Quite seu financiamento com um consórcio, e economize mais de 50% nos juros que você deixará de pagar

É possível fazer um consórcio para quitar teu financiamento, e isto implica em pagar muito menos juros do que seriam pagos mantendo tal financiamento. É um excelente negócio, é simples de implementar, mas exige certos cuidados na escolha da melhor forma de implementar isso para teu caso específico.

Há duas formas de fazer esta substituição de dívida:

1. Tendo um bom capital para ofertar um lance: se consegues algo entre 30% a 40% do valor do crédito que precisas, podes contemplar uma ou mais cartas de consórcio que componham o valor do financiamento que tens, para quitá-lo. Fazendo isso, ficarás com uma prestação semelhante à que pagas no financiamento, mas em um prazo muito menor, as vezes até mesmo metade ou menos do que o prazo que tens no financiamento atual.

2. Conseguindo pagar simultaneamente o financiamento e o consórcio por um bom tempo: se não tens o capital necessário para um lance de contemplação, podes ir pagando desta forma, “em dobro”, até ser contemplado no consórcio. Pode demorar um pouco, mas por mais que demore, os prazos do consórcio são muito menores do que os de um financiamento com prestação semelhante. Ao ser sorteado, usas o consórcio para quitar o financiamento (e eventuais sobras do crédito para antecipar prestações do consórcio) e ao fazer isso, cortas o financiamento bem antes do prazo total que terias, ficando apenas com um saldo remanescente bem mais curto do consórcio para pagar.

Ambas alternativas tendem a te economizar metade ou mais do que pagarias em juros no financiamento, então vale a pena o estudo da viabilidade delas frente a tua realidade pessoal, visto que em cada uma delas é necessário um esforço extra, seja em possuir a reserva necessária para um lance, seja para conseguir pagar duas prestações simultâneas (financiamento e consórcio) até ser contemplado pelo sorteio.

Me conta um pouco mais sobre tuas possibilidades, que vai ser um prazer ajudar com um plano sob medida para tua situação específica.

Lucro de R$ 154.000 em um ano e meio, com investimento de R$ 37.000. Como???

O Rafael Jantsch, que me entrevistou recentemente em seu canal do Youtube, tem feito alguns videos citando meus investimentos passados, coisas que ele leu em meus sites, e idéias e técnicas diferentes que eventualmente eu tenha usado em meus investimentos. No video abaixo, ele fala de um caso específico que relato neste artigo, de um investimento onde, com R$ 37.000, obtive R$ 154.000 de lucro no final de uma série de negócios encadeados.

O segredo? Consórcio imobiliário, conhecimento financeiro, criatividade e seriedade nas negociações, parceiros sérios, e trabalho duro.

Esta é a Rede Rica! Uma curadoria de conteúdo feita para facilitar sua vida ao apresentar os melhores textos e videos para seu desenvolvimento pessoal e financeiro.

Os ótimos lucros ocorrem à portas fechadas

Todos buscamos o maior lucro possível para nossos investimentos, ao mesmo tempo em que tentamos minimizar ao máximo os riscos de nossas aplicações, mas sabemos também da validade daquele velho ditado: “quem não arrisca, não petisca.”

Como resolver esta equação? Onde estão os maiores lucros? Como minimizar nossos riscos? Como participar dos negócios que possuem potencial de lucrar o dobro ou mais do que investimentos tradicionais, se não para todo nosso dinheiro, ao menos para uma parte que aceita o desaforo do risco?

O primeiro segredo está justamente descrito na frase acima, arriscar apenas uma pequena parte do seu dinheiro, deixando o restante investido de maneira mais conservadora. Um tiro errado não causará grandes problemas, mas basta um tiro certo para multiplicar os lucros de forma significativa.

A segunda parte é descobrir onde estão os bons negócios. E nisto, só há um segredo, andar com as pessoas certas. Não teria sido ótimo participar da criação do Google, da Amazon, da Senior Solution, para pegar uma das nossas? Não seria interessante ter participação naquele terreno com excelente localização antes de uma grande construtura se interessar por ele para seu novo prédio?

Estou escrevendo isso agora, porque ontem uma pessoa me ligou. Um construtor. Constrói pequenos prédios de ótima categoria em bairros caros da cidade. E pensando em ampliar seus empreendimentos e construir prédios maiores, me procurou buscando investidores interessados em participar dos lucros. Não estamos falando de 1% do CDI, nem de 1,5%, mas do dobro ou mais, com prazo de investimento de dois anos. Há riscos? Claro que sim, o mercado imobiliário pode travar ou até despencar, mas e aquela coisa do “quem não arrisca não petisca?” Você está pronto para arriscar?

Só para citar mais de um, além desse empreendimento citado acima, estou envolvido com um grande loteamento no litoral de SC. Oportunidade de compra de terrenos muito abaixo do valor que deveriam ter, por conta de pequenos inconvenientes que minha participação no negócio visa solucionar.

Todos os dias surgem oportunidades desse tipo na minha mesa. Nem todas são interessantes, nem todas cabem nas minhas habilidades, mas com certeza há alguma em que você poderia se encaixar e lucrar. Meu trabalho é estar de olhos e ouvidos atentos. E simplificar, explicar, e orientar.

Se você procura uma boa oportunidade de onde investir, certamente podemos conversar.

A porta está aberta. Seja bem vindo.

Adquira seu imóvel rapidamente através dos consórcios. Plano Imóvel Rápido. Por TEMPO LIMITADO.

Se você sempre pensou em adquirir um imóvel rapidamente (em pouco mais de um ano) e ao mesmo tempo queria usar o consórcio para isso, sua chance parece ter aparecido.

Antes de mais nada, deixa avisar: este plano é único e as vagas são limitadas a 180 cotas. Quando acabar, acabou, então se os detalhes abaixo lhe interessarem, aja enquanto há tempo.

A Rodobens acaba de lançar um plano exclusivo, que só pode ser adquirido mediante reserva prévia, limitado a duas cotas por CPF. Eu sou um dos representantes que pode solicitar essas pré-reservas, então se o resto do texto lhe interessar, já sabe com quem falar.

O que este plano tem de tão bom?

Este é um plano específico para quem deseja contemplar sua cota relativamente rápido, porém com um lance relativamente baixo. Neste plano só há lances fixos, e a medida em que o plano avança, a quantidade de parcelas do lance fixo vai diminuindo. Além disso, quem contempla por sorteio, se compromete a antecipar uma quantidade específica de prestações, aumentando com isso o saldo do grupo e permitindo mais entregas pelo lance fixo. Os lances fixos só começam a ser contemplados depois do primeiro ano do grupo.

O resultado de toda essa matemática de lances e antecipações é que o saldo vai compondo ao longo dos primeiros meses, e a partir da décima segunda assembléia, quem ofertar o lance fixo de 60 parcelas deve ser contemplado naquele mês. Nos meses seguintes, o lance fixo vai diminuindo em uma parcela por mês, de forma que todos que forem contemplados nesta modalidade de lance o farão com uma quantidade total de 72 prestações pagas.

Os detalhes podem ser vistos no Termo de Aditamento do grupo.

Detalhes do grupo:

Este grupo é de exatos 180 meses, com 180 participantes (180 cotas), não podendo optar por pagamento em prazos diferentes. Podem, entretanto, ser antecipadas parcelas, contando estas antecipações como parte de eventual lance vencedor.

Todas as cotas são de R$ 200.000.

Podem ser adquiridas apenas duas cotas por CPF.

As prestações são de R$ 1.575,87, corrigidas anualmente pelo INCC, com a primeira correção no décimo quarto mês. A tabela do Plano Imóvel Rápido traz os detalhes.

Para adquirir, entre em contato, indicando seu interesse no Plano Imóvel Rápido. Como estas cotas só podem ser adquiridas mediante reserva, preciso solicitar as mesmas antecipadamente e então lhe envio as orientações de como fazer a aquisição diretamente na página de vendas.

Entrevista para o canal Educar Imóveis, do Rafael Jantsch

Mês passado o Rafael Jantsch, do canal do Youtube Educar Imóveis me convidou para uma entrevista. Acredito termos tratado dos principais tópicos relevantes em relação ao uso dos consórcios imobiliários como ferramenta para formação de patrimônio.

Após assistir a entrevista aproveite para assinar o canal do Rafael. Lá você encontrará uma infinidade de videos sobre investimentos em imóveis.

Esta é a Rede Rica! Uma curadoria de conteúdo feita para facilitar sua vida ao apresentar os melhores textos e videos para seu desenvolvimento pessoal e financeiro.

Por que você deve pensar em adquirir um imóvel neste momento?

Vésperas de eleições, quem pensa em investimentos de longo prazo neste momento? Eu. E todos que gostam de fazer o dinheiro multiplicar em períodos mais curtos que o normal quando a situação indica esta possibilidade.

O texto abaixo representa minha opinião pessoal sobre a situação do mercado e do país neste momento específico, não sendo nenhuma indicação de investimento. Serve apenas como reflexão caso você deseje saber o que penso sobre imóveis para os próximos meses.

Acredito que depois de um bom tempo sem observar valorizações expressivas no preço dos imóveis, e, ao contrário, termos diversas ofertas de construtoras e incorporadoras, além das pessoas físicas que precisam vender para cumprir com suas obrigações pessoais nesta recessão pela qual passamos, os preços dos imóveis estejam em um bom valor para aquisição.

Levando em conta a premissa acima, de termos um bom valor de compra (claro que não são todos imóveis que cumprem esta condição, pesquisar bem é sempre necessário), a simples compra de um imóvel neste momento já se torna um negócio relativamente bom, afinal, é um bem físico, seguro, que representa um patrimônio que não corre o risco de ser confiscado pelo governo ou de ir à falência, ou ainda de ser comido pela inflação.

Acredito, porém, que neste momento, justamente por conta das eleições, temos um excelente motivo para comprar um imóvel através de financiamento bancário. O que??? Financiamento? Juros altos? Como assim??? Vindo de ti, Fabrício?

Eu explico. Não sei o que vai acontecer nos próximos meses. E não saber, é libertador. Não saber, e assumir isso, torna tudo mais fácil. Os passos a serem dados precisam levar em conta as diferentes possibilidades. E neste momento só vejo duas ou três possibilidades. Ou tudo melhora drasticamente (supondo um futuro presidente pró-mercado, liberal e privatizador) e neste caso temos os imóveis valorizando bastante, por conta da melhora do país como um todo, ou tudo piora de forma gritante (com recessão, volta da “nova matriz econômica”, estatização, aumento dos juros, etc), com os imóveis valorizando como alternativa segura de investimento frente ao caos do mercado.

Comprar um imóvel financiado neste momento, caso consigamos algumas premissas básicas, pode ser uma excelente maneira de buscar até 100% de rentabilidade em questão de um ou dois anos. Que premissas são essas? Procurar por um imóvel já pronto para usar, conseguir comprar com uma entrada baixa (20% a 30% do valor do imóvel) e conseguir uma taxa de juros baixa, digamos, abaixo de 10% ao ano.

Como conseguir 100% de lucro em tão pouco tempo?

O financiamento (ou melhor, a entrada baixa) é o pulo do gato para obter lucros acima da média. Vamos fazer uma simulação rápida de um imóvel de R$ 200.000, que aqui em Porto Alegre implica em um apartamento de um dormitório com garagem, em um bairro bom da cidade. Conseguindo comprar esta imóvel com uma entrada de 20%, ou R$ 40.000, e financiando o saldo em mais de 30 anos, com juros de 10% a.a., temos uma prestação de aproximadamente R$ 1800 mensais. Calculando o valor de entrada, mais um ano inteiro de prestações, temos aí pouco mais de R$ 60.000 pagos neste período. Se nosso apartamento valorizar 30% por conta das premissas anteriores que tratam deste momento atual do mercado, e conseguirmos vender o mesmo por R$ 260.000, já temos aí nosso lucro de 100% (menos os impostos, claro).

Claro que não há nenhuma garantia para estes lucros, mas estruturando a operação desta forma, podemos multiplicar nosso lucro de maneira fenomenal. E mais que isso, ficamos protegidos do futuro, seja ele qual for, depois das eleições.

Se ganhar um candidato pró-mercado e as taxas de juros baixarem significativamente, podemos fazer a portabilidade da dívida e trocar de banco por uma taxa mais em conta. Se ganhar um candidato que o mercado não goste e tivermos elevação das taxas de juros, teremos em mãos uma dívida bastante barata, valorizando ainda mais nosso investimento. Ganharíamos com a valorização do imóvel, e desvalorização da dívida.

Cereja do bolo.

Tudo isso, e não falamos do aluguel, que pode pagar boa parte da conta ao diminuir muito o valor que teremos que desembolsar diretamente para o pagamento das prestações. A diferença dos impostos, taxas e comissões envolvidas em toda negociação pode sair deste valor, nos proporcionando realmente os 100% de lucro líquido no investimento, para um aumento de apenas 30% no valor real do imóvel. E se você acha um ano um prazo muito curto para isso tudo acontecer, aumente o prazo e faça seus cálculos. Se levar dois, três anos para concretizar a valorização e venda do imóvel, ainda assim, como se compara seu lucro com outras alternativas de investimento?

Quem é um pouco mais empreendedor, pode lucrar um pouco mais, mobiliando o apartamento e alugando por temporada (claro que buscando regiões propícias a isso, neste caso) através de AirBNB ou serviços semelhantes. Com um retorno maior nas locações por temporada, pode ser possível pagar integralmente as prestações do financiamento com o valor recebido, tornando os lucros ainda melhores. Há ainda a possibilidade de montar espaços de co-working, com a compra de salas comerciais ou até mesmo com a compra de imóveis residenciais para profissionais que não façam atendimento ao público. As formas de lucrar são bastante variadas para quem tem criatividade.

Há riscos? Claro que sim, todas minhas premissas podem ser equivocadas, mas compare esta possibilidade com o tempo que leva para dobrar seu capital em investimentos tradicionais com as taxas atuais (poupança, 14 anos; renda fixa, 10 anos). Vale a pena pensar no assunto?

Como sempre, fico a disposição para conversar mais sobre este assunto. Estou mergulhado neste mercado e posso ajudar de diversas maneiras, seja na busca de imóveis que se encaixem nestas idéias, seja na liberação de financiamento a taxas baixas, seja na formatação de um negócio de locação por temporada ou ainda a criação de espaços de co-working.

Abraço, e bons lucros para nós todos.

O maior erro de quem começa a estudar investimentos

O maior erro de quem começa a estudar investimentos e deseja enriquecer ou conquistar a independência financeira é perder tempo tentando descobrir investimentos que rendam um pouco mais do que os investimentos considerados tradicionais, em vez de usar seu tempo pensando em maneiras de ganhar mais dinheiro e assim poder ter maiores valores para investir mensalmente.

Não quero com isso dizer que obter uma boa rentabilidade seja ruim, claro que não, só que uma melhora sutil na rentabilidade é irrelevante, se os valores que você possui para investir sejam também irrelevantes.

Vou desenhar uma “fórmula” aqui:

RIQUEZA = DINHEIRO x RENTABILIDADE ^ TEMPO

Riqueza igual ao dinheiro investido multiplicado pela rentabilidade elevada ao tempo. O importante aqui é notar que das variáveis envolvidas, DINHEIRO é a que temos as melhores condições de aumentar consideravelmente.

Rentabilidade é difícil de melhorar de forma considerável. Leve em conta que o Warren Buffet, considerado um dos maiores investidores do planeta, tem um histórico médio de rentabilidade de 20% ao ano em seus investimentos, ou seja, não será você nem eu, gênios, que conseguiremos muito mais que isso em média ao longo dos anos.

Tempo também é limitado, no sentido de não podermos aumentar ele de forma significativa. Se você tem 20 anos e pretende se aposentar com 50 anos, estamos falando aí de 30 anos. Você pode levar uns anos a mais e postergar sua aposentadoria até os 60 ou 65 anos, mas ainda assim, é um aumento de apenas 50% em relação ao planejamento original.

Já o dinheiro, não há limites para o quanto você pode aumentar. Se você começa a investir R$ 500 mensais quando ganha R$ 1500 no estágio, ainda morando com seus pais, é relativamente fácil dobrar este valor quando você pula do estágio para um emprego formal e recebe seu primeiro aumento. Passar de R$ 500 a R$ 1000 é um incremento de 100% nos seus investimentos. Pular de R$ 1000 para R$ 2000 também, e se você ainda está começando a estes valores parecem altos, é simplesmente porque você ainda não se deu conta de que é aí que você precisa investir seu tempo e suas energias.

Em vez de pensar como ganhar 20% a mais do que o CDI, que é bastante, mas calculando bem, resulta em apenas 1,5% a mais de rentabilidade anual, pense em como você pode aumentar seus ganhos e assim, como pode aumentar seus investimentos mensais.

Se você tem R$ 10.000 investidos, o que é mais fácil, encontrar um investimento mágico que lhe permita lucrar muito mais que a média (que como vimos acima, representa 1,5% a mais no ano), ou encontrar uma forma de ganhar R$ 150 a mais com seu trabalho, de maneira a investir esse valor extra? E note que isso vale para qualquer patamar de investimentos, ou seja, se você tem R$ 100.000 ou R$ 1.000.000, o que é mais fácil, encontrar o investimento mágico, ou simplesmente faturar R$ 1500 ou R$ 15.000 a mais com o trabalho ou negócio que lhe permitiu juntar os R$ 100.000 ou R$ 1.000.000 originalmente?

Não perca tempo procurando fórmulas mágicas. Foque em ganhar mais para poder ter mais para investir.

Alugar ou comprar imóvel com financiamento?

Um dos termos que sempre utilizo para explicar a diferença entre alugar ou comprar um imóvel através de financiamento, é que o financiamento nada mais é do que um “aluguel do dinheiro”, e que este aluguel do dinheiro costuma ser muito mais caro do que o aluguel do imóvel. Tudo isso, sem deixar de lado toda a questão de flexibilidade que o aluguel proporciona em relação ao engessamento de ter um compromisso de longa duração com um financiamento, ou da dificuldade de passar isto adiante no caso de mudanças de planos neste mundo tão dinâmico em que vivemos.

Que felicidade a minha então em assistir hoje a este video do amigo Gustavo Cerbasi tratando exatamente deste tema com tanta propriedade. Assista abaixo, assine o canal do Gustavo para ver sempre os novos videos dele e siga em frente nas melhores escolhas para sua vida financeira.

Esta é a Rede Rica! Uma curadoria de conteúdo feita para facilitar sua vida ao apresentar os melhores textos e videos para seu desenvolvimento pessoal e financeiro.

Como lucrar com o aluguel de imóveis, sem possuir um imóvel

Papai Investidor também é Papai Empreendedor!

Uma das coisas que mais escuto quando converso com outras pessoas sobre negócios é:

“Eu queria montar meu próprio negócio, mas não tenho dinheiro para isso.”

Depois de alguns minutos de conversa, a segunda frase que mais costumo ouvir é:

“Mas Fabrício, de onde é que tu tiras estas idéias malucas?”

Então hoje vou jogar ao vento uma das idéias malucas que tenho desenvolvido nos últimos tempos. Ela é tão simples, que chega a ser ridículo ver que tão pouca gente use esta idéia para ganhar caminhões de dinheiro de uma maneira extremamente fácil de implementar, com custos baixíssimos e de uma forma que permite um crescimento orgânico muito rápido. E ainda digo mais, para quem quer ganhar muito e ainda morar fora do país, é uma maneira trivial de se mudar já com um negócio andando para gerar sustento, principalmente se a mudança envolver uma cidade altamente turística.

Tenho um amigo (escrevendo isso acabo de lembrar que tenho três amigos que fazem isso) que possui um negócio de co-working. Uma explicação rápida para quem não conhece o termo, é um espaço compartilhado de trabalho, onde pequenos empreendedores podem contar com a estrutura básica de internet, limpeza, atendimento telefônico e um endereço físico onde receber os clientes e correspondências. Basicamente é uma sala grande, ou uma casa, com espaços de trabalho que são sublocados por cada empreendedor. Em muitos casos, o espaço sublocado é simplesmente uma mesa e uma tomada. E estes amigos empreendedores são os responsáveis pelo aluguel original da sala ou casa onde montaram seu espaço de co-working, e pela contratação dos serviços e pessoas que trabalham para manter o local funcionando. É um modelo de negócio relativamente simples, mas ainda assim, cheio de detalhes para que realmente dê certo, como a habilidade em atrair as pessoas para trabalhar lá, conseguir criar um ambiente agradável para todos, definir regras básicas de convívio entre os “inquilinos”, etc.

Esses negócios de co-working são uma maneira de ganhar dinheiro com o aluguel de imóveis sem possuir nenhum imóvel, visto que na maior parte dos casos estes funcionam alugando o espaço original. A idéia maluca, entretanto, não é montar um negócio de co-working, isso já é old school, todo empreendedor descolado já pensou no assunto. Até empresas sem relação com esse meio pensam em fazer isso. Outro amigo (o quarto dos que conheço que já possuem estes negócios) é dono de um bar e fabricante de cerveja artesanal. Também ele pensa em usar um espaço que está sobrando em seu grande galpão/bar/cervejaria, para locar como espaço de co-working.

Ok, suspense demais, qual é a grande idéia?

Alugar pequenos apartamentos de um dormitório ou pequenos estúdios, em boas localizações, em contratos de longo prazo. Ok, e daí? Vou morar lá? Não. Depois de contratar o aluguel, de preferência negociando um valor mais baixo mediante um contrato de prazo mais extenso e possivelmente conseguindo uma carência de alguns meses no início do pagamento do aluguel para uma pequena reforma inicial, a idéia é preparar o apartamento para ser usado como base de curto prazo, ou seja, contratar uma boa conexão com a internet, um plano de TV a cabo e mobiliar o apartamento para que seja um misto de “minha própria casa”, com uma cozinha simples, mas funcional e com todos os utensílios necessários, uma boa cama de casal, eventualmente um sofá-cama extra, e uma boa mesa de trabalho. Coisa simples, mas de bom gosto.

Com isto feito, basta sublocar o apartamento em prazos mais curtos através do AirBNB ou um site próprio que mostre as vantagens deste apartamento sobre a alternativa de ficar em um hotel para quem vem visitar sua cidade (ou a cidade onde você mantém seu imóvel de aluguel de curto prazo). Tome cuidado em colocar essa possibilidade no seu contrato de aluguel original para evitar problemas.

Aí está, um modelo de negócio simples de implementar, que exige muito pouco capital inicial, de baixíssimo risco, e que pode gerar uma excelente renda em muito pouco tempo. Basta saber como divulgar e garantir uma ocupação mínima que banque os custos mensais, o que não é tão difícil assim, dados os valores de aluguel mensal de um apartamento de um dormitório, versus os valores de diária de um quarto de hotel mediano que nunca será tão confortável quanto um apartamento completo.

Quem começar a ganhar dinheiro com isso pode entrar em contato para eu divulgar aqui sua hospedagem. E se sobrar uma comissão a título de royalties pela idéia, a família agradece 🙂

No dia das crianças, dê um apartamento para seu filho!

Amanhã é o dia que toda criança espera ansiosa para ganhar presentes. Porque você não inova e em vez do presentinho tradicional, ou melhor, além do presentinho tradicional, você não dá para seu filho algo que realmente fará uma diferença significativa em seu futuro: um apartamento!

Porquê um apartamento?

O jogo da vida é o mesmo para todos. Assim como aconteceu conosco, um dia acontecerá com nossos filhos. Eles crescerão, se formarão em uma faculdade, começarão a trabalhar, seja como empregados, seja em seus próprios negócios, e pensarão em sair de casa para viver por conta própria. As cartas que temos na mão no início do jogo não decidem o resultado final, nossa forma de jogar também é muito importante, mas não dá para negar que é muito mais fácil de ganhar quando já começamos com boas cartas.

Possuir um apartamento no início da vida permite que nossos filhos utilizem todas suas energias no que realmente fará a maior diferença em seus futuros. Permite que eles foquem em construir seu conhecimento, em crescer na carreira que escolheram, em fazer crescer a empresa que decidiram fundar, em vez de terem que se contentar com o emprego que conseguirem, para poder pagar aluguel em um apartamentinho que nunca será deles, fazendo todo seu dinheiro escorrer para o bolso de outros, em vez de estarem construindo para si mesmos.

Eu sei disso por um motivo muito simples: em 1996, quando me formei em computação, abri minha empresa de internet e decidi morar sozinho, havia um apartamento esperando para eu morar. Meu pai havia planejado, anos antes, a maneira de conseguir realizar este sonho. A chave foi o planejamento antecipado, que tornou algo enorme como um apartamento, em uma coisinha simples todos os meses anteriores. O mesmo aconteceu alguns anos depois com minha irmã do meio e em mais alguns anos, com minha irmã mais nova. O planejamento e esforço do nosso pai nos permitiu largar na frente no jogo da vida. Trabalho em equipe, uma geração ajudando a seguinte.

Como fazer?

Seja qual for a idade do seu filho, começar já é a melhor forma de adiantar a vida deles. Se forem ainda bebês, começar já poderá ser a chave para proporcionar não apenas um apartamento para morarem quando chegar a idade de sair de casa, mas também de terem um carro disponível na garagem sem que você precise pagar por isso. Se já forem um pouco maiores, talvez você precise ajudar um pouco mais se quiser também dar um carro para eles na maioridade.

Você começa fazendo um consórcio de imóvel no nome de seu filho. Você assume pagamentos mensais que corrigem anualmente de acordo com a variação do custo de construção, corrigindo na mesma proporção o crédito que seu filho terá disponível para o imóvel que irá comprar. É como se fosse uma poupança onde, em vez de correção mensal, a correção fosse anual. Seu plano de casa própria para o filho está andando. O que acontece depois?

Após alguns anos, para alguns mais cedo, para outros mais tarde, o consórcio será contemplado pelo sorteio. Neste momento, você adquire o imóvel para seu filho, e como provavelmente ainda não estará na hora dele sair de casa, ele poderá alugar este imóvel, recebendo renda antes mesmo de começar a trabalhar! Essa renda poderá então ser usada para a segunda parte do plano: iniciar um consórcio de automóvel.

Fazendo isso conseguimos formar um patrimônio inicial para nosso filho começar a vida de forma mais tranquila, damos a ele um bom conforto inicial, mas principalmente, se formos conversando com ele sobre o assunto ao longo dos anos, mostrando mês a mês o pagamento das parcelas, reforçando a idéia de que estes pequenos pagamentos mensais se transformarão em seu futuro apartamento e em seu futuro carro, estaremos ensinando a nossos filhos o poder do planejamento e da compra programada, tirando-os da corrida dos ratos que faz a maioria querer ter tudo de imediato através de dívidas caríssimas e cheias de juros.

Eu ainda não tenho filhos. Tenho planos para isso no futuro próximo, mas há alguns anos já venho planejando o futuro que desejo para eles. Sei o quanto o planejamento do meu pai ajudou a mim e minhas irmãs e desejo o mesmo ou mais para meus futuros pimpolhos. Possuo hoje mais consórcios em andamento do que a quantidade de filhos que poderia ter 🙂

E se você realmente não planeja ter filhos (e chegou até aqui na leitura deste texto), ah, dê um futuro planejado para a criança que ainda há dentro de você!

Adquira seu consórcio através da Megacombo, contando com meu acompanhamento e orientação pessoal ao longo de todos os anos que virão. Vai ser um prazer enorme lhe atender e ajudar seus filhos a começar mais na frente no jogo da vida. Basta seguir o passo a passo descrito em http://www.megacombo.com.br/como-investir.

Um grande abraço e feliz dia das crianças!