Invista em Bitcoins AGORA! Lucros potenciais de mais que 25 vezes o valor investido.

Algum tempo atrás, pessoas bem informadas sobre o assunto, como Kim Dotcom, indicaram o investimento em Bitcoins. A moeda estava cotada na época em US$ 375. Hoje pela manhã, ultrapassou a marca de US$ 4000.

Estas mesmas pessoas bem informadas estimam que nos próximos poucos anos o valor do Bitcoin possa passar dos US$ 100.000. É um crescimento de 25 vezes em poucos anos, talvez até poucos meses.

A idéia aqui não é vender sua casa e comprar tudo em Bitcoin. Há riscos reais e todos podem estar delirando. Porém uma coisa é certa, existe a chance verdadeira dessas previsões se materializarem e termos uma valorização de 25 vezes ou mais. E a pior das alternativas, é o Bitcoin simplesmente deixar de existir e perdermos tudo que investimos. Você só pode perder o que investir, mas pode ganhar de forma ilimitada.

Dadas estas expectativas, acredito fortemente que uma APOSTA no Bitcoin seja uma aposta altamente assimétrica. No caso de ganhos, eles são substanciais. No caso de perda, são limitadas ao valor que apostamos.

Dependendo de suas possibilidades e patrimônio pessoal, acredito que uma aposta entre R$ 1.000 a R$ 10.000 seja completamente factível e que em caso de perda, tal valor seja pequeno o suficiente para não impactar significativamente seu futuro. Claro que ninguém gosta de perder, mas neste caso específico, acredito que as chances de lucro são muito maiores do que as de perda.

O que fazer:

Comprar entre 1% a 5% do seu patrimônio pessoal de investimentos em Bitcoins.

Se você tem R$ 100.000 em investimentos, compre R$ 1.000 só para ver como funciona. Se você só possui R$ 10.000 investidos, compre R$ 100 ao menos para estar por dentro deste assunto.

Como fazer:

Vou escrever um relatório em breve explicando o passo a passo de como funcionam os Bitcoins e como comprar e armazenar de forma segura suas moedas virtuais. Há uma série de questões importantes de segurança que exigem certo conhecimento para evitar perdas e fraudes, mas não é nada que pessoas que saibam ler e escrever não consigam compreender. Se você consegue ler e entender o que estou escrevendo aqui, você está apto a comprar suas primeiras Bitcoins.

Enquanto o relatório não sai (e pode demorar um pouco), fico disponível para auxiliar pessoalmente um a um. Não vai ser para todos, infelizmente, visto que meu tempo é limitado, mas entre em contato para agendar um horário e veremos o que dá para fazer.

Nesta consulta conseguiremos cobrir o conhecimento básico necessário para realizar a compra de Bitcoins aqui no Brasil, entender o funcionamento das empresas envolvidas nesta transação, aprender como armazenar suas moedas digitais em uma carteira eletrônica diretamente no seu computador ou telefone celular (de forma provisória), como fazer pagamentos (minha hora técnica será paga nesta ocasião, diretamente em Bitcoins), e finalmente como armazenar seus Bitcoins em uma “carteira de papel” bem mais segura do que as carteiras acessíveis pela internet.

Não se preocupe com os termos que não foram compreendidos, vou explicá-los um a um na nossa conversa particular.

Explicação um pouco mais detalhada:

O Bitcoin é uma moeda virtual que possui uma quantidade máxima limitada em circulação por definição técnica. É a moeda virtual de destaque, foi a primeira e é a que até agora mais vingou no mercado. Entre as moedas virtuais, o Bitcoin é o “dólar”, reconhecido e aceito por todos.

Diferente de moedas tradicionais emitidas por países, não há um banco central para as Bitcoins. Todos são co-responsáveis pelo funcionamento do sistema, e a saída de uns ou outros não impacta a continuidade, ou seja, é totalmente descentralizado e sem entidades que a controlem, com seu funcionamento sendo mantido por consenso entre os participantes do sistema.

O Bitcoin permite coisas que o sistema financeiro tradicional não permite. Uma das frases famosas relacionadas à moeda digital é “seja seu próprio banco.” Ou seja, o Bitcoin permite que você tenha controle sobre seu dinheiro. É como armazenar ouro em casa, mas sem os empecilhos logísticos que o metal impõe.

Com o Bitcoin, você pode comprar a moeda digital na Europa, pagando em euros, e logo depois vender no Brasil, recebendo em reais. Tudo isso sem taxas de transferência enormes cobradas pelos bancos, até porque você faz isso completamente sem intermediários bancários. Tudo simples, tudo rápido. Porém, não pense que isso seja um convite para a lavagem de dinheiro e evasão de divisas. Para comprar Bitcoins você precisa se identificar devidamente perante a bolsa de negociação entre quem deseja vender e quem deseja comprar, então tanto na Europa, quanto no Brasil, para ficar apenas neste exemplo, você teria que se identificar em ambos locais, identificando a fonte do dinheiro. Claro que há alternativas para comprar seus Bitcoins diretamente de pessoas físicas, sem passar por exchanges registradas, mas vamos nos manter nas alternativas mais simples para os exemplos aqui.

A medida em que mais pessoas começam a se dar conta destas possibilidades, e acima, só listei uma delas, mais e mais gente passa a ter interesse em utilizar esta moeda. E como sua quantidade é limitada, com maior procura, temos junto mais valor.

Então a situação é simples. Faça sua aposta. Invista um valor que não lhe cause desconforto muito grande de por acaso for perdido. E prepare-se se os prognósticos de quem conhece este assunto e já lucrou muito até agora estiverem certos. Sua fortuna pode estar a poucos anos de distância. Só depende de você dar os passos necessários.

Mais uma vez, fico disponível para auxiliar pessoalmente um a um. Dado o limite de tempo que tenho disponível, entre em contato para agendar um horário e veremos o que dá para fazer. Em uma hora conseguimos cobrir o conhecimento básico necessário para realizar a compra de Bitcoins aqui no Brasil, entender o funcionamento das empresas envolvidas nesta transação, aprender como armazenar suas moedas digitais em uma carteira eletrônica diretamente no seu computador ou telefone celular (de forma provisória), como fazer pagamentos (minha hora técnica será paga nesta ocasião, diretamente em Bitcoins), e finalmente como armazenar seus Bitcoins em uma “carteira de papel” bem mais segura do que as carteiras acessíveis pela internet.

Não se preocupe com os termos que não foram compreendidos, vou explicá-los um a um na nossa consulta.

Boa fortuna para você.

Letras miúdas, não tão miúdas:

Como já escrevi acima, investir em Bitcoins é uma coisa nova, sem nenhuma garantia de que vá trazer lucros, e que pode inclusive implicar na PERDA TOTAL DO VALOR INVESTIDO, seja porque este mercado deixe de existir do dia para noite, seja por erros no uso ou manuseio de seus recursos digitais ou perda de senhas de acesso, ou por qualquer outro motivo não previsto aqui. Só invista se estiver consciente disso. Não me responsabilizo por suas decisões. Lembre-se de que se “você é o seu próprio banco,” isso significa que você é o responsável por proteger seu dinheiro.

De volta aos videos. Feito é melhor que perfeito. Faça o que funciona sempre.

Estou de volta, depois de quase três anos de “licença paternidade”. Feito é melhor do que perfeito, então este e os próximos videos devem ser assim, simples, rápidos, feitos com a câmera do celular mesmo, mas sempre com algum conteúdo relevante que te ajude a ficar um pouco melhor a cada dia. Posso não conseguir ajudar todo mundo, mas se um video meu fizer a diferença na vida de pelo menos uma pessoa, já valeu o tempo que dediquei a isso.

Todos os dias você têm uma escolha: pode fazer o que sempre funcionou para todo mundo, ou pode tentar encontrar um atalho. Na vida financeira também é assim, você pode investir de uma maneira simples e até tediosa, mas que funciona, ou pode tentar descobrir o Santo Graal dos investimentos e tentar enriquecer da noite para o dia. Não caia nesta tentação. Na melhor das hipóteses, você irá perder seu tempo. Na pior, irá perder tempo e dinheiro.

Todos podem ser ricos, meu novo livro

A riqueza não é algo que acontece na vida de uma pessoa da noite para o dia. A riqueza precisa ser conquistada. Só que ao contrário da crença popular, esta conquista não é algo trabalhoso ou difícil. Esta conquista se dá simplesmente com a criação de novos hábitos, dos hábitos naturais das pessoas que souberam como enriquecer.

Este livro lhe mostrará quais são estes hábitos e como incorporá-los na sua nova vida.

Antes que surjam as perguntas, ainda não está completo e não tenho um prazo definitivo para concluir a escrita. Tenho a estrutura básica definida, o título é este que indiquei e concluí o rascunho de um terço dos capítulos. Provavelmente lance uma versão em formato ebook gratuita e uma versão impressa logo depois.

Osama, Obama, fatos, tragédias e suas relações conosco e com nosso dinheiro

No dia 11 de setembro de 2001, quando as torres gêmeas vieram ao chão, aprendi algumas coisas importantes sobre como funciono sob stress emocional.

2001

O que estava acontecendo era demais para eu conseguir entender. Entendia os fatos em sí, mas a brutalidade, a proporção, a execução, tudo isso fez com que meu cérebro desligasse qualquer processamento lógico. Era apenas emoção, tentando aceitar o que tinha acontecido. Alguns meses antes estava planejando ir aos EUA. Ficaria na casa de um amigo que morava perto de Nova Iorque. Quando cairam as torres, tentei contato com ele e só consegui muitas horas depois. Ele então me disse que estava a trabalho na segunda torre, no quarto andar, enquanto caía a primeira torre. Se tivesse viajado para os Estados Unidos, teria aproveitado a oportunidade de ir junto com ele ao World Trade Center, mas como não estaria trabalhando, certamente iria ver a vista no topo do prédio. Sem chances de chegar ao solo a tempo.

Uns meses antes, a empresa onde trabalhava, uma startup de internet que recebia investimentos vindos dos EUA, sofreu com o estouro da bolha de internet e ficou sem recursos para continuar. Estava há seis meses sem receber e, com minhas reservas acabando, achei mais prudente cancelar a viagem. Alguns dizem que foi sorte. Outros chamam de providência divina. Eu apenas digo que:

Quando nos acontecem coisas ruins, geralmente há algo bom relacionado. Pode ser uma “sorte”, ou pode ser uma chance de aprender algo. Normalmente não temos ainda a capacidade de compreender as implicações disso, mas aprendi a aceitar as pequenas tragédias diárias e a tentar sempre buscar algum aprendizado delas.

Escapei da tragédia. Meu dinheiro, não.

Naquela época todo meu patrimônio estava investido em ações. Havia multiplicado meu dinheiro em poucos anos. Com um investimento inicial de R$ 3000, fiz o mesmo crescer para R$ 15.800 em apenas dois anos na bolsa de valores. Estava com ações em carteira que sabia serem bastante voláteis na época, mas não ficaria com elas muito tempo então não havia motivos para preocupação. A não ser, claro, se destruíssem a confiança do planeta de um dia para o outro.

Minhas ações despencaram de R$ 15.800 para apenas R$ 700 (não esqueci um zero, são setecentos reais mesmo). Só notei isso três dias depois, quando saí do estado de choque em que estava com a tragédia e lembrei: “minhas ações!”

Nada que possuímos é concreto. Tudo pode mudar de uma hora para outra. O mundo tem tantas variáveis em jogo que é impossível termos o controle de tudo. É impossível termos controle.

2011

Em 2010 visitei aquele amigo que citei na história anterior. Desta vez na Califórnia, do outro lado dos EUA. Fiquei pouco tempo no Silicon Valley, mas o suficiente para reacender a chama do que um dia havia sido meu sonho de nerd adolescente, morar no vale do silício, berço das empresas de tecnologia. Em março deste ano estava prestes a me mudar para lá para uma temporada de seis meses, uma espécie de mini-sabático, já que continuaria a tocar meus negócios de investimento em imóveis e consórcios imobiliários através da internet.

Poucas semanas antes da viagem recebo um convite irrecusável, com uma proposta de viagem ao Japão para duas semanas divulgando o investimento em consórcios e o investimento em imóveis para um grupo de 350 famílias de brasileiros que moram e trabalham lá. Prorrogo a viagem aos EUA por 12 dias e arrumo as malas para o Japão. Tudo corre bem nesta viagem, mas fico chateado de não ter conseguido ficar alguns dias a mais para aproveitar o lançamento de dois produtos eletrônicos que estava aguardando, uma máquina fotográfica Fuji X100 e o iPad 2.

Voltando do Japão, faço escala em Nova Iorque um dia antes do lançamento do iPad 2. UM DIA!!! Chego no Brasil e ao ligar meu celular, ainda em São Paulo, começo a receber mensagens perguntando se já havia voltado, se estava tudo bem porque a família estava preocupada… Entro no twitter e vejo do que estão falando. Saí do Japão exatamente um dia antes dos terremotos e tsunamis. Sem máquina fotográfica, sem iPad 2, mas com vida.

Osama, Obama e o nosso dinheiro.

Há coisas sobre as quais não temos controle, mas nem por isso devemos desligar o cérebro, deixar de planejar e deixar a vida simplesmente nos levar. Sim, as vezes não há o que fazer, é mais forte do que nós, como foi o estado de choque que fiquei com a queda das torres gêmeas. Porém outras vezes, simplesmente não nos damos conta das implicações de certos fatos, não por conta de algum bloqueio, mas porque apenas não paramos tempo suficiente para pensar. Tudo é tão corrido em nosso dia a dia, que acabamos não dedicando tempo para digerir as notícias do dia. Apenas as recebemos de maneira automatizada, sem realmente as processar. Em relação às notícias desta semana, você já pensou nas implicações que esta notícia tem para o mercado, para o ânimo dos americanos, para a percepção mundial sobre os Estados Unidos? Já pensou que implicações a morte do Osama traz para seu dinheiro e seus investimentos?

Não tenho bola de cristal, mas tenho algumas opiniões sobre o futuro da bolsa de valores no Brasil. Você investe em ações? Eu acho que nossa bolsa vai cair nos próximos meses. Tenho uma teoria sobre este assunto. Com o aumento da confiança na economia americana e as melhoras dos fundamentos atreladas a isso, muito dinheiro que hoje está em países emergentes, leia-se, Brasil, irá voltar aos EUA, derrubando com isso o mercado altamente inflado que vinhamos tendo nos últimos anos. Acho que a morte do Osama irá causar na população norte-americana uma reação do tipo “nós conseguimos realizar tudo o que nos propomos”. Na minha opinião, correções fortes virão. E já estou me preparando para aproveitar as barganhas.

E você, o que acha? Desculpe misturar tantos assuntos em um só texto, mas você já me conhece, sabe que meu cérebro nunca fala de algo sem pensar em suas diversas interrelações. E no final das contas, quem faz as melhores relações entre fatos aparentemente desconexos, acaba agindo mais cedo e aproveitando as melhores oportunidades 🙂

Deixe de ser preguiçoso se você deseja investir bem em imóveis!

Passei aqui rapidinho só para dizer que ontem publiquei um novo texto no meu site sobre Investimento em Imóveis. Clique no título abaixo para ler diretamente o original.

Artigo: Deixe de ser preguiçoso se você deseja investir bem em imóveis!

Abraço e sucesso!

Made in Japan

Castelo Hikone, foto do meu amigo Marco Bianchini.

Tudo que eu escrevo acontece.

Parto em viagem de trabalho ao Japão na segunda-feira, dia 21 de fevereiro de 2011. Fico lá até dia 10 de março na região de Suzuka, mais especificamente em Kameyama. Para acompanhar a viagem, siga-me no Twitter, veja as fotos no Flickr e lembre-se de assinar para receber meus textos aqui do Peruzzo.Org diretamente no seu email, cadastrando-se na barra lateral do site.

A semana passada foi intensa. Estávamos com a passagem para os EUA marcada para dia 18 de março. Toda preparação prévia estava pendente, entre elas:

  • vender o apartamento onde moramos;
  • vender alguns imóveis de investimento na planta;
  • vender as coisas que não precisaremos depois que voltarmos, principalmente alguns eletrônicos, computadores, notebooks, máquinas fotográficas, filmadoras e alguns móveis;

Semana passada acertamos a venda do apartamento, acertamos a venda dos três apartamentos que tinhamos na planta e ainda aconteceram uma série de fatos incríveis. Vamos por partes…

Há quatro anos…

Há quatro anos minha sobrinha estava morando no Japão. Minha esposa é madrinha dela. Planejamos visitar eles lá dois anos depois de terem se mudado. Antes disso, voltaram para o Brasil. Sem a viagem para o Japão, ficamos aquele ano no Brasil, compramos um apartamento bem maior (escrevi que moraria com mais espaço em meu plano de vôo de 2006) e no ano seguinte fomos para Europa. Conhecer o Japão havia ficado para trás. Sem minha sobrinha e minha cunhada lá, não havia muito que nos puxasse a isso fora a curiosidade natural e meu apreço pela alta tecnologia.

De volta aos dias atuais…

Há pouco mais de uma semana um casal de amigos, investidores em consórcios pela Megacombo, me ligam em continuação a uma conversa que havíamos tido 40 dias antes. Perguntavam se estava de pé nossa parceria. Basicamente o que queriam era divulgar meu trabalho sobre os investimentos em consórcios e imóveis, junto com os planos de formação de patrimônio, para os brasileiros que moravam na mesma cidade e trabalhavam na mesma fábrica que eles. Moram no Japão. Foram para lá como muitos, com os planos de trabalhar duro, economizar, comprar a casa própria no Brasil, formar uma boa reserva financeira ou um bom patrimônio para adquirir imóveis de aluguel ou montar seus próprios negócios quando voltassem.

Disse que continuava tudo de pé, que eles poderiam divulgar a vontade meus textos e que se fechasse negócios com os amigos deles atenderia-os individualmente por email ou telefone, analisando cada situação e bolando o plano mais adequado para cada um. Avisei que estava de mudança para os EUA no dia 18 de março deste ano, então as coisas estavam um pouco corridas. Disse mais, que se houvessem vendas suficientes, eu usaria toda a comissão que a Rodobens me paga para ir até o Japão conhecê-los pessoalmente. Isso foi o gancho que faltava. Depois dessa sugestão, disseram que o ideal seria exatamente isso, falar pessoalmente com cada um dos interessados, todos cheios de perguntas e dúvidas, ávidos por conhecer pessoalmente minha história e de como conquistei cada um dos meus objetivos financeiros e de qualidade de vida. Aquilo que escrevi lá atrás sobre ir ao Japão agora estava se tornando real, por motivos totalmente diferentes. Diferente de tudo que planejei, mas ao mesmo tempo de maneira muito mais curiosa e interessante. Já escrevi várias vezes aqui, trabalhar e divulgar este investimento que tanto me ajudou e continua ajudando a formar patrimônio nao é um trabalho para mim, é um prazer. Eu realmente me realizo ajudando as pessoas a realizarem seus sonhos financeiros. Adoro falar desses assuntos e de mostrar como um plano simples pode gerar um resultado surpreendente.

Liguei para outro amigo, agente de viagens. Perguntei quanto custaria uma viagem para o Japão em determinadas datas. Ele me retornou por email alguns minutos depois do telefonema. Não havia me passado o orçamento, enviou diretamente a reserva das passagens. Bastava eu confirmar para efetivar a compra. Falei com o casal que estava no Japão e no mesmo dia confirmamos tudo. Uma semana depois embarcaríamos para o Japão!

Dentro de dois dias, na próxima segunda-feira, minha esposa e eu pegamos o vôo que nos levará para a Terra do Sol Nascente. Um grupo de brasileiros descendentes de japoneses nos aguarda para duas semanas inteiras de bate papo e tira-dúvidas. O casal de amigos que organizou tudo está montando uma agenda com as folgas semanais de cada um, para conseguirmos conversar com o máximo de pessoas possível.

Um pouco sobre japoneses e descendentes de japoneses…

Há muito tempo tenho uma afeição enorme pela cultura japonesa. Não é apenas pela questão da tecnologia, mas também pelos rituais, pela história de força e superação. Fui sócio de vários japoneses no passado não muito distante. Em uma das empresas, era o único brasileiro no meio de seis japoneses sócios e a contadora da empresa também japonesa. Era engraçado quando um se empolgava e no meio de uma explanação “chaveava” a língua para o japonês e no final me olhava com aquela cara de “e aí, o que tu acha, Fabricio?”. E então todos se viravam para mim e abriam um sorriso, a forma contida que eu sabia ser o equivalente a uma enorme risada, quando o falante em questão finalmente se dava conta que na empolgação eu havia ficado sem entender nada do que havia dito 🙂

Tenho uma história legal sobre a colonização japonesa. Não lembro de detalhes exatos, ouvi esta história quando era muito pequeno e ela me marcou, retomando sua força quando passei a investir com os consórcios. Diz mais ou menos o seguinte:

Quando os primeiros descendentes de japoneses vieram para o Brasil, fugindo da guerra, da crise e da falta de perspectivas em sua terra natal, formaram pequenas colônias mais ou menos fechadas, onde preservaram sua cultura e seus rituais, passando os mesmos de pai para filho. Era como se tivessem construído um pequeno Japão em cada uma das cidades em que se estabeleceram. Se integraram com as pessoas destas regiões, mas mantinham seu núcleo coeso, forte, cada família ajudando as outras que viviam próximas.

A maneira que encontraram para sobreviver e prosperar nesta nova terra envolvia os conceitos de comunidade enraizados em sua cultura, mas o mais interessante é a forma como aos poucos, cada família de descendentes japoneses abria seus pequenos negócios, fazendo toda a comunidade crescer e prosperar.

O que faziam era o seguinte: cada família dava uma pequena contribuição mensal para um ancião, normalmente o mais velho ou o mais experiente dos imigrantes que moravam alí. Este, a cada mês, sorteava uma família para receber o conjunto das contribuições de todos os outros para poder, com este dinheiro, iniciar seu próprio negócio. Assim, ao longo do tempo, cada uma das famílias receberia uma pequena bolada de dinheiro e no final das contas todos teriam condições de se estabelecer prosperamente na região.

O que eles faziam é o conceito básico e essencial dos consórcios!!! Muito obrigado, japoneses, pela maior e mais perfeita ferramenta de alavancagem pessoal e patrimonial que existe. Devo a maior parte do que conquistei nesta vida a este sistema fantástico. Muito, muito obrigado!

Futuro…

Esta experiência é única, no sentido de ser a primeira vez que isso acontece. Já fiz coisas parecidas indo até São Paulo, Rio de Janeiro, interior do RS. Já houve pessoas bem mais próximas que tiveram vontade de fazer algo parecido mas não passaram da vontade, nunca realizando efetivamente algum evento, palestra ou encontro. Já conversei sobre os consórcios com brasileiros que moram nos EUA, na Inglaterra, em Barcelona, em Florença… Todas as vezes aproveitando viagens turísticas que havia programado. Ir até o outro lado do planeta, tão longe, é que é a novidade única, principalmente porque desta vez não vou para turismo, eventualmente aproveitando para conversar com uma ou duas pessoas. Desta vez vou especificamente para falar de investimentos!

Por outro lado, esta é uma nova porta que se abre. Tenho certeza de que esta experiência me levará a muitos outros lugares para conversar com muitas outras pessoas. Eu sempre digo que o maior benefício que esta carreira de “orientador para formação de patrimônio” me trouxe, não foi o simples crescimento dos negócios. O maior benefício são as pessoas maravilhosas que tenho oportunidade de conhecer ao longo desta caminhada. Gente simples, sincera, honesta, focada no crescimento pessoal, profissional e financeiro. Gente que busca o melhor para si e para suas famílias. Gente que busca o mesmo que eu, paz, tranquilidade, conforto e um futuro ensolarado.

Por tudo isto só posso terminar este texto de uma maneira:

Obrigado, Luciana e Marco, por cruzarem meus caminhos. Obrigado por terem acreditado em mim e em minha empresa mesmo morando do outro lado do planeta. Sei que o futuro me reservará muitas novas surpresas desse tipo, mas tão longe quanto o outro lado do planeta, só vocês 🙂

Garota eu vou pra Califórnia…

O estado das coisas em fevereiro de 2011

O ano de 2011 começou de maneira alucinante para mim. Há tantas coisas acontecendo ao mesmo tempo, que precisaria de vários posts para contar tudo e refletir mais detalhadamente em relação a cada assunto. Este é o primeiro, outros virão em seguida. Espero que estes textos ajudem ao menos uma pessoa que esteja passando por um furacão parecido.  A propósito, é um furacão de coisas boas!

Bondinho histórico em San Francisco.

Garota eu vou pra Califórnia…

Não vou para viver a vida sobre as ondas, tampouco para ser artista de cinema. Meus objetivos são mais práticos, junto com minha esposa, vamos para aperfeiçoar o inglês falado. Ficaremos pouco menos de seis meses por lá, um tempo razoável para conseguir a fluência na língua quando já se sabe alguma coisa. Ao mesmo tempo é um período relativamente longo, precisando de certas preparações prévias em relação ao que temporariamente deixamos no Brasil. Esta parte do texto pode ajudar quem pretende fazer uma viagem de longa duração e não sabe por onde começar. No mínimo servirá para que você deixe de se dar desculpas para não fazer uma viagem deste tipo.

Como ganhar dinheiro morando fora do país.

Qualquer período em outro país envolve questões práticas de como nos sustentar lá fora. No nosso caso é tudo relativamente simples, já que ao ter conquistado a independência financeira em 2007, poderia viver indefinidamente dos rendimentos das minhas aplicações. Só que isso, na época, era referente a viver um custo de vida relativamente limitado em relação ao que temos hoje. Mais que isso, era algo referente ao custo de vida no Brasil, com contas em reais, não em dólar. Além disso, nossos investimentos imobiliários mais recentes exigem um fluxo mensal de capital bastante elevado, ou seja, continuar com nossos negócios gerando dinheiro é essencial para manter “a máquina rodando”.

Felizmente conseguimos organizar nossas vidas ao longo dos últimos anos, de maneira a conseguir trabalhar independente de nossa localização. Minha esposa é estilista e designer, trabalha como freelance em diversos projetos usando as ferramentas da internet para comunicação e envio dos trabalhos. Eventualmente faz reuniões presenciais ou usa os correios para envio de objetos físicos, mas na maior parte do tempo, uma máquina fotográfica, um scanner e um notebook conectado à internet são o suficiente.

Na Megacombo as coisas são mais simples ainda. Meu trabalho é essencialmente de orientação aos investidores, usando email, skype, MSN e telefone para isto. Na parte prática de geração de contratos e boletos de pagamento, tudo é online. Para os consórcios da Rodobens que vendo, gero os contratos diretamente no sistema web deles, preenchendo os dados dos clientes e enviando arquivos PDF dos contratos. Os clientes simplesmente imprimem estes contratos, assinam e enviam diretamente para a Rodobens, aos cuidados da minha gerente de negócios. Funciona como um reloginho, tendo me permitido ajudar investidores de todo o Brasil e até mesmo muitos brasileiros que moram no exterior. Sobre estes últimos, brasileiros que moram no exterior, tenho novidades impressionantes… Escrevo mais adiante sobre isso…

Atendimento aos clientes brasileiros.

Em relação ao atendimento telefônico, com serviços de VoIP é possível ter um número telefônico nacional que atendo diretamente no meu iPhone, em qualquer lugar do planeta em que eu esteja. Assim, meus clientes no Brasil ligam para um número local, sem custos de ligação internacional. Atualmente, morando em Porto Alegre, tenho apenas um número telefônico local. Ao mudar para os Estados Unidos aproveitarei para também adquirir um número de telefone de São Paulo, onde está a maioria dos meus clientes.

Graças a diferença no fuso horário, o atendimento telefônico ficará bem resolvido. Acordo cedo nos USA e trabalho em casa no período da manhã, sendo o equivalente a atender o turno da tarde no Brasil. Lá, estarei cinco horas a menos do que aqui, então as 8h da manhã, começo a atender os telefones da tarde no Brasil. Claro que isso significa que vocês não devem me ligar pela manhã daqui, mas isso não faria muita diferença, já que morando no Brasil, normalmente marcava minhas reuniões pela manhã, não estando disponível no telefone. Além do mais, muito poucas pessoas me ligam, a maioria prefere relatar suas dúvidas por email, onde dá para explicar em mais detalhes e tudo fica bem documentado.

E como ficam meus investimentos imobiliários no Brasil?

Hoje em dia concentro meus investimentos imobiliários na D&P Investimentos Imobiliários. Esta empresa é gerenciada pelo meu sócio e pela equipe profissional da Steffen & Pozzi S.A., da qual também sou acionista. Isto significa que não preciso estar presente no dia a dia da operação, participando apenas de reuniões periódicas de andamento dos negócios. Explico isso tudo em mais detalhes no site sobre investimentos imobiliários.

A D&P Investimentos Imobiliários também é a empresa onde meus clientes da Megacombo investem seus consórcios contemplados, transformando-os em investimento na construção de imóveis para venda. Isto permite que lucrem tanto com a alavancagem proporcionada pelos consórcios, quanto com os lucros normalmente obtidos na construção de imóveis para venda. Lucros encadeados são uma beleza… Tudo é explicado e organizado usando a internet. No final, os contratos físicos são enviados pelo correio, tudo prático, simples e seguro. Alguns investidores mais curiosos as vezes nos visitam para conhecer os empreendimentos que estamos construindo, então para estes, por alguns meses enquanto eu estiver fora, serão recepcionados pelo meu sócio Gerson Pozzi 🙂

Tenho ainda três apartamentos que adquiri na planta, com perspectiva de lucrar 200% em cada em dois anos. As obras concluem em abril e julho de 2012 e já se passou um ano inteiro desde que adquiri os mesmos. Em princípio poderia ficar com eles para executar o plano original de vender uns meses antes da data de conclusão, mas resolvi vendê-los antecipadamente. Decidi por isso ao planejar os próximos meses depois da aventura californiana. Voltamos no final de agosto, ficamos um mês no Brasil e um prêmio anual da Rodobens nos leva a Cancun e Miami por alguns dias. De lá, estendemos a viagem para NY por mais uma semana e então partimos direto para Paris, onde moraremos os seis meses seguintes. Ou seja, não estaremos no Brasil nos meses que antecedem a conclusão das obras, que é justamente o momento ideal de vender estes apartamentos para os futuros moradores. Três pessoas já estão de olho nos mesmos, um já enviou os documentos para a Goldsztein-Cyrela (a construtora responsável pelas obras) e os outros ainda não. Se você que lê isto estiver interessado, ainda pode dar tempo. Resumindo: lucro de pelo menos 100% em um ano de investimento; investimento de R$ 30.000 a R$ 60.000; estou repassando pelos valores de aquisição em outubro de 2009.

O que vocês vão fazer em Paris? Porque morar lá?

A resposta curta é: porque podemos e porque gostamos de queijos e iogurtes! Quem conhece Paris pode dar milhares de outros motivos. Já escrevi antes que minha esposa é estilista e agora completo que o objetivo central deste ano “meio sabático” é o crescimento pessoal e profissional da minha família. Assim, direcionando os holofotes um pouco para minha esposa, vamos imaginar uma estilista brasileira, eventualmente trabalhando em uma “casa de moda”, fluente em inglês, francês e italiano. Com visto americano para negócios e turismo válido por 10 anos. Com passaporte europeu. Com experiência fora do país. Parece uma profissional diferenciada? Pois é. Este ano é para isso. Quanto a mim, adoro Paris, adoro a cultura que se respira por lá e gostaria muito de aprender francês bem o suficiente para aproveitar melhor alguns locais da Europa.

Como aprender inglês morando nos EUA? Ou, porque vamos para o Silicon Valley?

Um dos segredos que pretendo utilizar para “respirar em inglês” são os meus conhecimentos e experiência em negócios de internet. Apesar de não poder trabalhar oficialmente nos EUA, posso circular livremente como turista e posso participar de encontros e eventos de tecnologia e startups, ajudando, conversando e trocando idéias com programadores e empreendedores locais. Eventualmente posso até me tornar sócio de alguma empresa por lá! O importante é que ao me inserir em um grupo, aumentam minhas interações com a língua, acelerando a fluência. A Iasmine fará o mesmo, já tendo localizado inclusive um museu de moda na cidade onde ficaremos, para atuar como voluntária.

Se fossemos apenas fazer um ano sabático de diversão, Las Vegas seria bem mais interessante!!! Devido a crise americana, os preços por lá são até três vezes menores do que no Silicon Valley. Aluguéis de apartamentos de um dormitório em condomínios de luxo, totalmente mobiliados como casinha de boneca, construção de 2009, piscina olímpica, academia, salão de festas e business center, por menos do que cinco diárias em um hotel da Strip. Ok, divago, mas já pesquisei tudo porque os parentes e amigos que desejam conhecer Las Vegas já estão sendo convidados. Temos alguns amigos que casam este ano e não estaremos presentes. Se forem nos visitar, poderão casar novamente por lá, com um Elvis!

Próximos passos.

Construímos nosso futuro com nossas ações, um dia após o outro. Desta forma, deixo abertas todas as possibilidades. Os planos estão traçados, mas alterações sempre são possíveis ao longo do caminho.

E você, já pensou em morar fora do país durante algum tempo? O que te impede? Deixe suas impressões nos comentários.

Obrigado por confiar no meu trabalho

Acabo de voltar de viagem da Europa com minha esposa. Desta vez, fomos apenas a Paris e Londres, com um dia em Versailles para ver os jardins floridos e a exposição do Takashi Murakami no palácio.

Esta viagem foi especial, os primeiros dias foram pagos pela Rodobens como prêmio aos classificados Diamante no Programa Qualy. Esta é a qualificação máxima. Se a atingi, em grande parte isto se deve a cada um dos amigos e clientes que confiam no meu trabalho. Pessoas que na grande maioria, confiaram em mim sem nunca terem me visto pessoalmente, baseados apenas no pouco que consigo mostrar através dos meus textos e sites.

Há pouco tempo comecei a gravar alguns videos com o objetivo de tentar chegar um pouco mais perto de cada cliente. Espero com isso que aqueles que sentem a necessidade de verem com quem investem seus dinheiros e seus sonhos de vida, possam amenizar um pouco a distância através das ferramentas que a tecnologia nos oferece.

Gravei um breve vídeo de agradecimento aos meus amigos e clientes.

Como estava dizendo antes, hoje o dia é de agradecimento, então, muito obrigado por toda confiança depositada em mim e no plano de investimento em imóveis que desenvolvi. Um plano usado por investidores com muito dinheiro, mas também por jovens que estão apenas no início. Um plano que permite o crescimento contínuo e sustentável. Um plano que beneficia os bons hábitos financeiros.

O futuro pertence àqueles que o buscam com intensidade. Para atingir uma vida financeiramente livre, basta nos atermos a poucos detalhes:

1. Trabalhar para ganhar dinheiro.
2. Viver com menos do que ganhamos.
3. Investir a diferença entre o primeiro e o segundo.

Com meus textos, busco ajudar a facilitar a compreensão de cada um destes pontos, explicando formas de obter mais rendimentos, fazer melhores escolhas para viver melhor gastando de forma mais inteligente financeiramente, e finalmente, orientando em todas as etapas do investimento em busca da formação de um patrimônio sólido e seguro que garanta um futuro livre e tranquilo.

Obrigado por me proporcionar a possibilidade de te ajudar a construir um futuro melhor.

Para quem tem curiosidade em saber como foi o passeio, publiquei algumas fotos em:

Álbum de fotos de Paris e Versailles
Álbum de fotos de Londres

Mais uma vez, muito obrigado.

Em que tipo de imóvel minha empresa de investimento imobiliário costuma investir?

Como a maioria das pessoas que lêem meu site já sabem, sou sócio de uma empresa de investimentos imobiliários. É nesta empresa que invisto minhas cartas de consórcio quando as contemplo, obtendo o maior lucro e a maior segurança possíveis.

Organizamos a empresa para aceitar investimento de outras pessoas. Fazendo isso, capitalizamos nosso conhecimento do mercado e do negócio, ajudamos novos investidores a diminuir seus riscos ao contar com nosso know-how e conseguimos investir em empreendimentos maiores.

A pergunta mais freqüente que costumava receber era a pergunta do título deste post. Espero que com o texto que acabo de publicar no site em que divulgo o investimento em imóveis, diminua a freqüência com que receba este tipo de questionamento. Conheça alguns dos empreendimentos onde estamos investindo.

Que tal a casinha acima em sua carteira de investimentos? Ela faz parte da minha. Invista conosco!