Lucrando diariamente com a arbitragem internacional de Bitcoins, através de conta corrente nos USA

Esta semana me dei conta de uma coisa importantíssima.

Com a conta bancária nos USA, nosso custo de envio de capital para as corretoras no exterior cai drasticamente. Basicamente pagamos apenas os 1,10% de IOF no câmbio de reais para dolares.

Juntando isso ao fato de podermos operar a arbitragem em diferentes corretoras e fazer as vendas de maneira a sermos “executados”, e não executores das ordens (importante nas corretoras que diferenciam as taxas disso), é possível lucrar praticamente TODOS OS DIAS!

No momento em que escrevo a coisa está apertada, com o ágio Brasil-exterior em apenas 2,41%. Não sugiro operar em uma situação como esta, apesar de que é uma excelente oportunidade de envio de dinheiro via Bitcoins para o exterior, para quem não tem ainda a conta corrente lá e deseja operar a arbitragem quando o ágio eventualmente aumentar.

Por outro lado, mesmo nestes percentuais, veja como ficaria o cálculo da operação:

Envio de dólares para os USA: IOF de 1,1%

Compra de Bitcoins (Bitstamp): corretagem de 0,25%

Venda de Bitcoins no Brasil: corretagem máxima de 0,3% ao sermos executados, não executores (Mercado Bitcoin, onde o preço está mais alto). Corretagem de 0,25% em algumas corretoras nacionais (como a BitcoinTrade, por exemplo, mas que no momento não compensa, pois o valor do Bitcoin está mais baixo lá).

Custo total: 1,1 + 0,25 + 0,3 = 1,65%

Lucro: 2,41% – 1,65% = 0,76%

Obtemos hoje 0,76% em uma operação que leva no máximo três dias. Em um mês conseguimos fazer pelo menos 10 dessas operações. E mesmo que não conseguíssemos, é mais do que a renda fixa nos paga por mês, em apenas uma operação de dois ou três dias, contando todo o tempo de envio do dinheiro para o exterior e os prazos de compensação bancária.

E estamos com a margem das mais apertadas possíveis. Esta margem costuma ficar sempre mais próximo dos 6%, nos dando então um percentual de 4% de lucro médio por operação, ou mais de 40% ao mês, se levarmos em conta que a cada operação estaremos negociando um valor 4% maior do que na operação anterior. A mágica dos juros compostos.

E temos este resultado mesmo sem que se abra aquela janela enorme de oportunidade que estamos esperando para operar quando usamos o formato de operação sem conta corrente no exterior.

Passei esta semana testando na prática a validade a validade da operação. No início da semana a margem estava em mais de 6,8% de diferença, mas foi caindo até chegar aos 2,41% que está neste momento. Realizei três operações simples de envio para conta corrente no exterior, compra lá fora, envio e venda aqui e novamente repetindo o giro. O resultado foi bastante positivo, as operações funcionaram como um relógio. O único cuidado extra que tive no processo foi o de buscar os pontos de entrada em momentos em que o gráfico de uma hora mostrasse sinais de subida das cotações, pois mesmo as variações diárias poderiam gerar problemas se houvesse uma queda pontual muito rápida.

No curso de arbitragem com Bitcoins que irei ministrar trimestralmente em NY, mostrarei com detalhes o funcionamento desta operação, assim como darei todo o suporte e acompanhamento pessoal para a abertura da conta corrente nos USA, sem a necessidade de endereço de residência lá, nem qualquer outro documento extra além do passaporte, visto de visitante e comprovante de endereço no Brasil.

Autor: Fabricio S. Peruzzo

Pai, marido, polímata, empreendedor serial, curioso.