A música “GURI” e a educação financeira

Na 13ª Califórnia da Canção Nativa, em Uruguaiana (RS), a música “GURI” foi a vencedora, na voz de César Passarinho.

Para quem gostar, outra versão, do Galpão Crioulo de 1984…

“DAS ROUPAS VELHAS DO PAI, QUERIA QUE A MÃE FIZESSE”.
“UMA MALA DE GARUPA, E UMA BOMBACHA E ME DESSE”.

Veja que lição de vida nos traz o GURI. Sua guaiaca não dispunha de recursos, mas já pensava em investimentos.

“HEI DE TER UMA TABOADA”.
E MEU LIVRO “QUERES LER”
VOU APRENDER A FAZER CONTAS
E “ALGUM BILHETE ESCREVER”

Mas, Bah Tchê! O GURI sabia da necessidade desta Educação para sua Existência.

A Educação Financeira precisa fazer parte de nossa cultura. O conhecimento do assunto dinheiro, o valor que ele representa no dia-a-dia. A hora de ganhar e gastar; poupar e investir deveria constar do currículo escolar desde o ensino fundamental.

“QUERIA BOINAS E ALPARGATAS E UM CACHORRO COMPANHEIRO”.
“PRA ME AJUDAR A BOTAR AS VACAS NO MEU PETIÇO SOGUEIRO”

O GURI pode estar querendo dizer que precisava de um orçamento fiel, para cuidar do patrimônio pessoal e da família. O orçamento pessoal e familiar é uma questão de hábito. Simples de fazer. Primeiro separe um pouquinho para a poupança, depois anote despesas e recebimentos, e controle para que os gastos não ultrapassem o limite de ganhos. Os investimentos virão a seu tempo, no acumulo de poupança e reservas financeiras.

“BOTAS FEITIO DO ALEGRETE, ESPORAS DO IBIROCAI”.
BOINAS VERMELHAS E GUAIACA
“COMPRADAS LÁ NO URUGUAI”

A la fresca, gaudério! Será que teremos importações e novos investimentos, por aí? À medida que se tem conhecimento dos entreveros financeiros da vida, poderemos pedir:

“QUERO GAITA DE OITO BAIXOS
PRA VER O RONCO QUE SAÍ”

—–
Gilberto Silva
Economista de Finanças Pessoais
Cel. (51) 9724-7752 – Porto Alegre – RS

Autor: Fabricio S. Peruzzo

Pai, marido, polímata, empreendedor serial, curioso.

Uma consideração sobre “A música “GURI” e a educação financeira”

Os comentários estão encerrados.