Pague a você primeiro

Guardar para si não significa gastar o que guardou para comprar o que deseja. É fazer esse dinheiro trabalhar a seu favor. Essa pequena diferença mensal entre o que você ganha e o que você gasta para viver irá formar a base da sua independência financeira.

Os resultados obtidos com a aplicação deste dinheiro também devem ser utilizados com este mesmo objetivo. Se você investe em um título de renda fixa que pague juros regulares, esses juros devem ser reinvestidos, não gastos. Se você compra ações, os dividendos devem ser reinvestidos na aquisição de mais ações ou outros investimentos.

Reinvista seus lucros.

O segredo deste passo é fazer seu dinheiro crescer e manter ele crescendo com o percentual mensal que você continua pagando a si mesmo, mas também com os rendimentos que esse dinheiro conseguir gerar ao longo do caminho.

Estude onde investir seu dinheiro.

Conheça a si mesmo. Existem investimentos adequados a diferentes perfis de pessoas. Saiba se você tolera o risco, aguenta o sobe e desce dos seus investimentos, ou prefere paz e tranquilidade e escolha o investimento mais adequado ao seu perfil. Quem não suporta ver seu dinheiro desvalorizar e corre para trocá-lo de investimento quando há uma queda não deve investir na bolsa ou em fundos de ações até entender que esse investimento pode render bem mais que um fundo de renda fixa, mas pode também desvalorizar muito de um mês para outro, recuperando, por exemplo, três meses depois.

O problema é que não há bala de prata, não existe investimento que renda sempre positivo, que renda bastante, que seja totalmente seguro. Temos que equilibrar nossa carteira de investimentos em diferentes classes de ativos, ou seja, investir um pouco em cada tipo de investimento, de maneira a equilibrar nossas expectativas com o sobe e desce de uns e outros ao longo do tempo, tentando, na média, obter resultados positivos no conjunto dos investimentos.

No investimento em que aplico a maior parte dos meus ganhos, o resultado não aparece mês a mês. Invisto em consórcios imobiliários, pagando as parcelas mês a mês e aguardo a contemplação pelo sorteio para então lucrar. Meu lucro vem na venda da carta contemplada com lucro, ou com a compra alavancada de um imóvel, onde o aluguel pagará o restante do consórcio. Como é um investimento em que não há quedas ao longo do caminho, não preciso nem mesmo ficar olhando “quanto tenho”, até que a carta contemple pelo sorteio. De toda forma, mantenho uma planilha com a soma dos valores pagos nas diversas cartas que possuo, vendo todos os meses o capital crescendo.

Meça os resultados.

Um investimento precisa ser medido para sabermos se estamos obtendo o melhor crescimento possível de acordo com nosso perfil de risco. Essa medição pode ser mensal ou anual. Fundos de renda fixa podem ser acompanhados mês a mês e sempre veremos o dinheiro crescendo um pouquinho. Fundos de ações podem sofrer oscilações bruscas mês a mês, mas podemos acompanhar a evolução anual destes fundos e ficar tranquilos ao ver que apesar das oscilações, anualmente geralmente temos cada vez mais dinheiro. Nos consórcios, podemos ficar diversos meses só transferindo nosso dinheiro para o pagamento de cartas que não mudam de valor. Então começamos a contemplar e fazer o dinheiro girar e os lucros começam a ser vistos mensalmente aumentando o bolo total.

O importante é que não estou dizendo que todos devemos nos tornar investidores profissionais em tempo integral. Apenas precisamos saber o mínimo sobre o local onde estamos aplicando nosso futuro. Como já escrevi antes, o quanto conseguimos ganhar e guardar regularmente é o que fará a diferença real nos nossos resultados.

Uma dica prática de investimento:

Se você não quer pensar muito, diversifique investindo em dois ou três ótimos fundos multimercado, com baixas taxas de administração e com o gestor alinhado com o investidor, ou seja, prefira uma taxa fixa pequena e uma taxa de performance razoável, pois assim o gestor terá que efetivamente gerar mais lucros se quiser ganhar mais.

Não precisa estudar ações, não precisa saber como funcionam as taxas de juros, não precisa ficar grudado na tela do computador acompanhando o mercado. Deixe isso para os profissionais. Escolha bons fundos multimercado e espere o tempo necessário, fazendo aportes regulares nestes fundos de investimento. Pague uns meses para receber o relatório de fundos de investimento de uma casa de análise e leia com atenção. Normalmente uns poucos meses é o que basta para você aprender o necessário para conhecer um pouco destes fundos.

Com o tempo, e com o capital investido nestes fundos se tornando já considerável, comece a destinar seus aportes mensais para um ou dois fundos de ações escolhidos a dedo. Não busque o que possui a maior rentabilidade no ano anterior ou nos últimos meses, mas sim, que possui a melhor rentabilidade em uma janela de tempo de pelo menos cinco anos. Fundos de ações são voláteis, as teses de investimento de seus gestores podem levar alguns anos para se tornarem realidade, afinal, investem em negócios que obedecem ciclos de mercado mais longos. Um ótimo resultado de curto prazo pode esconder riscos maiores do que os necessários. Os relatórios das casas de análise citadas acima também cobrem estes fundos, então você já estará familiarizado com eles quando chegar a hora.

Autor: Fabricio S. Peruzzo

Papai investidor, marido, polímata, empreendedor, curioso. Tranquilidade financeira é qualidade de vida.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s