Um minuto apenas

Era uma mulher muito feliz, realizada, que via todos os dias da sua vida o sol raiar em abundância de amor e paz.

Marido excelente, filho perfeito, saudável, casa boa, moderna, não faltava nada, dinheiro na conta, podia se dar a todo tipo de luxo: viagens, inclusive ao exterior nas férias… e de um dia para o outro, seu mundo desmoronou quando viveu a descoberta que seu sonho de amor, seu casamento perfeito, era um engodo… que seu marido perfeito, que vivia só para ela e para o trabalho, vivia também para outra mulher e numa relação com igual intensidade de atenção e amor como a que lhe era dirigida.

Então, numa manhã de muita tristeza, de muita angústia, decidiu…

Se mataria, terminaria com sua própria vida.

Mas desejava vingança. Por isso, tomou o filho de quatro anos em suas mãos e decidiu que o mataria também. Conhecia um lugar montanhoso, alto, retirado, onde ninguém a veria e onde poderia se jogar do alto com o menino acabando com sua vida e a do filho.

Ao atravessar as ruas de imenso movimento, seu filho escapou-lhe das mãos e correu pelo meio dos automóveis.

Ela se desesperou.

Estranho, levava o filho pelas mãos para atirá-lo no precipício para que morresse e quando o viu correndo perigo, correu, protegendo-o.

Neste momento, a criança se agachou e pegou um papel que o vento trouxe em sua direção. Ela o pega e um título em letras grandes chama-lhe a atenção:

“UM MINUTO APENAS”

Leu com o coração atento “Em um minuto apenas, a tormenta passa, a dor passa, o ausente chega. O dinheiro chega, o amor parte, a vida continua.”

Era uma página escrita por um sábio.

Ela terminou de ler. Seu ímpeto passou. Em um minuto apenas……..

Lembre-se:

Pode ser um coração atento, uma mão amiga, um pedaço de papel impresso caído na calçada. Papel esse que o vento não levou.

Em um minuto apenas o amor volta. A esperança renasce.

Em um minuto apenas o Sol aparece.

Não se desespere.

Espere…

Em um minuto apenas.

O socorro chega, o panorama se modifica, a vida volta a florescer.

Tenha paciência. Não se entregue a desesperança. Espere.

Em um minuto apenas. Sessenta segundos… Uma vida… Um minuto a mais.

“Em um minuto apenas a misericórdia divina se derrama, as bênçãos corrigem os passos escuros, depuram, reparam, transformam os caminhos de luz rumo a uma vida maior…”

(Autora: Elizabeth Rampim)

Autor: Fabricio S. Peruzzo

Pai, marido, polímata, empreendedor serial, curioso.