Madrid

Madrid é uma cidade linda, de temperatura agradável no outono (meio de outubro), com pessoas bonitas circulando pelas ruas, lojas diversas, preços interessantíssimos, enfim, poderia morar aqui.

Lojas e valores das coisas

Descrição da Ingue: “Se soubesse que as roupas eram tão baratas aqui teria vindo sem nada na mala!”

Minha impressão: “Como é barato comer bem, fora do circuito turístico.” E também: “Quanto artigo eletrônico legal a preços bem em conta.”

Basicamente as coisas eletrônicas custam mais aqui do que nos USA. Já as roupas custam no máximo o mesmo que no Brasil e na maior parte do tempo bem menos, todas com muito mais variedade e qualidade em relação ao valor pago. Viajar para Europa entrando por Madrid é receita certa de viagem sem precisar trazer malas. Levando em conta que Madrid é uma das portas de entrada mais em conta para quem vem do Brasil, planeje sua viagem já pensando em renovar o armário.

Comida

Comer na rua em Madrid é muito fácil, basta entrar em uma das centenas de cafeterias ou bares ou restaurantes que abundam em todas as ruas. Não dá para andar uma quadra sem encontrar um lugar para comer algo.

Churros com chocolateMinhas sugestões vão para os churros com chocolate da foto ao lado, caros em comparação com outras opções mas baratos se levar em conta que estávamos em frente do Palácio Real, com fome, com internet grátis e precisando muito conectar para resolver um problema urgente trabalhando remotamente.

Não estando na situação específica descrita acima, não há coisa melhor e mais barata do que um Bocadillo de Jamon, uma baguete com o presunto espanhol que não pode ser chamado de presunto para não dar chance de comparação com o que chamamos de presunto no Brasil. Não há jeito, se não vier a Espanha, só indo em alguma loga de artigos importados para conseguir saber o que é. E mesmo assim, faltará o pão, que também não é o mesmo e dá o complemento perfeito. Vindo aqui, faça como os locais, tempere seu pão com o mais puro azeite de oliva e seu lanche estará completo. Um euro. Um euro. Guarde bem este valor, porque no resto da Europa não se come barato assim.

Trânsito

Tome muito cuidado em Madrid. As ruas são todas de paralelepípedo, sem grande distinção entre rua e calçada. Morando em Porto Alegre, onde as ruas deste tipo costumam ser apenas para pedestres, o risco de ser atropelado é grande. Outra coisa complicada é que as ruas parecem ir para um lado e vão por outro, os cruzamentos são em curva ou com várias ruas chegando juntas no mesmo lugar, uma loucura de acompanhar.

As quadras são cheias de ruazinhas estreitas e todas tortas, com pequenas ruelas cruzando umas as outras em todas as direções. Se você mora em uma cidade planejada, com quadras retinhas, todas quadradinhas, Madrid é um choque. Nas ruas principais, a indicação do nome delas está nos prédios das esquinas, em placas de azulejo pintadas. Nas que não tem, paciência, caminhe mais uma quadra e torça para encontrar uma que tenha.

As praças

Madrid tem centenas de praças. Praça, para eles, normalmente é um pedaço de chão coberto de granito com uma estátua no meio ou em uma das pontas. Algumas possuem uma fonte no meio e poucas possuem alguma vegetação. A praça mais conhecida, Plaza Mayor, é um pedaço enorme desses, cercado por um prédio retangular enorme, com uma estátua no meio. Ao redor, cafés e lojinhas vendendo bugigangas para os turistas.

Há praças como as que conhecemos, com caminhos para circular no meio, flores e árvores, mas aposto que se fizerem um levantamento estas não serão nem 5% do que eles chamam de praça.

Visitar, conhecer uma praça em Madrid, não é literalmente “ver” a praça, mas sim sentir ela pulsando, viver o momento, sentar para um café com os amigos e ver as crianças correndo e os turistas japoneses fotografando. Sim, porque há turistas japoneses em todos os cantos, normalmente com máquinas fotográficas enormes e lentes maiores ainda.

Os museus

Não sei o que falar dos museus de Madrid. São muitos, são enormes, possuem obras fantásticas. Tudo isso é lugar comum. Dedique ao menos um dia de sua viagem a conhecer os três principais: Museo del Prado, Thissen-Bornemisza e Reina Sofia. Todos os períodos da arte estão cobertos por estes três. Para ver com calma, um dia inteiro para cada um…

Ver as crianças de cinco ou seis anos tendo aulas de arte diante de quadros de Miró, Renoir, El Greco, Picasso… é de chorar. As professoras perguntando o que elas vêem, as crianças respondendo e sugerindo porque as coisas eram pintadas desta ou de outra forma, enfim, uma aula de arte como esta deveria ser, não aquelas aulas que gostávamos de matar porque eram sempre a mesma coisa de pintar papel ou fazer esculturinha de argila para dar de presente para mamãe. Tudo bem, entendo que não temos acesso a essas pinturas em todo o lugar e sei que não deve ser fácil assim em cidades do interior espanhol, mas saber que é possível ter aulas assim dá uma vontade imensa de proporcionar isso aos filhos.

A noite

Madrid vive de noite. Tudo abre as 9h ou as 10h, a maior parte fecha das 14h as 17h quando então reabrem até as 22h. Lojas e mais lojas nas ruas, todas abertas, todas cheias de gente comprando, circulando, olhando e sendo olhada. As ruas são seguras e nas principais, iluminadas.

Visitar Madrid e ficar no hotel a noite é não visitar Madrid.

Era isso que tinha para dizer de Madrid por enquanto. Como primeira parada na Europa a impressão foi excelente. Poderia morar aqui. As fotos estão neste álbum.

Em breve, Barcelona…

Europa

Como alguns já sabem, desde o dia 11 de outubro estou em viagem pela Europa com minha esposa, pela primeira vez. Nestes 10 dias que estamos aqui já deu para ver muita coisa, observar pessoas, comportamentos e situações que não veríamos em nosso país. Espero conseguir passar um pouco do que é isso tudo para quem ainda não conhece e ajudar aos que já conheceram a relembrar tudo o que viram aqui.

As fotos estão sendo publicadas quase que diariamente em meus álbuns no Flickr.

A chegada

Começo pela chegada porque  nove horas e meia dentro de um avião não são algo que possamos descrever de maneira muito positiva. Assisti dois filmes, dormi o resto do tempo.

Chegar em Madrid foi de uma tranquilidade imensa. Já tinha os detalhes de como sair do aeroporto e ir até a cidade então foi só seguir as instruções passo a passo, não sem antes passar no balcão de informações para pegar um mapa e pedir mais detalhes de onde pegaríamos o metrô. As trocas de linha para chegar ao hotel foram simples, o metrô em Madrid é muito bem sinalizado, tudo faz sentido, tudo é lógico e simples. Falando em lógico e simples, uma informação útil que até agora tem sido válida também na França: as setas para baixo nas placas indicam “siga em frente”, ao contrário do Brasil onde seriam setas para cima.

DSCF0060

Ajudou o fato de termos passaporte europeu, evitamos uma longa fila, preenchimento de formulários, necessidade de seguro-saúde (que tinhamos, cortesia do cartão de crédito), revista nas malas, enfim, se tiver, use.

Em breve, impressões de Madrid…