Sobre o Papai Investidor

Fabrício Stefani Peruzzo é o Papai Investidor.

Escrevi o texto abaixo para a página explicativa do site Papai Investidor, cujo conteúdo agora se encontra neste site que você está lendo. Decidi manter todos meus escritos em um só lugar, para facilitar a vida de quem quer conhecer melhor minhas idéias.

Escrevo sobre finanças pessoais e a busca da independência financeira desde 2002, quando criei o site do Informativo Moeda Corrente, com o objetivo de fixar o que estava aprendendo com a leitura de inúmeros livros sobre este tema. Naquela época lia por volta de 60 livros por ano, então você pode imaginar a quantidade de artigos que escrevi ao longo do tempo. O site continua lá, faz um bom tempo que não o atualizo, mas mantenho o mesmo devido à atemporalidade dos textos.

Nasci com o vírus do empreendedorismo. Desde pequeno, muito pequeno, pensava nos diversos negócios e empresas que teria quando crescesse. Antes de crescer já estava montando meus primeiros empreendimentos, como a biblioteca que começou a crescer rapidamente ou a rádio pirata que transmitia as últimas novidades do prédio onde morava.

Além de empreendedor, acabei me descobrindo coach, em uma época em que esta palavra ainda não existia. Não foram poucos os amigos que ajudei desenvolvendo seus potenciais através de perguntas que levavam à autoanálise e posterior crescimento de dentro para fora. Muitos novos empreendedores nasceram destas sementes.

Como leio muito, sobre diversos assuntos, e sou completamente apaixonado por conversar sobre negócios e entender o funcionamento das coisas, não demorou muito para que eu começasse a estudar o funcionamento do dinheiro e suas leis universais. É realmente muito simples ganhar dinheiro, e ainda mais simples fazê-lo crescer. Não quer dizer que seja fácil, mas é simples. Quer ver: para ganhar dinheiro, faça algo que ajude a resolver o problema de outras pessoas. Para ganhar mais dinheiro, faça algo que ajude a resolver o problema de MUITAS outras pessoas. Para fazer seu patrimônio crescer, trabalhe para ganhar dinheiro, viva com menos do que ganha e invista o que sobra de maneira a fazer este capital inicial e seus rendimentos se transformar em uma bola de neve. Viu, é simples.

Minha formação é Computação. Quando estava me formando, a internet comercial ainda não existia no Brasil. Havia uma maneira de conseguir conexão à internet aqui na minha cidade. Era através de um provedor de acesso experimental, montado na estrutura da faculdade federal por alunos do último ano da Computação. Achei excelente, fui lá conversar com eles e descobri que havia uma fila de espera de 3000 pessoas. E que só conseguiam atender a 300 pessoas por mês. Esperar 10 meses para poder acessar a internet? Nem pensar. Chamei alguns amigos, desenhamos o plano em uma folha de caderno, juntamos os trocados de cada um e no mês seguinte abrimos o primeiro provedor de acesso discado comercial do nosso estado. Essa foi minha primeira maneira regular de ganhar dinheiro, antes disso, ganhava dinheiro esporádico com aulas de computação e manutenção de computadores.

Para fazer o dinheiro crescer, havia a poupança e a bolsa de valores. Tinha uma reserva na primeira e logo parti para a segunda. Sem o conhecimento necessário e principalmente sem a bola de cristal para prever o futuro, perdi tudo o que tinha com o estouro da bolha de internet em 2001 e com a queda das Torres Gêmeas no atentado de 11 de setembro. Tinha que começar do zero. Zero mesmo, porque no final de 1999 tinha perdido minha empresa de internet em um negócio mal feito e em 2001 o emprego que arranjei enquanto montava minha segunda empresa havia explodido junto com a bolha da internet, pois o dinheiro vinha dos Estados Unidos.

Minha segunda empresa também era um negócio com internet. Neste momento fazíamos hospedagem de sites e depois passamos a instalar e dar manutenção em servidores corporativos e desenvolver sistemas. Com o dinheiro entrando, foquei na segunda etapa, investir para fazer o patrimônio crescer.

Tendo perdido tudo na bolsa de valores no ano anterior, não queria ouvir falar deste assunto. Por um lado foi péssimo, perdi os anos de maior valorização da Bolsa, entre 2002 e 2008. Por outro lado, não perdi tudo em 2008, como aconteceu com muitos que tinham suas economias em ações. Adquiri consórcios imobiliários no limite do investimento mensal que podia fazer e com eles descobri uma mina de ouro ao contemplar as cartas e vender o crédito para quem procurava adquirir imóveis com um custo muito menor do que os juros do mercado, mas com um ágio bastante considerável sobre o valor que eu tinha pago até a contemplação.

Meu investimento com os consórcios imobiliários deu tão certo a partir de 2002, que em 2003 escrevi um artigo no Moeda Corrente explicando o que estava fazendo para multiplicar meu dinheiro. Este artigo abriu o apetite de muita gente para os investimentos e eu indicava o vendedor que me atendia na época, sem segundas intenções, sem receber nada por isso. Até que um dia este me ofereceu comissão para ver se eu indicava mais gente do que já vinha indicando. Opa, que boca-aberta que eu fui! O que eu fazia valia dinheiro! E a partir de então passei a ganhar uma pequena comissão por cada indicação. Como era o mesmo que fazia com meus investimentos pessoais, era uma indicação natural e verdadeira.

Mais uns anos se passaram, minhas indicações aumentaram, e a Rodobens me convidou a virar representante deles. Montei uma empresa, a Megacombo Consórcios para cuidar disto, acabei vendendo a participação na empresa de internet que ainda possuía e passei a me dedicar integralmente aos consórcios. Você pode saber tudo sobre o funcionamento deste investimento acessando o site Investimento em Consórcio. Foi este investimento que permitiu tornar-me o Papai Investidor, e é este investimento que indico para quem deseja uma forma simples, segura e automática para formar patrimônio e viver uma vida financeiramente tranquila.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *