Sucesso se constrói com trabalho diário


O texto a seguir é a transcrição da história conforme me contou um amigo analista do mercado acionário, de 62 anos de idade.

Esta semana tive uma longa conversa telefônica com um jovem que mora em minha cidade natal. Ele tem 30 anos e é um escritor muito talentoso. Aspira ser famoso, apesar de hoje ser um humilde escritor para o jornal da associação comercial de uma pequena cidade que não vem ao caso citar. Ele me telefona diversas vezes ao dia contando como é grande a vontade dele em ser famoso e ganhar muito mais dinheiro.

Quando ele me ligou no celular estes dias, perguntei o que havia feito no final de semana. “Joguei futebol com os amigos da faculdade, nadei no clube e depois saí com os amigos para tomar chopp num barzinho novo que abriu por aqui”, falou. “Isso, no sábado. Domingo, dei uma volta na beira da lagoa, assisti ao jogo de futebol e no final da tarde fui ao cinema”.

Ele perguntou o que fiz no meu fim de semana. “Bom, você tem 30 anos e eu 62”, respondi. “Então no sábado pesquisei sobre alguns detalhes dos fundos multimercados oferecidos pelo banco onde tenho algumas aplicações. Já hoje, trabalhei bastante na escrita de um artigo comparando as rentabilidades obtidas em três fundos de ações, analisando as características dos gestores de cada um dos fundos. Mais tarde dei uma olhada nas demosntrações de resultados das empresas varejistas para tentar saber como seus papéis devem se comportar nos próximos meses”.

“Puxa”, ele disse. “Gostaria de poder fazer esse tipo de coisa”.

A verdade dói

Nesta hora eu já estava sem paciência. “Veja bem, você quer ser um escritor famoso. Ninguém o conhece com excessão de meia dúzia de amigos e leitores do jornalzinho da associação comercial da tua cidade. Apesar disso, você é um bom escritor, tem talento. Porque você não escreve um pequeno artigo novo todos os dias? Sobre qualquer assunto que lhe vier à cabeça. Então tenta publicá-lo. Jogue-o contra a parede. Se um em cada três for publicado, em um ano você será bem conhecido e em cinco anos será uma estrela em ascensão”.

“Mas eu não tenho tantas idéias”, ele respondeu.

“Autores iniciantes precisam ter um estoque infinito de idéias. Então arranje idéias ou abandone esta carreira”.

“Eu não quero escrever qualquer lixo”, ele disse.

“Então não escreva qualquer lixo”, retruquei.

“Não quero ter apenas artigos frívolos”, ele completou.

Fiquei em silência durante um tempo, então lhe contei as novidades: “você não nasceu para a fama e o sucesso. Você está arranjando desculpas ao invés de trabalhar. Você está tomando chopp ao invés de escrever”.

Continuei, “as pessoas que se destacam neste campo trabalham o tempo todo. Trabalham nos fins de semana. Trabalham todas as noites. Trabalham nos feriados. Têm fome de trabalho e trabalham como demônios”.

“Você não gosta de mim”, ele respondeu. “Não me sinto bem, tenho que desligar”.

Esforço é igual a sucesso

Ele desligou, mas continuando minha caminhada, tive uma revelação súbita. Conheço várias pessoas de muito sucesso – em finanças, no governo, na política, no jornalismo, na literatura.

O denominador comum em todas essas pessoas é um pequeno talento e capacidade e um desejo – não apenas a vontade, mas um desejo ardente – de trabalhar como Troianos para chegar na frente. Não conheço nenhum homem ou mulher realmente famoso ou com sucesso que não trabalhe insamente para chegar ou permanecer no topo. (Não conto herdeiros e herdeiras como sendo pessoas de sucesso, desculpe, Paris Hilton).

Por favor não me entenda mal. Fama e dinheiro não garantem a felicidade. É perfeitamente possível ser famoso e infeliz, assim como é possível ser feliz e desconhecido. Principalmente, garanto a você que apesar do dinheiro ser algo fantástico, por sí só não garante a felicidade ou a paz de espírito.

Mas para quem quer ser rico e famoso (ou rico ou famoso), não há como conseguir isto semo trabalho constante, diário. O ideal é a pessoa amar tanto seu trabalho a ponto de não considerar isto um empecilho, mas sim uma benção, algo que a completa e trás sentido a sua vida.

Quanto a mim, que não ouso me apresentar como grande exemplo, fico louco em uma semana se não tiver algum trabalho a fazer. Teria pouco senso de valor ou até mesmo de quem sou se ficasse sem trabalhar.

Trabalhe (amanhã)

Esse amigo sabe das coisas. E o que ele descreveu pode ser visto todos os dias. Temos milhares de exemplos. A Madonna ensaia várias horas por dia, faz musculação, dança, corre, canta, todos os dias. Warren Buffet analisa empresas todos os dias, estuda o mercado sempre, sem parar. Para ter um sucesso estrondoso, seu trabalho tem que se tornar sua vida.

Se você se sente bem ou encontra sua alegria e propósito na vida assistindo filmes e seriados ou brincando na piscina e tomando cerveja com os amigos, bom para você. Mas não espere ser rico ou famoso.

Não há nada errado em ver sua vida de forma separada do seu trabalho. Não há problema algum em não se preocupar por não estar nas manchetes ou na TV. Mas se este for o seu desejo, você terá que trabalhar duro.

Não arranje desculpas. Não fuja da raia. Apenas comece a trabalhar e não pare até que isso não seja mais trabalho, mas sua vida. Este é o sucesso em sí mesmo.

Hoje, entretanto, lhe dou minha alegre permissão para evitar o trabalho. Na verdade, seu trabalho hoje é amar as pessoas próximas a você e então ir para a cama com um sorriso em seu rosto.

Então amanhã, levante e comece a trabalhar. O destino não aceitará substitutos.

Michael Phelps TREINA TODOS OS DIAS DO ANO
Michael Phelps TREINA TODOS OS DIAS DO ANO

Autor: Fabricio S. Peruzzo

Pai, marido, polímata, empreendedor serial, curioso.

5 comentários em “Sucesso se constrói com trabalho diário”

  1. Pingback: Sobre o sucesso
  2. Desculpe Fabricio, mas tenho que discordar em parte: sei que há muita gente que não se esforça e quer “fazer sucesso”. Mas estou passando por uma fase em que praticamente não consigo me desligar da profissão para descansar a cabeça. Ela faz tanto parte da minha vida que não consigo ao menos tirar umas férias, descansar, esquecer. E nem por isso fui bem sucedida nela (ou seja, não tenho fama, nem dinheiro vindo dela). São 10 anos de esforço contínuo sem muitos resultados. Em determinados casos é assim. Marketing e mídia acabam valendo mais que qualquer esforço.
    Um abraço.

    Curtir

  3. Oi Alice,

    A vida é cheia de altos e baixos, fases boas e fases ruins. E algumas coisas simplesmente demoram mais para acontecer para alguns do que para outros.

    O que quis passar com este texto não foi que devemos trabalhar 24 horas por dia sem descansar, sem desligar de vez em quando. Não é fazer o trabalho ser parte de nossa vida a ponto de não conseguirmos tirar férias e descansar.

    O que queria fazer é separar o joio do trigo, ninguém tem sucesso sem trabalho. Queria ainda dizer que o trabalho em que pensamos 24 horas por dia seja assim por prazer, por necessidade. Não por imposição. O Stephen King, por exemplo, escreve por necessidade, não financeira nem de fama, mas pela necessidade pessoal de se expressar para si mesmo. O fato de ganhar milhões de dólares com isso é apenas um bônus.

    O esforço, por sí só, não traz resultados excepcionais. Traz apenas bons resultados. Pensar 24 horas por dia em alguma coisa que fazemos de forma automática, sem paixão, só serve para nos deixar pior do que começamos. A fama e o dinheiro são vazios se não sabemos para que o queremos. E se sabemos os motivos de querer, porque não inverter a situação e buscar aquilo que queremos de verdade, sem dar bola para o dinheiro como objetivo primário?

    Olha o meu caso, que buscava o dinheiro com negócios de informática e internet. Ganhei e continuo ganhando bastante com isso, mas acabei ganhando dezenas de vezes mais com uma coisinha pequena que fazia nas horas vagas, por paixão. Sempre gostei de estudar, principalmente sobre os mecanismos da riqueza e formas criativas de ganhar, manter e fazer crescer o dinheiro. E fui me tornando bom nisto com o tempo. Mas o que mais gostava não era apenas saber, era compartilhar o que aprendia. Me dei conta que o que eu realmente gostava era das pessoas, da troca de informações, das conversas inteligentes. E ao compartilhar o que ia aprendendo, conhecia mais e mais gente. Ajudava as pessoas a realizar sonhos, a crescer, a investir.

    Cada pessoa que me escreve uma frase dizendo que a ajudei de alguma maneira traz exatamente a mesma satisfação que teria se eu mesmo tivesse conquistado aquela vitória. E ao ajudar cada vez mais gente com o meu conhecimento, fui buscando formas de ganhar junto, se possível, sem cobrar por isso.

    Foi assim com os consórcios. Ajudo as pessoas a investir, oriento sobre as melhores opções, troco idéias e formo grupos, apresento pessoas que podem ganhar juntas. E como os consórcios têm que ser adquiridos de algum representante, porque não de mim? Não custa nada mais para as pessoas fazerem seus consórcios comigo. E assim nasceu um novo negócio na minha vida, onde faço o que gosto, ajudo cada vez mais gente e ainda recebo por isso.

    É a mesma situação a montagem de provedores de hospedagem e desenvolvimento de sites. Tenho anos de experiência nisto, abri minha empresa de internet quando as pessoas comuns nem sabiam para que serviria essa tal rede. Ajudo pequenos empreendedores a montar seus negócios neste ramo e cobro um valor simbólico, só porque acredito que o que vem de graça não recebe o mesmo valor do que as coisas que nos esforçamos para pagar e também porque ajuda a separar os que estão realmente interessados em fazer dos aventureiros que só tomariam meu tempo para desistir na primeira dificuldade. O ponto central é que faço o que gosto, então estou continuamente pensando em melhorias. Não há como não crescer.

    Se tu estás há 10 anos se esforçando continuamente e não está tendo resultados, será que tu estás fazendo a coisa certa? Está fazendo pelos motivos certos? Se dinheiro não fosse problema na tua vida, tu continuaria trabalhando com o que tu trabalhas? A minha resposta para esta pergunta é positiva, já atingi minha independência financeira, se quisesse poderia continuar vivendo no meu padrão atual de vida pelo resto da vida, sem precisar trabalhar. Mas em vez de me jogar nas cordas, continuo trabalhando, porque o que faço é o que gosto de fazer. Ganho dinheiro fazendo o que faria de graça. Como fazia, inclusive, quando comecei. Passei anos escrevendo aqui no Moeda Corrente sem ganhar nada para isso e sem esperar ganhar nada. Começar a ganhar foi uma boa surpresa.

    Dá uma olhada nos artigos mais recentes. Tem um que escrevi com o título “Aja com paixão”, que é bastante focado nisto.

    Querendo “conversar” mais a respeito disso, fica a vontade para escrever aqui mesmo, pois com certeza mais gente pode se beneficiar da nossa troca de idéias.

    Abraço,
    Fabricio.

    Curtir

  4. Caro Fabricio,
    Desejo parabenizar vc pelo artigo!

    Quanto ao comentário da Sra Malice Miller, meu comentário ao comentário dela é o seguinte… me dirigindo a ela em particular.

    Cara Malice, a Sra escreveu, sobre sua realidade, que: “São 10 anos de esforço contínuo sem muitos resultados”……….. Isso significa na minha visão algumas coisas.

    1- O trabalho ou ocupação que vc tem, não tem projeção futura nenhuma, ou seja, seu trabalho não dá a vc a oportunidade de crescer pois não existe como isso acontecer já que na sua posição não existe mais “degraus”. Sendo assim são 10 anos aceitando essa mesma situação, sem fazer nada para mudar essa realidade. Muita paciência! 🙂

    2- Se tem os “degraus” e não subiu nos mesmos, pode ser sinal de repetição… trabalha muito mais não inova, não se adapta para crescer, faz o mesmo da mesma forma durante 10 anos, sem buscar saber COMO fazer diferente para ter resultados diferente. Ou seja, continua aceitando a mesma realidade, os mesmos resultados durante 10 anos, sem fazer nada para mudar. Muita paciência! 🙂

    3- Ou, se dá mal com os superiores… falta popularidade no trabalho, falta inteligência emocional, por isso continua na mesma. E tem aceitado essa realidade por 10 anos sem fazer nada… e continua no emprego porque trabalha demais e só… e produz bem, mais não sabe fazer brilhar os olhos de quem pode elevar-la a níveis superiores. Muita paciência! 🙂

    Entendo que “trabalhar” significa tbm trabalhar com a alma, e isso reflete em todo o processo que o sucesso faz parte! Não é apenas trabalhar 12 horas por dia, é transpirar amor naquilo que se faz, tanto que todo o resto (Superiores… etc…) são afetados e a conseqüência é seu crescimento profissional.

    >>> Mais de nada adianta fazer tudo isso se a ocupação atual não dá condições de crescimento… se não dá condições de crescimento e de sucesso, o melhor é buscar logo outras oportunidades de trabalho, no caso do empregado, ou outras oportunidade de negócios, no caso do empreendedor… esperar 10 anos com o mesmo resultado não dá. <<<

    Espero ter ajudado!
    Abraço.

    Curtir

  5. Achei interessantíssima a abordagem deste tema, mas…o meu problema é justamente que…sei o que fazer, ajudo outras pessoas a fazerem,mas…Não faço.
    A situação é, por mais engraçado que possa parecer, como se eu estivesse me sabotando, e quando estou no caminho certo…paro em um estado letárgico.
    Vou tentar(mais uma vez), fazer o que sei que deve ser feito.
    MAs, de qualquer forma, foi muito gratificante ler todas essas experiências.
    Caso alguém possa agragar valores, agradeço!

    Abraços

    Cristina

    Curtir

Os comentários estão encerrados.