Um dia na vida

Fabricio no Lake TahoeMinha rotina mudou um pouco nos últimos meses, e achei que seria interessante escrever um post “um dia na vida” para contar como se parece um dia do meu tempo (pelo menos neste momento), ao menos para dar um noção do que tem minha atenção, em que estou trabalhando, em que projetos estou envolvido, e como isto pode ou não se relacionar com você. Claro que todos temos nosso próprio ritmo, então não há sentido em comparações, mas de toda forma, as vezes é divertivo olhar por trás das cortinas, não?

Manhãs

Quem convive debaixo do meu teto sabe que tenho um certo “ritual matinal”, mas deixando os detalhes de lado, levo aproximadamente uma hora para estar pronto para o dia, contando nisto o café da manhã, o banho e uma primeira passada de olhos nos emails, onde apago os spams que o filtro do gmail deixou passar e os emails que não exigem resposta.

Quando estou em casa, costumo fazer uma caminhada de uma hora no meio deste ritual, antes do banho, claro. Também costumo lavar a louça do dia anterior quando volto da caminhada, numa espécie de meditação.

Nestes meses em que estamos viajando pelos Estados Unidos, esta rotina foi alterada em parte. Não tenho feito a caminhada, substituída por tudo que caminhamos durante as tardes. Além disso, devido a diferença de horários entre Brasil e Califórnia (estou com 4 horas a menos) tenho acordado mais cedo para atender aos telefonemas do Brasil, usando VoIP. Então basicamente as manhãs são dedicadas a atender aos clientes do Brasil, respondendo emails e atendendo os telefones quando tenho conexão.

Costumo escrever usando o iPad e a App PlainText, que sincroniza os textos automaticamente com meu notebook. Uso o teclado sem fio da Apple para textos mais longos, mas normalmente acabo usando mesmo o teclado na tela do iPad, devido a praticidade e ao fato de já estar bem treinado nisso.

Os emails, respondo praticamente 100% no iPad. Só uso o notebook para salvar alguns arquivos e para fazer backup das fotos batidas a cada dia. Isto provavelmente irá se alterar a partir de amanhã, pois hoje foi lançado o novo MacBook Air, lançamento que eu previa e aguardava antes de comprar mais este “brinquedo”.

Computação móvel

Deixa eu discorrer um pouco sobre este assunto, pois disto eu entendo bem. Se pudesse dar apenas uma dica sobre que computador comprar para usar em viagens, seria a seguinte: compre o mais leve, o mais rápido, e o mais barato, exatamente nesta ordem. Se você for neurótico como eu sou e levar seu notebook para todo canto junto com você, o peso é a característica mais importante.

Estar no meio de uma viagem, com todas as coisas diferentes que você tem que lidar e os pequenos problemas que tem que resolver diariamente para manter as coisas em ordem, e ainda ter que lidar com um computador que simplesmente não responde na velocidade esperada, ainda mais se você está acostumado com um computador potente em casa, é algo realmente irritante. Depois do peso, performance é o que há.

Infelizmente, optando por peso e performance nos faz cair na classe de notebooks que não custam barato. Minha sugestão, pague o preço que for preciso. Sua felicidade, bom humor e principalmente, vontade de trabalhar, pagarão rapidamente a diferença de valor. Mais que isso, me escute com atenção, porque neste caso específico, comprar o notebook menor, mais leve e mais caro, acabará saindo mais barato! Depois de ter gasto com um grande, pesado e lento, você se irritará tanto que acabará comprando o leve e rápido, gastando duas vezes em vez de uma só. Eu sei! Já fiz isso Smile

Conexão com a internet

Na Califórnia, mesmo no Silicon Valley, onde se imagina que conexão com a internet não seja problema, tenha sempre um plano B, se você depende de conexão para trabalhar. A internet nos hotéis mais simples costuma ser gratuita e péssima. Nos hotéis mais caros, costuma ser paga e tão ruim quanto. As lojas da Apple são uma benção na vida do viajante conectado, sempre dispondo de conexão boa, sem custos extras. Cafeterias e restaurantes também costumam ter conexões disponíveis com regularidade. Planos 3G costumam também funcionar bem, mas encontrar um nos Estadus Unidos que não exija contrato de dois anos é tarefa de gincana. O mundo ainda não está realmente preparado para atender viajantes móveis de maneira ideal.

Tardes

Ainda devido a diferença de fuso horário, durante as minhas tardes já é noite no Brasil, então cuido dos negócios que estou desenvolvendo aqui. Estou montando uma empresa de investimentos imobiliários, nos USA, para que os norte-americanos interessados em investir no Brasil possam fazer isso da maneira mais simples possível. Como as coisas aqui ainda estão incipientes, na maior parte dos dias apenas tiramos as tardes para passear. A imagem que abre este artigo é de uma volta completa que demos no Lake Tahoe. Abaixo, o local de onde escrevo este texto Smile

2011-07-19-15h11m36

Equipamento: máquina fotográfica

Para quem gosta de passear e bater boas fotos, com a melhor qualidade possível, não tenho palavras para descrever o quão apaixonante é a Nikon D3100. É uma câmera DSLR, relativamente grande para quem costuma usar câmeras compactas, mas a diferença de qualidade nas fotos vale o quanto pesa. Falando assim, até parece que estou descrevendo uma câmera monstruosa, o que é muito longe da verdade. A D3100 é apaixonante justamente por colocar em um corpo extremamente compacto e leve o suprasumo da tecnologia e qualidade para fotos. Ela pesa menos da metade da minha máquina “oficial”, uma Nikon D7000 que é maravilhosa por suas razões próprias, mas muito pesada para levar como câmera de turista. A D3100 simplesmente não se sente no pescoço, é como se estivéssemos sem ela. E no entanto, ela está alí, sempre a mão, sempre disponível.

Noites

Não temos badalado muito, com excessão de Las Vegas, onde estávamos dormindo bem mais tarde do que nos outros dias. Jantamos em casa, então enquanto minha esposa prepara o jantar, normalmente uma salada ou sanduíches, me dedico a escrever ou a responder os últimos emails do dia, já preparando o dia seguinte.

Também é a noite que atualizamos nosso site da viagem para informar aos pais que está tudo bem, que os negócios estão em ordem e a viagem está ótima. Os filhos, mesmo com quase 40 anos, sempre serão os “filhinhos”.

Resumo

Com a rotina completamente alterada pela viagem as coisas estão completamente fora do padrão. Ao mesmo tempo, passei os últimos anos planejando os negócios e os investimentos para poder conseguir fazer o que estou fazendo agora, trabalhar, manter as empresas funcionando e ganhar dinheiro, independente de onde esteja no planeta. Hoje, com uma conexão à internet e um computador (ou iPad), tenho tudo que preciso para manter a vida profissional andando perfeitamente bem.

Em um próximo texto, vou falar sobre um insight que me surgiu ao longo desta viagem. Tenho que fazer um pouco de mistério aqui pois é uma idéia que gostei tanto, que pretendo lançar um site para desenvolvê-la com exclusividade, mas basicamente fala de empreendedorismo, desenvolvimento pessoal e profissional e independência financeira para atingirmos o máximo de nosso potencial individual. É a consolidação de tudo o que venho fazendo pessoalmente ao longo dos últimos anos, dos meus resultados e de como isto me ajudou e ajuda a conquistar tudo o que desejo.

13 pensamentos em “Um dia na vida”

  1. Grande Fabricio

    Estou sempre acompanhando os seus post depois que a gente conversou lá em kameyama.Agradeço pelos post sempre bem elaborados e de fácil entendimento,toda vez que leio algo aqui me dá uma animada e milhões de idéias começam a surgir.
    abraços
    Fabio e Danny

    1. Grande Fabião,

      Muito legal saber que estás por aqui, lendo o que escrevo. Muita saudade de vocês e dos dias maravilhosos que passamos aí no Japão. Lembra que estou sempre a disposição para o que puder ajudar. Manda email com as idéias, que conversamos sobre implementa-las.

      Abração pra ti a pra Danizinha. A Ingue manda um beijo para vocês também, está aqui do meu lado enquanto escrevo isso.

  2. Esse é o nosso Steve Pavlina Brasileiro!! hehehe
    Ontem mesmo estava pensando o que tinha acontecido, pois não havia recebido mais os e-mails! Mas está aí esse Fabrício, sempre nos brindando com ideias e positividade. Muito obrigado e esperando ansiosamente os projetos!

    Até mais e boa sorte!

    1. Hahaha, menos, André. Falando nisso, estava pertinho do Steve Pavlina, passei duas semanas em Vegas, justo nas duas semanas em que ele estava comentando sobre os quatro novos workshops que fará no Hotel Tropicana este ano. Infelizmente não deu para marcar de tomar um café com ele desta vez, mas ano que vem acho que sai algo neste sentido.

      Abração, e boa sorte com os teus projetos. Tenho acompanhado também por aqui os teus movimentos.

  3. Oi, fico muito feliz de ler esse tipo de coisa de ti, por que acompanhei de perto o trabalho nas tuas empresas e no que tu sempre acreditou; e agora está “apenas” colhendo o que fez nos últimos 15 anos. 🙂 Meus parabéns!

    Mudando de assunto, comprei um notebook de 13″ bem mais leve que o anterior (14″) e realmente faz toda a diferença ser leve e rápido.

    Bjs boa viagem.

    1. Oi Mirella,

      A vantagem de ser parte da família é justamente poder acompanhar a história bem mais de perto do que quem apenas lê o que escrevo.

      E o notebook é bem isso, muito melhor leve e rápido, algo que eu já falava há mais de 10 anos, quando buscava os Toshiba Portegè, que na época custavam uma fortuna, mas eram a única alternativa que realmente valia a pena.

      Beijo.

  4. Opa,valeu pelo novo post.

    Vou aguardar teu lançamento,então.É sempre bom ter mais conteúdo sobre os assuntos que tu aborda.

    🙂

  5. Ahh,e concordo contigo:meu macbook air foi uma otima aquisicao,assim como a nikon d3000!

    1. Oi Aline,

      Ontem mesmo comprei meu Macbook Air. Estava esperando a atualização para comprar o novo, dei muita sorte de ser lançado enquanto ainda estou nos USA. E sobre a Nikon, não há o que falar, pequena, leve, fantástica, apesar de que ontem, também comprei uma faixa transversal da BlackRapid para usar na D7000 e resolveu todos os meus problemas com relação ao peso dela.

      Abraço e aguarda, em breve terei novidades. Não sei se conseguirei lançar algo antes de voltar ao Brasil, que o ritmo aqui está sendo bem intenso, mas vou tentar, ainda mais agora, com o Macbook Air, que dá prazer em utilizar, tão rápido e confortável que é.

  6. Quem lê acha que não faço nada, não sei fazer nada… Uma vagabundagem só!!!! Vou te contar…

    1. Nada disso, esposa oficial, essa impressão pode ficar apenas devido a minha imperícia com as palavras para expor direito as idéias. O texto fala da minha rotina apenas, se fosse listar todas as habilidades da minha esposa querida do coração, precisaria de muito mais espaço do que disponho no servidor para armazenar as páginas.

  7. Olá Fabrício, que delícia essa sua viagem. Quando volta pro Brasil?

    Finalmente minha vida voltou ao normal, acabei de construir meu apartamento e reformar algumas coisas… Meu primeiro imóvel…

    Queria falar com você sobre a aquisição do segundo.
    Te mandei um email no megacombo.
    Abraços.

    1. Oi Aron,

      Parabéns pela conquista!

      No início de setembro estou de volta. E no final do mesmo mês, já parto de novo 🙂

      Respondi teu email sobre os consórcios, olha lá tua caixa de entrada.

      Abração.

Os comentários estão desativados.