A Magia do Tempo – Juros Compostos

Hoje recebi e-mail de um amigo que escreveu o seguinte:

Eu estava fazendo umas contas: a vantagem do consórcio, acredito eu, é o fato de se ter o imóvel e alugá-lo para que o inquilino pague as prestações, pois se não for esse o caso seria mais vantajoso aplicar o valor da prestação (R$ 300,00), sem reajustes, com juros de 1,5% e a mágica dos juros compostos faz o investimento subir a quase R$ 170.000,00. Correto?

Naturalmente, nao concordo com ele. Minha resposta segue abaixo:

As vantagens do consórcio são muitas. Uma delas é que é corrigida anualmente, então a mágica dos juros compostos também ocorre, mesmo que numa escala menor. Essa correção é composta anualmente ao invés de mensalmente. Outra vantagem é que o consórcio é uma poupança forçada. Tu não pode simplesmente tirar o dinheiro de lá a qualquer momento. Algumas pessoas vêem essa menor liquidez como problema, eu vejo como ferramenta para manter meus objetivos maiores, de longo prazo. Isso é importante, porque o dinheiro que invisto nos consórcios e depois disso nos imóveis não é um dinheiro que eu use para viver o dia a dia. É o tal do me pagar primeiro, os 10% que o Robert Kiyosaki fala no livro Pai Rico, Pai Pobre.

Outra vantagem é a que tu escreveste, fazer o inquilino pagar as prestações depois de contemplada e adquirir um imóvel por uma fração do seu custo. Outra ainda é vender a carta com ágio e ter um lucro imediato, nos casos em que contemplamos cedo a carta, como explico primeiro artigo sobre os consórcios. E quando esta contemplação é por sorteio, que depende um pouco mais da sorte, os lucros são realmente fabulosos. Coisa de 5 a 10 vezes mais do que o valor investido.

Já o dinheiro aplicado com juros de 1,5%, durante 150 meses, me parece um sonho. Porque as taxas de juros continuam baixando. Porque isso não prevê a inflação que irá comer o valor do dinheiro com o tempo. E porque é impossível conseguir juros de 1,5% ao mês, durante todos os meses, por 150 meses seguidos, com segurança. Então, colocando uma taxa mais realista, de 0,7% ao mês (ainda muito alta), o valor no final será de apenas 80.000.

Dá para fazer mil comparações, usar a bolsa de valores, por exemplo. Mas as pessoas costumam fazer comparações com a bolsa usando como comparação os períodos em que a bolsa teve fortes altas. Ninguém costuma estudar os períodos de baixa no mercado acionário. Eu não estudo isso, pois já vivi isso na prática. Já perdi tudo que tinha investido na bolsa. R$ 14.800 se transformaram em apenas R$ 700 (setecentos, não escrevi errado). Então sei que as coisas são cíclicas e dependem de timing para funcionar na bolsa. Isso não significa que eu não invista mais na bolsa, só que o valor que uso para isso é o que sobra além do que uso para o plano dos consórcios.

Os meus objetivos com o investimento em consórcios são os seguintes:

  • construir um patrimônio sólido com imóveis, usando o tempo a meu favor (o tempo passa para todos, podemos deixá-lo passar ou usá-lo a nosso favor)
  • ter tranquilidade de que um governo qualquer não vai bloquear minhas contas bancárias (isso já aconteceu antes)
  • usar um veículo de investimento seguro e tradicional, usado pelas pessoas mais ricas do mundo (elas devem saber o que fazem)
  • viver minha vida com tranquilidade e conforto, sem sobresaltos, me dando o direito de alguns luxos (a vida é para ser vivida)

Dá para notar que escrevi mais de uma vez as palavras tranquilidade e segurança. Isso é essencial para mim. Não quero uma vida de sobresaltos, não quero deixar de fazer as coisas que gosto, não quero economizar por economizar.

Quero viver uma vida plena. E em constante crescimento. Então no início, o plano é mais agressivo. Hoje em dia posso morar em um apartamento de dois dormitórios. Quando tiver meu primeiro filho vou querer um de três. Que forma melhor de adquirir esse novo apartamento do que através do planejamento? Então tenho meus consórcios. Eventualmente vão ser contemplados. Pode ser que eu consiga adquirir esse apartamento novo sem precisar me desfazer do meu atual, que pode então me gerar um aluguel que aumenta minhas fontes de renda.

Como eu escrevi em algum artigo anterior, o plano é muito simples e muito chato. Mas funciona. Está funcionando para mim, já funcionou para muitos amigos, familiares e muitas outras pessoas em todo o mundo. As pessoas falam em aproveitar a mágica dos juros compostos, mas não se dão conta de que a mágica não é apenas dos juros compostos. A mágica real ocorre porque o tempo passa para todo mundo. E adquire o sucesso, aqueles que usam o tempo a seu favor. Seja investindo em fundos tradicionais, seja investindo em “aplicações criativas”, como é o caso dos consórcios. Mas no fundo, por mais criativa que pareça a minha forma de investir ela na verdade é a mais tradicional fórmula usada ao longo dos séculos. Construir patrimônio imobiliário. Os reis e rainhas já faziam isso, os grandes bancos do mundo fazem isso, os grandes bilionários e milionários fazem isso. Donald Trump enriqueceu com isso. Até o Robert Kiyosaki, uma formiguinha do investimento imobiliário em comparação com os grandes investidores, enriqueceu com isso.

Autor: Fabricio S. Peruzzo

Pai, marido, polímata, empreendedor serial, curioso.