A distância entre o que conseguimos fazer e nosso bom gosto

Nossa família e amigos. Isabella, fevereiro 2021.

As vezes o bom gosto pode nos prejudicar. Conhecer belas artes, saber o que significa tocar bem um instrumento, reconhecer no apresentador a habilidade de comunicação, a clareza da fala. Tudo isso pode parecer bom, pois nos ajuda a separar quem já é bom dos que são péssimos, e é natural que queiramos usar nosso tempo apenas para o melhor. Então como poderia ser ruim ter bom gosto?

O problema se encontra quando quem precisa crescer somos nós. Ter bom gosto significa, inequivocamente, sabermos o quão ruim somos naquilo. Aprender a tocar guitarra ou piano. Aprender a pintar. Aparecer bem no video do YouTube ou Instagram. Sabemos quem é bom nisso. E sabemos que somos ruins. E a distância as vezes é tão grande que pensamos ser intransponível.

A verdade é que todo mundo já foi iniciante um dia. E a mente do iniciante é a melhor ferramenta que existe para darmos os passos necessários. Estudar, preparar, treinar e fazer. E fazer. E fazer. E fazer até pensar em desistir, de tão ruim que lhe parece, comparado com aqueles que você conhece que já fazem bem. E continuar fazendo. E notar que continua ruim, mas um ruim um pouco menos pior do que o ruim do início. Um ruim que, se sua vida dependesse daquilo, você encararia de frente e faria mesmo sabendo que não ficaria tão bom quanto seu bom gosto desejaria.

E sua vida depende disso. Sua vida depende de você fazer tudo aquilo que você não é bom em fazer, mas pode se tornar menos ruim simplesmente fazendo. Dia a dia. Todos os dias. Tenho um amigo que gravou um video por dia no YouTube ao longo de um ano inteiro. Dava pena de ver, tão ruim que eram os primeiros videos. Eu gravava meus próprios videos esporadicamente, quando realmente necessário. Ruins para meu gosto, mas bem melhor do que os desse amigo. Sabe como estão hoje os videos dele? Pois é, nem se comparam com os meus, estão muito melhores.

Quer ficar bom em algo? Vai lá e faz. E faz. E faz. Mesmo sabendo que vai ficar ruim no início. Uma hora melhora.

Autor: Fabricio S. Peruzzo

Papai investidor, marido, polímata, empreendedor, curioso. Tranquilidade financeira é qualidade de vida.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s