Como comprar um carro

Descubra tudo o que você precisa saber para comprar um carro.

Você vai até a revenda previamente selecionada, escolhe o carro que gosta, paga e sai dirigindo!

A melhor marca de carro que existe: NOVO!
A melhor marca de carro que existe: NOVO!

Falando sério agora. Estou muito feliz. Comprei meu primeiro carro zero quilômetro. Comprei segunda-feira, paguei na terça, busquei hoje. Completo. Foi um upgrade total, novo, maior, mais potente e confortável. O fato de poder comprar antes ou não é totalmente irrelevante, a coisa só acontece quando acontece. E por vários motivos, alguns referentes a minha cabeça dura, só aconteceu esta semana.

Então aí está, carro novo. Peguei no meio da tarde, ouvi as explicações da vendedora para poder “receber” o carro oficialmente, saí da revenda e fui buscar minha esposa na Renner. Completei o tanque (revendas, seria uma grande cortesia entregar o carro com o tanque cheio para os clientes) e fomos até o Barra Shopping dar uma voltinha. Lembrando que moramos na zona norte e o shopping fica na zona sul, tudo por um passeio 🙂

O mais engraçado é que fui buscar ele logo após começar o rascunho de um artigo do Dr. Money para a revista Papo de Homem em que tratarei justamente da compra de um carro. Para dar uma palhinha mas ao mesmo tempo não tirar a graça, seguem alguns dos tópicos que irei explorar no artigo em questão.

  • Compre um carro usado e economize a maior parte da depreciação do mesmo
  • Compre um carro novo e fique com ele por dez anos
  • Regra 20-4-10: no mínimo 20% de entrada, financiados por menos de 4 anos, comprometendo até 10% dos seus rendimentos
  • Nunca financie um bem depreciável como um carro, compre a vista e comece a guardar dinheiro imediatamente para o próximo
  • Custo médio mensal de possuir um carro é o valor do carro dividido por 30
  • Regra de no máximo 10% do patrimônio total

As regras acima não são absolutas, dá para notar que algumas são completamente opostas à outras, ou seja, dependendo do caso ou da situação de cada um, é aplicada uma fórmula diferente. Algumas regras, porém, podem sim ser vistas como absolutas.

ATUALIZAÇÃO: Publiquei na revista Papo de Homem o artigo sobre como comprar um carro.

Para os pão-duros radicais que as vezes me usam como exemplo só porque eu gosto de falar em dinheiro, sinto decepcioná-los. Mas eu gosto de falar de dinheiro, ganhar dinheiro e principalmente aproveitar as coisas boas que o dinheiro pode proporcionar. Hoje foi este carro.

Aniversário da minha sogra

Piquenique no zoológico, coisa pequena, só aniversariante, marido, filhos, neta e agregados.

Piquenique no zoológico, coisa pequena, só aniversariante, marido, filhos, neta e agregados. Salsichão com pão, saladinha e sobremesa. Conheça os envolvidos…

Só porque está de aniversário não significa que não deva trabalhar...
Só porque está de aniversário não significa que não deva trabalhar...
Marido também trabalha.
Marido também trabalha.
A nora grávida.
A nora grávida.
O filho mais velho, futuro pai.
O filho mais velho, futuro pai.
Atsu.
Atsu.
A filha do meio.
A filha do meio.
A neta que pensa, pensa, pensa, até entender.
A neta que pensa, pensa, pensa, até entender.
Desenhar é preciso...
Desenhar é preciso...
Fica parado, urso de óculos.
Fica parado, urso de óculos.
Eu, bem na foto.
Eu, bem na foto.
A filhinha caçula. Minha esposa.
A filhinha caçula. Minha esposa.

Deep Purple

Minha irmã liga perguntando: “quer assistir ao show do Deep Purple?”

deep_purple

Então ontem, exatamente as 17h17, em uma chamada que durou 1 minuto e dezessete segundos, em determinado momento minha irmã pergunta:

– Tu gostarias de ir ao show do Deep Purple?

—–

Rosa Tatooada tocando Detroit Rock City é muito bom! Ok, menos do que o original que tenho em DVD do Animalize, ou o show deles em Porto Alegre (já falei que assisti o Kiss em POA?).

A proporção de fotógrafos por metro quadrado era enorme. Digamos que um fotógrafo profissional a cada dez fãs no show de abertura e um a cada 30 no auge do show principal. Tinham poucas cadeiras ao fundo, elevadas. Nos andares superiores e laterais, os pombais com o pessoal dependurado ao redor da pista. Uma fila só, todos na mureta, sem apertos. A pista estava ocupada pela metade, com amplo espaço pessoal. Dava para colocar tranquilamente cinco vezes mais gente se fosse para comparar com o aperto de assistir Shakira no Gigantinho. E oito vezes mais gente se for comparar com a Ivete Sangalo no Planeta Atlântida, na primeira fila (isso foi no segundo ou terceiro planeta, faz tempo). Estava vazio. Soube que no Gigantinho tinham 17.000 pessoas. Ontem não deviam ter mais de 800. Provavelmente por conta do ingresso salgado, de R$ 180 na pista.

O show começou pontualmente as 9h. O som estava uma porcaria, muito alto e distorcido, no sentido de mal regulado mesmo. Mal se ouvia a voz do Ian. Melhorou do meio para o final, mas não muito, porque neste ponto o tiozão tava com a gripe pegando forte e tossia justo na hora de começar a cantar o refrão, limpava o nariz escorrendo e então entoava o refrão do meio, sem perder o tempo da música uma só vez.

O público era o esperado, magros, gordos, tatuados, de preto, com camisetas de bandas metal, com as excessões que confirmam a regra, como minha esposa e seu casaquinho branco com sapatos azuis e uma guria alta de vestido longo, mas devidamente purple. A Ingue saiu logo no início, para ver Milk no cinema ao lado.

Quase nenhuma música era conhecida pela maioria do público, mesmo os fantasiados. Tinham uns 20 bem na frente do palco que sabiam todas, mas a maioria era tão ou mais alienada do que eu, que só conhecia três músicas (a “na nanana nanana nananaaaa”, que o Ian insistia em tossir no refrão, smoke in the water e black night, que encerrou o show).

O Steve Morse é mágico. Parecia ser um gurizão do lado das tias velhas. Depois descobri que já tem 54 anos. Mas o que ia escrever é que ele é mágico com aquela guitarra. Não faço a menor idéia de como é possível fazer o que ele fazia sozinho em termos de som. Com o tecladista e seus efeitinhos de sampler não me impressionei, apesar de muito bom, por saber o que a tecnologia permite, mas a guitarra era algo realmente impressionante.

O Roger Glover também matou a pau com o baixo.

O Ian Paice, quando fez um solo de bateria sozinho, foi para mostrar o quanto toca. Não que não desse para ver isso durante o resto do show, que foi impecável, mas quando ele mostrou o que fazia sozinho era de cair o queixo. Pode ser porque meus termos de comparação sejam o vizinho do apartamento de cima, que apesar de tentar tocar bateria todas as tardes ainda tem muito a ensaiar 🙂

E então, depois de umas musiquinhas no teclado, bossa nova, coisinhas do Brasil, obrigado por nos receberem,… Começa o riff de smoke in the water.

E tudo foi perfeito. Som limpo, instrumentos equilibrados, voz clara, público cantando afinado. Clássico como só um clássico pode ser. Obrigadouuu, love you, Brasil. Bye.

“Deep Purple”, “Deep Purple”, “Deep Purple”, “Deep Purple”, “Deep Purple”, “Deep Purple”, “Deep Purple”, “Deep Purple”, “Deep Purple”, “Deep Purple”, “Deep Purple”, … bis. Black night. Fim. 22h37

Saída, luz clara de shopping, pagar estacionamento, pais e filhos, segurança do shopping: “o filme deve acabar pelas 11h50”, sentar no banquinho e esperar minha esposa sair do cinema. Casa e cama. Segunda-feira como outra qualquer.

Minha irmã comentou sobre isso no blog dela: www.loscaracoles.com.br.

Gostei, mas não teria pago R$ 180 para ouvir só três músicas conhecidas.

Olá mundo!

Este é o site onde escrevo o que passa na minha cabeça e não é esquisito demais para ir à público. É meu livro aberto, onde “pensarei alto” para quem se interessar a ouvir.

AutoretratoBem-vindo ao blog Peruzzo.Org!

Este é o site onde escrevo o que passa na minha cabeça e não é esquisito demais para ir à público. É meu livro aberto, onde “pensarei alto” para quem se interessar a ouvir. Tenho interesses bastante variados então será uma grande incógnita saber o que está por vir.

Para tentar dar uma pequena idéia do que esperar aqui, segue uma frase que gostei muito:

Você não precisa viver sua vida da forma que as outras pessoas esperam que você viva.

Esta frase fará todo sentido a medida que você descobrir um pouco mais sobre mim e como vivo minha vida. Com certeza não é da forma mais convencional que você vê por aí.

Como todo programador de computador, o título deste texto não poderia ser diferente 🙂

Obrigado pela atenção e até mais.

PS: não se impressione se houverem textos com data anterior a esta do início do site. Vou publicar alguns textos mais antigos com as datas originais dos mesmos.

Plano de vôo

Este é meu plano de vôo para o sucesso. O que vem a seguir ainda não existe, são as coisas que planejo para meu futuro.

Atualização de fevereiro de 2010: tudo que escrevi em meu plano de vôo aconteceu melhor do que havia escrito 🙂

Porto Alegre, 26 de setembro de 2006.

Este é meu plano de vôo para o sucesso. O que vem a seguir ainda não existe, são as coisas que planejo para meu futuro. Muito do que escreverei poderá não acontecer. Sei que se este for o caso, será porque coisas ainda melhores acontecerão no seu lugar, coisas que não consegui prever. Vou tentar ser o mais objetivo e literal possível, descrevendo detalhes suficientes para que os planos abaixo sejam como um guia para minhas atitudes e ações na busca do que desejo. De tempos em tempos revisarei este texto e criarei novos planos de vôo, indicando o que já foi conquistado e planejando as conquistas futuras.

Este é o MEU plano de vôo para o sucesso. Fique a vontade para usa-lo como base para o seu próprio plano. Vamos em frente…

—–

Sou um escritor. Tenho um livro publicado por uma editora tradicional e mais de 1000 exemplares vendidos.

Sou sócio de três empresas e cada uma me rende mais de R$ 10.000 mensais na distribuição de lucros.

Ando sempre bem vestido e passo uma imagem de sucesso para as pessoas. Me visto de maneira relativamente informal, deixo o terno e as gravatas para aquelas ocasiões que os exigem, como o casamento dos amigos.

Possuo um Astra do ano, um carro excelente e confortável, sem necessidade de exposição excessiva. Minha esposa possui um 307 que ela adora.

Moramos em um amplo apartamento de três dormitórios em uma vizinhança tranquila e segura. O apartamento é decorado do nosso jeito, simples e moderno. Possuímos uma cozinha ampla e completa e uma sala grande e confortável para receber os amigos.

Tenho conta em três bancos e mais de R$ 100.000 em cada uma. Invisto com sabedoria, a longo prazo, não utilizando o montante principal para gastos do dia a dia. Possuo mais de R$ 200.000 em prestações pagas em diversas cartas de consórcio e mais de R$ 50.000 em moedas de ouro. Poderia viver apenas do rendimento das minhas aplicações porém não preciso tocar nele devido ao amplo fluxo de caixa mensal proporcionado pelas minhas empresas. Vivo com conforto e invisto o excedente na ampliação das empresas e em consórcios que ao longo do tempo se transformam em imóveis. Vivo com 20% do que ganho, investindo os 80% restantes.

Costumo tirar uma semana de férias a cada três ou quatro meses, quando viajo com minha esposa. Uma ou duas vezes ao ano fazemos uma viagem internacional. Adoramos conhecer lugares novos e também revisitar os que já conhecemos.

Mantenho a saúde e a disposição fazendo exercícios regulares e acordo cedo todos os dias. Me alimento bem e nos horários certos, sem pular as refeições.

Encontro frequentemente com os amigos. Organizamos jantares regularmente em nosso apartamento.

Leio, escrevo e falo fluentementeo inglês. Mantenho um blog nesta língua para aperfeiçoar a escrita. Leio livros e sites para aperfeiçoar a leitura. Assisto filmes e noticiários americanos sem legendas para melhorar a compreensão e participo de grupos de bate-papo para a conversação.

Minhas empresas operam o dia a dia sem a minha presença constante. Costumo passar algumas horas, semanalmente, em cada empresa. Tenho ótimos e leais funcionários.

Por ter bastante tempo livre minha carreira de consultor empresarial deslancha. Costumo atender três empresas simultaneamente. Depois do trabalho inicial costumo ficar com uma pequena participação na empresa, o que me rende bons dividendos.

Almoço e janto com minha família todos os dias. É em casa que tenho minhas maiores alegrias. Passo bastante tempo em casa. Fim de semana é sempre com a familia e com os amigos.