou outro.

Fui conhecer o negócio pessoalmente e me hospedei por lá, curtindo toda a experiência. Tenho que repetir novamente isso, pois fui com meus sócios e parceiros comerciais. Da próxima vez repito a experiência com a família, que adora visitar Gramado.

Meu propósito lá era conhecer e entender o negócio para ajudar a formatar uma forma de aquisição das unidades através dos consórcios imobiliários, de maneira a tornar a compra ainda melhor do que seria a simples aquisição das mesmas a vista ou financiadas. Este objetivo foi plenamente alcançado depois de algumas reuniões e simulações, e hoje, com duas unidades já vendidas e testadas através deste método, venho à público explicar como fazer essa compra pagando pouco mais da metade do valor do imóvel, usufruindo do mesmo quando desejado (afinal, ele é seu), e ganhando uma renda extra para aposentadoria com a locação do mesmo quando você não está na cidade, de forma totalmente automática e sem necessidade de sua presença por lá.

O processo é relativamente simples de explicar. Vou fazer duas versões, uma simplificada, em que apenas discorro sobre como tornar isso possível, e uma mais completa, onde explico os detalhes do processo.

Versão simples:

Você compra uma unidade pagando 10% de entrada e em paralelo adquire consórcios que serão contemplados com lances equivalentes a 40% do saldo do imóvel. Você paga uma ou duas prestações iniciais destes consórcios que podem levar o valor inicial total a pouco mais de 50% do valor total do imóvel, e depois disso os rendimentos da locação do mesmo por temporada já pagarão as prestações restantes do consórcio. Depois de quitado o consórcio, é renda líquida, melhor do que CDI em relação ao valor do imóvel, e muito melhor ainda se levado em conta o valor efetivamente pago com recursos próprios.

Versão mais explicadinha:

Os lances em um plano de consórcio costumam ficar acima de 65% do valor do crédito, próximos dos 70%, inclusive. O que fazemos neste caso é buscar grupos que possuem como característica a possibilidade de lance embutido de até 50% do valor do crédito. Nestes grupos, adquirimos cartas que somadas completem o dobro do valor do crédito necessário (o dobro do saldo devedor do imóvel depois de paga a entrada para aquisição do mesmo). Com isso, supondo um lance de 70% do crédito, como embutiremos 50% do próprio crédito, sobrariam 20% a serem pagos com capital próprio. Como esses 20% se referem ao crédito em dobro que adquirimos, na prática temos então o pagamento de 40% do crédito que realmente vamos utilizar na compra do imóvel.

Sim, concordo que o parágrafo acima ficou um pouco complicado de entender, mas foi o melhor que consegui. Vou ver se em breve gravo um video mostrando isso de maneira mais gráfica. No final, basta saber que funciona, já fiz a venda de duas unidades desta maneira, com a contemplação das cotas e tudo mais.

Então concluindo a explicação: pagamos 10% de entrada para a construtora, adquirimos um consórcio no dobro do valor do saldo devedor, pagando uma prestação inicialmente maior por conta disso, ofertamos um lance de aproximadamente 70% deste crédito, 50% do próprio crédito e 20% com recursos próprios, diluindo todo esse valor nas prestações restantes (e assim diminuindo drasticamente o valor mensal destas). O consórcio contemplado então quita o imóvel, restando para nós as prestações do mesmo, que serão, em grande parte no início, e em sua totalidade depois do segundo ano, pagas com os rendimentos mensais da locação por temporada do seu imóvel em Gramado.

Extrapolando para outros negócios…

Claro que esta estratégia pode ser usada para aquisição de qualquer outro imóvel. O que estes oferecem a mais em particular é a questão da gestão das locações por temporada e o fato de já termos a parceria firmada e em andamento com a construtora, o que torna toda a questão contratual mais simples. Agora, se você tem uma construtora e deseja implantar um plano semelhante para venda de seus imóveis, vamos conversar, que vai ser um prazer ajudar nisso.

E se você deseja usufruir da cidade mais charmosa do Brasil, mande uma mensagem, email, sinal de fumaça, que vai ser um prazer ajudar na realização do seu sonho.

Estou aqui pra te ajudar a investir bem, lucrar muito e formar patrimônio sólido ao longo do tempo. Vem comigo.

Quite seu financiamento com um consórcio, e economize mais de 50% nos juros que você deixará de pagar

É possível fazer um consórcio para quitar teu financiamento, e isto implica em pagar muito menos juros do que seriam pagos mantendo tal financiamento. É um excelente negócio, é simples de implementar, mas exige certos cuidados na escolha da melhor forma de implementar isso para teu caso específico.

Há duas formas de fazer esta substituição de dívida:

1. Tendo um bom capital para ofertar um lance: se consegues algo entre 30% a 40% do valor do crédito que precisas, podes contemplar uma ou mais cartas de consórcio que componham o valor do financiamento que tens, para quitá-lo. Fazendo isso, ficarás com uma prestação semelhante à que pagas no financiamento, mas em um prazo muito menor, as vezes até mesmo metade ou menos do que o prazo que tens no financiamento atual.

2. Conseguindo pagar simultaneamente o financiamento e o consórcio por um bom tempo: se não tens o capital necessário para um lance de contemplação, podes ir pagando desta forma, “em dobro”, até ser contemplado no consórcio. Pode demorar um pouco, mas por mais que demore, os prazos do consórcio são muito menores do que os de um financiamento com prestação semelhante. Ao ser sorteado, usas o consórcio para quitar o financiamento (e eventuais sobras do crédito para antecipar prestações do consórcio) e ao fazer isso, cortas o financiamento bem antes do prazo total que terias, ficando apenas com um saldo remanescente bem mais curto do consórcio para pagar.

Ambas alternativas tendem a te economizar metade ou mais do que pagarias em juros no financiamento, então vale a pena o estudo da viabilidade delas frente a tua realidade pessoal, visto que em cada uma delas é necessário um esforço extra, seja em possuir a reserva necessária para um lance, seja para conseguir pagar duas prestações simultâneas (financiamento e consórcio) até ser contemplado pelo sorteio.

Me conta um pouco mais sobre tuas possibilidades, que vai ser um prazer ajudar com um plano sob medida para tua situação específica.

Lucro de R$ 154.000 em um ano e meio, com investimento de R$ 37.000. Como???

O Rafael Jantsch, que me entrevistou recentemente em seu canal do Youtube, tem feito alguns videos citando meus investimentos passados, coisas que ele leu em meus sites, e idéias e técnicas diferentes que eventualmente eu tenha usado em meus investimentos. No video abaixo, ele fala de um caso específico que relato neste artigo, de um investimento onde, com R$ 37.000, obtive R$ 154.000 de lucro no final de uma série de negócios encadeados.

O segredo? Consórcio imobiliário, conhecimento financeiro, criatividade e seriedade nas negociações, parceiros sérios, e trabalho duro.

Esta é a Rede Rica! Uma curadoria de conteúdo feita para facilitar sua vida ao apresentar os melhores textos e videos para seu desenvolvimento pessoal e financeiro.

Os ótimos lucros ocorrem à portas fechadas

Todos buscamos o maior lucro possível para nossos investimentos, ao mesmo tempo em que tentamos minimizar ao máximo os riscos de nossas aplicações, mas sabemos também da validade daquele velho ditado: “quem não arrisca, não petisca.”

Como resolver esta equação? Onde estão os maiores lucros? Como minimizar nossos riscos? Como participar dos negócios que possuem potencial de lucrar o dobro ou mais do que investimentos tradicionais, se não para todo nosso dinheiro, ao menos para uma parte que aceita o desaforo do risco?

O primeiro segredo está justamente descrito na frase acima, arriscar apenas uma pequena parte do seu dinheiro, deixando o restante investido de maneira mais conservadora. Um tiro errado não causará grandes problemas, mas basta um tiro certo para multiplicar os lucros de forma significativa.

A segunda parte é descobrir onde estão os bons negócios. E nisto, só há um segredo, andar com as pessoas certas. Não teria sido ótimo participar da criação do Google, da Amazon, da Senior Solution, para pegar uma das nossas? Não seria interessante ter participação naquele terreno com excelente localização antes de uma grande construtura se interessar por ele para seu novo prédio?

Estou escrevendo isso agora, porque ontem uma pessoa me ligou. Um construtor. Constrói pequenos prédios de ótima categoria em bairros caros da cidade. E pensando em ampliar seus empreendimentos e construir prédios maiores, me procurou buscando investidores interessados em participar dos lucros. Não estamos falando de 1% do CDI, nem de 1,5%, mas do dobro ou mais, com prazo de investimento de dois anos. Há riscos? Claro que sim, o mercado imobiliário pode travar ou até despencar, mas e aquela coisa do “quem não arrisca não petisca?” Você está pronto para arriscar?

Só para citar mais de um, além desse empreendimento citado acima, estou envolvido com um grande loteamento no litoral de SC. Oportunidade de compra de terrenos muito abaixo do valor que deveriam ter, por conta de pequenos inconvenientes que minha participação no negócio visa solucionar.

Todos os dias surgem oportunidades desse tipo na minha mesa. Nem todas são interessantes, nem todas cabem nas minhas habilidades, mas com certeza há alguma em que você poderia se encaixar e lucrar. Meu trabalho é estar de olhos e ouvidos atentos. E simplificar, explicar, e orientar.

Se você procura uma boa oportunidade de onde investir, certamente podemos conversar.

A porta está aberta. Seja bem vindo.

Adquira seu imóvel rapidamente através dos consórcios. Plano Imóvel Rápido. Por TEMPO LIMITADO.

Se você sempre pensou em adquirir um imóvel rapidamente (em pouco mais de um ano) e ao mesmo tempo queria usar o consórcio para isso, sua chance parece ter aparecido.

Antes de mais nada, deixa avisar: este plano é único e as vagas são limitadas a 180 cotas. Quando acabar, acabou, então se os detalhes abaixo lhe interessarem, aja enquanto há tempo.

A Rodobens acaba de lançar um plano exclusivo, que só pode ser adquirido mediante reserva prévia, limitado a duas cotas por CPF. Eu sou um dos representantes que pode solicitar essas pré-reservas, então se o resto do texto lhe interessar, já sabe com quem falar.

O que este plano tem de tão bom?

Este é um plano específico para quem deseja contemplar sua cota relativamente rápido, porém com um lance relativamente baixo. Neste plano só há lances fixos, e a medida em que o plano avança, a quantidade de parcelas do lance fixo vai diminuindo. Além disso, quem contempla por sorteio, se compromete a antecipar uma quantidade específica de prestações, aumentando com isso o saldo do grupo e permitindo mais entregas pelo lance fixo. Os lances fixos só começam a ser contemplados depois do primeiro ano do grupo.

O resultado de toda essa matemática de lances e antecipações é que o saldo vai compondo ao longo dos primeiros meses, e a partir da décima segunda assembléia, quem ofertar o lance fixo de 60 parcelas deve ser contemplado naquele mês. Nos meses seguintes, o lance fixo vai diminuindo em uma parcela por mês, de forma que todos que forem contemplados nesta modalidade de lance o farão com uma quantidade total de 72 prestações pagas.

Os detalhes podem ser vistos no Termo de Aditamento do grupo.

Detalhes do grupo:

Este grupo é de exatos 180 meses, com 180 participantes (180 cotas), não podendo optar por pagamento em prazos diferentes. Podem, entretanto, ser antecipadas parcelas, contando estas antecipações como parte de eventual lance vencedor.

Todas as cotas são de R$ 200.000.

Podem ser adquiridas apenas duas cotas por CPF.

As prestações são de R$ 1.575,87, corrigidas anualmente pelo INCC, com a primeira correção no décimo quarto mês. A tabela do Plano Imóvel Rápido traz os detalhes.

Para adquirir, entre em contato, indicando seu interesse no Plano Imóvel Rápido. Como estas cotas só podem ser adquiridas mediante reserva, preciso solicitar as mesmas antecipadamente e então lhe envio as orientações de como fazer a aquisição diretamente na página de vendas.