Os 10 mandamentos do design

No início dos anos 80, Dieter Rams se preocupava cada vez mais com o estado do mundo ao seu redor…

t41

No início dos anos 80, Dieter Rams se preocupava cada vez mais com o estado do mundo ao seu redor – “uma confusão impenetrável de formas, cores e ruídos”. Sabendo que ele era um contribuinte signativo para aquele mundo, perguntou a si mesmo uma questão importante: será bom o meu design?

Como o bom design não pode ser medido de forma precisa ele expressou os dez critérios mais importantes para o que ele considerava um bom design. Logo após eles se tornaram conhecidos como “Os dez mandamentos”.


Dieter Rams, designer – Cold War Modern.

Os 10 mandamentos do design, por Dieter Rams

1. O bom design é inovador

Ele não copia as formas de produtos existentes, nem produz qualquer tipo de novidade sem objetivo. A essência da inovação deve ser vista claramente em todas as funções de um produto. As possibilidades a respeito disso nunca são exauridas. O desenvolvimento tecnológico continua oferecendo novas chances para soluções inovadoras.

2. O bom design torna um produto útil

Um produto é comprado para ser usado. Ele deve servir a um propósito definido – tanto nas funções primárias quanto nas secundárias. A tarefa mais importante do design é otimizar a utilidade de um produto.

3. O bom design é estético

A qualidade estética de um produto – e a fascinação que ele inspira – é parte integral de sua utilidade. Sem dúvida é desconfortável e cansativo ter que se contentar com produtos confusos, que lhe irritam, com os quais você não consegue se conectar. Entretanto, sempre foi uma tarefa árdua argumentar sobre qualidade estética, por duas razões.

Primeiro, é difícil falar sobre qualquer coisa visual, já que as palavras têm um sentido diferente para pessoas diferentes.

Segundo, qualidade estética lida com detalhes, tons sutís, harmonia e o equilíbrio de uma completa variedade de elementos visuais. É necessário um bom olho, ensinado pelos anos e anos de experiência, a fim de ser capaz de chegar a conclusão certa.

4. O bom design ajuda um produto a ser entendido

Ele torna clara a estrutura do produto. Melhor ainda, ele pode fazer o produto falar. Na melhor das hipóteses, ele é auto-explicativo e te salva da longa e tediosa consulta ao manual de instruções.

5. O bom design não bloqueia

Produtos que satisfazem esse critério são ferramentas. Não são nem objetos decorativos nem arte. Seu design então deve ser tanto neutro quanto restrito, deixando espaço para a auto-expressão do usuário.

6. O bom design é honesto

Um produto desenhado com honestidade não deve indicar funções que ele não possui – ser mais inovador, mais eficiente, ou ter maior valor. Ele não deve influenciar nem manipular compradores e usuários.

7. O bom design é durável

Ele não é tendência que pode estar fora de moda amanhã. Esta é uma das maiores diferenças entre produtos bem desenhados e objetos triviais para uma sociedade produtora de lixo. O lixo não deve mais ser tolerado.

8. O bom design é pensado nso mínimos detalhes

Pensamento e acuidade no desing são sinônimos com o produto e suas funções, como vistas aos olhos do usuário.

9. O bom design se preocupa com o ambiente

O design deve contribuir para um ambiente estável e um uso consciente dos materiais naturais. Isto significa não apenas a poluição real, mas também a poluição visual e a destruição do nosso ambiente.

10. O bom design é o menos design possível

De volta à pureza, de volta à simplicidade.

Mais um video


Braun T1000, designer Dieter Rams – Cold War Modern.

A seguir, link para o artigo original que traduzi acima: Vitsoe.

Vitsoe é a empresa que fabrica os móveis com design do Dieter Rams. Vale a visita ao artigo original, mesmo se você não sabe inglês, pois o mesmo é amplamente ilustrado com produtos desenhados por ele. Sabendo inglês e gostando de design, tenho certeza que você adorará conhecer o restante.

Chove em Porto Alegre. Que sorte.

Chove hoje em Porto Alegre. Sempre tive duas opiniões sobre dias de chuva. Gostava e não gostava. Hoje gosto. Trabalho em casa desde julho deste ano. Mudei para um novo apartamento, maior e com espaço para fazer um escritório para mim e um para minha esposa. O barulho da chuva ajuda a me concentrar.

Dizem que chover no dia do casamento é sinal de sorte. Eu tive essa sorte há exatamente três anos e cinco meses. E hoje, completando 36 anos de idade, estou tendo novamente essa sorte.

Quando a gente começa a falar de sorte, logo lembra de uma série de frases famosas. Vou ficar só com uma:

Eu acredito demais na sorte. E tenho constatado que, quanto mais duro eu trabalho, mais sorte eu tenho.

Thomas Jefferson

Realismo Positivo

A ano passado e o início deste ano foram duros. Quem estava por perto sabe o que aconteceu. Mas os dias continuam e assim vamos levando. Há coisas que simplesmente temos que aceitar como parte da vida, não há nada que possamos fazer para mudar. Outras, podemos planejar, esperando que os planejamentos dêem certo e descobrindo que quando tudo acontece diferente do planejado, é concretizado de forma ainda melhor do que imaginamos ser possível.

Chamo a isso de realismo positivo. Tem gente que é otimista e gente que é pessimista. Eu costumo dizer que sou realista. Realista positivo.

Sempre que alguma coisa ruim acontece, existe um bom motivo para isso. Nós é que normalmente não temos a visão total para saber qual é esse bom motivo.

Fabricio Stefani Peruzzo

Vou contar uma história: em agosto fui para São Paulo. Pela primeira vez na vida perdi o vôo. Simplesmente não acordei a tempo, o avião saia as 6h20 acordei as 6h28. Quando começo esta história, já tendo falado em sorte, realismo e coisa e tal, TODAS AS PESSOAS pensam que vou continuar dizendo que houve algum problema no vôo, um acidente, qualquer coisa ruim. Então concluo a história dizendo que acordei com mais calma, tomei o café da manhã com a minha esposa, providenciei nova passagem para as 11h50 e fui para São Paulo. Claro, tive o inconveniente de ter que pagar uma passagem extra, o que nunca é bom. Então subo no avião e encontro um amigo que não via há muito tempo. Conversamos, contamos as novidades, falei que vendi minha empresa de internet e que agora estava dedicado a ajudar as pessoas em finanças pessoais e a adquirir imóveis e construir patrimônio. Não bastasse o fato de ter encontrado um amigo que não via há tempo, ainda vendi uma cota de consórcio de imóvel no próprio vôo. A comissão sobre essa venda foi suficiente para bancar o custo da passagem perdida e ainda ganhar um troco. Então, deixa eu repetir:

Sempre que alguma coisa ruim acontece, existe um bom motivo para isso. Nós é que normalmente não temos a visão total para saber qual é esse bom motivo.

Fabricio Stefani Peruzzo

Temos uma visão muito limitada da vida. O fato é que desde que assumi essa atitude realista positiva, tudo de bom tem acontecido na minha vida. Mas não pense que isso é só papo de pensamento positivo e “outras bobagens”, como costumam pensar os que não acreditam nisso.

Pensamento positivo

O grande segredo do pensamento positivo é realmente muito simples. As pessoas que pensam positivo simplesmente costumam persistir mais quando aparece alguma dificuldade. Outra característica dessas pessoas é que elas possuem uma forte preferência por se relacionar com outras pessoas que pensam da mesma forma. Juntando as duas coisas, temos um grupo de pessoas que trabalha mais, de melhor humor, encarando de frente os problemas que aparecem a sua frente. Não tem como essas pessoas não atingirem o sucesso.

Minha mesa nova, com minha “cadeira ortopédica” debaixo dela. Trabalhar com tudo que é necessário ao alcance das mãos é um grande estímulo à produtividade. Normalmente há pilhas de papéis, cadernos e lembretes espalhados sobre a mesa. Mas arrumei tudo para mostrar como sou organizado 🙂

Trabalhe, pense que o melhor vai acontecer. Enquanto não acontecer, volte ao início deste parágrafo.

Tenho muita sorte. Mas trabalho para isso.

Na foto acima, da minha estante nova, tem uns 400 livros. Li quase todos. Metade deles falam de empreendedorismo, independência financeira, investimentos ou são biografias de grandes empreempredores, milionários e bilionários. Não apenas li, mas estudei todos esses livros. A poltrona, comprei há duas semanas. Foi meu presente de aniversário adiantado. Agora meu estudo é mais confortável 🙂

Hoje é meu aniversário, hoje é meu dia de sorte. Chove em Porto Alegre, de volta ao trabalho.

Boa sorte para você também.

Mudanças no Informativo Moeda Corrente

Estamos melhorando o site, obrigado pela compreensão.
Estamos melhorando o site, obrigado pela compreensão.

Como você pode notar, estou mudando o visual do Informativo Moeda Corrente. Nos próximos dias devo completar as alterações, mas não se preocupe, todo o conteúdo do site permanece no ar. Somente o visual está mudando, com um mecanismo novo que permitirá que o site fique muito melhor.

Obrigado pela compreensão.

Descubra sua vocação

No filme “Rocky”, e vocês vão me ver fazendo analogias a este filme outras vezes, há uma cena onde Rocky pergunta ao Mickey, seu treinador, porque ele ficou tão desapontado consigo ao longo dos anos. Rocky diz:

– Sabe, faz seis anos que venho aqui, e há seis anos você fica implicando comigo. Queria saber porquê.

– Você não quer saber isso.

– Sim, eu quero saber o porquê disso.

– Você quer saber?

– EU QUERO SABER PORQUÊ!

– Ok, vou te contar. Porque você tinha o talento para se tornar um grande lutador. E ao invés disso você se tornou um quebrador de pernas para um agiota picareta qualquer!

– É um meio de vida.

– É um DESPERDÍCIO de vida!

Isto não é nenhuma novidade, apenas um caso típico de não seguir sua vocação. A maioria das pessoas está nesta situação, seja por nunca ter encontrado seu chamado em primeira instância, ou porque perdeu o rumo em algum momento. Mas nada é mais importante do que saber com certeza o que você deve fazer com sua vida. Se você descobrir isto corretamente, então quase todas as outras coisas irão naturalmente aos seus lugares.

Quando você perde a maior parte do seu tempo fazendo a coisa errada, você acha a vida muito difícil, porque você está vivendo a vida de outra pessoa ao invés da sua própria. Porque você não deseja realmente fazer as coisas que faz, você tem dificuldade em se sentir motivado, ou até mesmo a acordar de manhã. Tudo que você acaba fazendo exige muito esforço para obter resultados medíocres. Você está sempre doente, cansado, e com medo de que sua situação possa ficar ainda pior. Você sente ter que fazer o que faz, e isso faz você se sentir miserável mesmo quando não está trabalhando.

Por outro lado, se você segue sua vocação, sua vida é maravilhosa. Concluir as tarefas não exige esforço porque você tem entusiasmo sem limites e um incrível talento para o que você faz. Você não tem problemas em começar os trabalhos porque não não há nada diferente que você gostaria de fazer. Você não precisa escolher entre fazer o que ama ou ganhar dinheiro, porque o mundo dá grande valor ao que você faz. A imensa recompensa que você recebe do seu trabalho se espalha por outras áreas de sua vida e para as pessoas ao redor. Todos tentam imaginar qual é a sua e como eles podem também entrar nessa.

Se encontrar sua vocação é tão importante, então porque quase ninguém faz isso?
Muitas pessoas pensam que sua vocação é ditada por sua faculdade. Você escolheu a faculdade que melhor se adaptava às suas habilidades, e agora você já investiu muito tempo e dinheiro estudando estas coisas, então você deve se manter neste rumo, certo?

Ahnn, não. Certamente há alguns elementos de sua faculdade que lhe caem bem, mas isso não significa necessariamente que você deve abraçar o trabalho óbvio que corresponde a sua formação. De toda forma, não é realista esperar que você decida sobre sua vocação antes de se graduar. Você pode escolher uma rota criativa ao caminha comum de seu campo de atuação, ou até mesmo fazer algo completamente diferente. O que você aprendeu na faculdade pode ou não lhe ajudar diretamente, mas de toda forma, não é realmente por isso que você foi a faculdade. Tenho certeza que o Bill Gates não se arrepende de ter mudado de idéia sobre se tornar um advogado, e algumas coisas que ele aprendeu na faculdade sem dúvida alguma o ajudaram na Microsoft.

Um conselho comum é “faça o que você ama”, mas é um conselho completamente inocente. Você não pode simplesmente pegar alguma coisa que ama e assumir que isso irá se tornar uma carreira viável. Não acredito que haja muito mercado para pessoas que apenas queiram fumar maconha e jogar videogame na casa dos pais. Nem isso iria resultar em uma vida completa, mesmo que isso parece tentador quando se é adolescente. Tudo isso é muito óbvio, o que parece ser o motivo das pessoas ignorarem totalmente este conselho.

Muitas pessoas têm medo da mudança. Você se tornou bom no que faz, e se você mudar agora, terá que dar alguns passos para trás. Bom, talvez. Mas continuar caminhando em frente não irá ajudá-lo muito se você está caminhando para o final da prancha. Se você está caminhando na direção errada, é melhor corrigir o curso agora para poder ir a todo vapor para onde você realmente deseja chegar, ao invés de se direcionar sem esperanças de encontro a um iceberg. Mesmo que você escolha a carreira que parece certa para você naquele momento, o mundo irá mudar, e isso irá apresentar novos desafios e oportunidades que farão você querer mudar as coisas. Meu caso, minha faculdade não oferecia graduação em Internet. Nem em blogs. Muito menos em investimento em consórcios.

Para começar a buscar sua vocação, você precisa fazer uma pequena introspecção. Olhar para dentro de sí mesmo é a melhor forma de descobrir o que você deve fazer de sua vida.

No próximo artigo escreverei sobre uma forma alternativa de encontrar sua vocação que não envolve introspecção.

Onze de setembro

A cada ano lembro deste dia fatídico e fico sem palavras. Então faço passar pela minha mente o filme do que foram meus pensamentos naquele momento. Tudo era absurdo demais para ser verdade, não podia estar acontecendo isso no planeta onde vivo. Mas estava. Fiquei em choque e sem ação, acho que pela primeira vez na vida.

Experiência de choque já havia tido quando minha irmã foi atropelada. Mas era pequeno, então a ação realmente não dependia de mim. Mas desta vez, não, desta vez a ação dependia somente de mim, pelo menos no que me dizia respeito, minhas ações na bolsa. Mas o choque não apenas com as milhares de vidas perdidas mas também a forma como isso aconteceu foi realmente grande demais para que eu tivesse tempo para pensar em coisas pequenas como o dinheiro. Então minhas ações ficaram lá paradas, tempo suficiente para meus R$ 15.800 da época se transformarem em apenas R$ 700 (não é erro de digitação, é setecentos mesmo, não sete mil). Um misto de más escolhas com timing errado e o resultado foi essa pequena tragédia financeira. Na época, era tudo o que tinha, então foi bastante duro. Mas tudo se tornava pequeno ante a tragédia do mundo real.

Como toda experiência ruim deve incluir em si algum aprendizado bom, meu tombo nas ações ajudaram a encontrar alternativas menos instáveis para plantar meu patrimônio. Encontrei minha árvore de dinheiro nos investimentos em consórcio, que tantos artigos escrevi aqui no Moeda Corrente. Mas hoje, não é sobre isso que quero escrever. É sobre outra coisa que agora começo a me dar conta, com muito mais abrangência que minhas pequenas descobertas de investimento.

Foi um ano depois da queda das torres gêmeas que eu tive mais forte essa vontade de escrever o que estava aprendendo sobre educação financeira, mais exatamente dois dias antes da queda completar um ano, em 09/09/2002. E boa parte dessa nova vontade de expressão veio justamente por causa da referida queda e de tudo o que ela representou pessoalmente para mim, tanto em termos emocionais quanto na questão financeira.

Então hoje me dou conta que isso não diz respeito apenas a mim, mas ao planeta como um todo. Assim como meu site, muitos blogueiros nasceram naquele dia. As pessoas que estavam distantes precisavam saber mais do que as agências de notícias tinham condições de oferecer. E junto com essa necessidade de saber mais víamos a necessidade que as pessoas próximas ou não ao evento tinham de se expressar. Dava para sentir a velha internet se abrindo para essas pessoas que tanto tinham a dizer. Tenho certeza de que boa parte do que se tornou nossa internet nestes últimos anos se deve em boa parte à reação que tomamos em relação a eventos tão horríveis naquela trágica manhã de setembro.

Não poderia deixar de fazer o link para o post que me inspirou a escrever este, que me fez “click no cérebro” assim que o li. Clique para ler o texto do Tom Watson.

Promoção de Independência

Mensagem rápida para que ninguém perca esta oportunidade.

A Megacombo está realizando este mês a grande promoção de independência. Saiba mais acessando diretamente o site http://www.megacombo.com.br/.

Se você estava pensando em começar a investir utilizando os consórcios, com certeza irá adorar esta promoção.

Novidades quentinhas dos novos planos da Rodobens

Hoje é uma noite muito especial, com novidades realmente interessantes para você que gosta de ver seu dinheiro crescer. Não consegui esperar até amanhã, tenho que escrever hoje mesmo para lhe contar tudo. Acabo de chegar de uma apresentação da Rodobens onde foram lançados dois novos planos de consórcio. O que já era muito bom, agora ficou simplesmente maravilhoso.

Um pouco de história… A pouco mais de um ano a Rodobens criou um grupo chamado FLEX, com prazos de 150 meses e o mesmo valor de prestação para todas elas. Isso permitiu que o valor da prestação fosse equivalente a 0,86% do valor do crédito, permitindo que comprássemos um imóvel com a carta contemplada e que o aluguel desse imóvel pagasse as prestações restantes. Dessa forma, adquirimos um imóvel por apenas uma fração do preço real dele, o valor que pagamos até a contemplação. O restante é pago pelo inquilino.

Novo plano SOB MEDIDA MAX

Com apenas R$ 300,31 mensais já é possível começar a investir em imóveis.

Hoje a Rodobens lançou um plano que mantém os mesmos valores desse plano anterior, mas mudou alguns detalhes que tornam o investimento muito melhor. O novo plano SOB MEDIDA MAX possui a garantia de 5 contemplações mensais no primeiro ano, entregando muito mais imóveis logo no início do plano. Além disso, no novo plano foi criada uma nova modalidade de contemplação, o lance fixo de 20%, que torna muito mais barato o lance necessário para contemplar nesta modalidade.

Se você possui um valor um pouco mais alto para oferecer de lance, você também sai ganhando. Com o novo lance de 20%, muito menos pessoas irão oferecer o lance de 30%, tornando ainda mais fácil a contemplação nesta modalidade.

Finalmente, com a garantia de cinco contemplações todos os meses durante o primeiro ano, os grupos se tornam muito mais dinâmicos, com os apressados contemplando mais cedo e com o valor dos lances diminuindo consideravelmente a partir já do primeiro ano. Excelente para quem pretende adquirir um imóvel mas não tem tanta pressa assim para concretizar a aquisição.

Me ligue (51) 9116-1410 ou me chame pelo skype (fperuzzo), MSN (passport@peruzzo.org) ou gtalk (fperuzzo) se quiser falar pessoalmente. Se preferir o e-mail, basta escrever para fabricio (a) megacombo.com.br que terei o maior prazer em lhe orientar pessoalmente.

Novo plano MAX de 120 meses

Mas até agora só falei de uma das modalidades. Se você prefere a alternativa de investimento que envolve contemplar a carta através do lance fixo para vendê-la com ágio, temos agora um grupo muito mais vantajoso, com planos de 120 meses. Expliquei essa forma de investimento em detalhes no primeiro artigo que escrevi sobre consórcios, publicado em: http://www.fabricioperuzzo.com.br/arquivo/alavancando-o-capital-com-consorcios/

O novo grupo MAX de 120 meses possui a taxa de administração diluída nas primeiras 60 prestações. Isso faz com que essas primeiras prestações sejam um pouco mais caras que as 60 últimas, mas permite que estas últimas sejam consideravelmente mais baratas, pois não possuem taxa de administração alguma. Como essa forma de investimento envolve contemplarmos a carta através do lance fixo e o lance fixo é calculado pelo valor das últimas prestações, o que temos é um valor de lance bem menor, permitindo que ganhemos mais lucro na venda da carta contemplada.

Além disso, o novo plano MAX também possui a mesma garantia do plano SOB MEDIDA MAX, de cinco contemplações mensais nos primeiros 12 meses, possuindo todas as vantagens decorrentes disso e já explicadas anteriormente.

Mais novidades: parcelamento do lance livre!

Em ambos novos planos agora o lance livre pode ser parcelado em quatro vezes sem juros.

E mais! Possibilidade de financiamento do lance!

Nos dois novos planos da Rodobens agora há a possibilidade de buscarmos o financiamento do lance após a 24ª assembléia (plano MAX) ou 30ª assembléia (plano SOB MEDIDA MAX 150).

Essa é a oportunidade que você esperava para fazer seu dinheiro crescer, para adquirir a casa própria, para investir em imóveis. Fique a vontade de me ligar quando quiser para tirar suas dúvidas, será um prazer ajudar a realizar seus sonhos.

Me ligue (51) 9116-1410 ou me chame pelo skype (fperuzzo), MSN (passport@peruzzo.org) ou gtalk (fperuzzo) se quiser falar pessoalmente. Se preferir o e-mail, basta escrever para fabricio (a) megacombo.com.br que terei o maior prazer em lhe orientar pessoalmente.

Um grande abraço, muito sucesso e muito lucro,
Fabricio Stefani Peruzzo

Palestra “Construção de Patrimônio” disponível na internet

Segunda-feira, dia 2 de junho, ministrei uma palestra sobre independência financeira e construção de patrimônio no 60º Encontro do Clube de Empreendedores.

Resolvi disponibilizar os slides da apresentação e também o texto da palestra para quem não pôde estar presente. Nesta palestra você verá:

  • Alguns desafios que temos que superar para alcançar o sucesso financeiro
  • Mitos sobre o processo de enriquecimento
  • Fórmula simples para construir um grande patrimônio mesmo ganhando pouco dinheiro por mês
  • Importância de conhecermos nossas necessidades pessoais e como isso nos ajuda a definir nossas prioridades e manter nosso foco no sucesso financeiro
  • Exemplo prático, passo a passo, de como conseguir alcançar a independência financeira em poucos anos

Veja a palestra hoje mesmo, sem custos, clicando no link a seguir: Palestra Construção de Patrimônio.

Desafio Ações – Maio

Estou lançando um desafio neste mês de maio. O objetivo é todos aprendermos uns com os outros e melhorarmos nossos métodos de seleção de ações.

Por enquanto este é um desafio informal. A premiação será o aprendizado que teremos ao analisar as diferentes idéias e metodologias utilizadas pelos participantes. Quem sabe no futuro não apareça um patrocinador que proporcione alguma premiação ao vencedor do mês?

O desafio

Escolha uma ação que você ache que terá o maior ganho percentual do preço de abertura no dia 2 de maio até o preço de fechamento do dia 30 de maio. No caso de ações duplicadas, quem escolheu a ação primeiro será considerado o vencedor, então é melhor não escolher ações que já foram selecionadas por outros participantes.

Como participar

Use os comentários deste artigo (abaixo) para dizer qual a ação que você escolheu. Se possível, explique os motivos que o levaram a escolher tal ação.

Regras

A empresa deve ter um valor de mercado mínimo de 50 milhões de reais no dia primeiro de maio de 2008.

O preço mínimo da ação deve ser de R$ 5 no dia primeiro de maio de 2008.

Cada participante só pode escolher uma ação.

Somente serão aceitas as ações escolhidas até dia 11 de maio. O vencedor será anunciado depois do dia 31 neste blog.

Prêmios

Por enquanto, apenas a fama de ter sido o melhor e a divulgação no site. No futuro, quem sabe? Um ótimo emprego em uma corretora de valores, talvez?

Minha escolha

LAME4

Resumo do Meu Plano de Investimentos

Os amigos costumam me perguntar sobre meu plano de investimentos, que tipos de coisa eu gosto ou não, como escolho onde investir e os motivos dessas escolhas. Resolvi então escrever um pequeno artigo explicando como essas coisas funcionam na minha cabeça.

Moro em Porto Alegre, RS. Minha vida é tranquila. Gosto de coisas simples. Gosto de estar com minha família, ler um bom livro, escutar uma boa música. Gosto de passear e viajar. Viajo bastante de carro, adoro uma estrada. Quando tinha a Harley fazia diversos passeios mais curtos. De carro posso aumentar um pouco as distâncias. Tenho minhas próprias empresas, logo, trabalho com o que gosto. A Openweb é uma empresa especializada em Servidores Linux e Hospedagem de Sites. A Megacombo é uma representação da Administradora de Consórcios Rodobens. Nas horas livres costumo escrever aqui no Moeda Corrente, tentando ajudar outras pessoas a alcançar a independência financeira.

A Megacombo nasceu a partir dos meus investimentos pessoais em consórcio. Deu tão certo que escrevi um artigo explicando o que fazia na época (e continuo fazendo hoje) e muitos amigos escreveram querendo fazer o mesmo. Com a quantidade de gente que indiquei para a Rodobens me convidaram para ser representante deles. Adorei a idéia, pois sendo representante eu teria acesso a mais informações e com essas, poderia fazer melhores escolhas para meus investimentos.

Meu plano de investimentos é relativamente simples. Acredito que a simplicidade nos leva a boas escolhas. Não acredito em investir em coisas que eu não compreendo. Todo o dinheiro que ganho é alocado seguindo alguns poucos princípios básicos. Quando eu respeito esses princípios as coisas vão bem. Quando extrapolo (não sou perfeito), esses deslizes costumam cobrar seu preço.

O plano visa me dar as coisas que preciso, nesta ordem:

  • Segurança
  • Tranquilidade
  • Conforto
  • Luxo

Segurança

A segurança é essencial e bastante abrangente. Mas o mais importante é estarmos aqui para poder usufruir de todo o resto. Então a primeira coisa que faço é garantir a saúde física e financeira da família. Essa questão foi relativamente simples de resolver e não exigiu nenhum investimento direto até agora pois tanto eu como minha esposa temos a sorte de contar com os planos de saúde de nossos pais. É uma benção poder contar com isso e saber que as coisas estarão sob controle caso apareçam nuvens negras.

Outra coisa que está sempre presente em relação a segurança, são os seguros propriamente ditos. Atualmente não possuo seguro de vida direto. Digo isso porque possuo seguro de vida indiretamente. Meus consórcios possuem um seguro integrado, garantindo a quitação das cartas caso ocorra o pior. Além disso posso contar com os seguros de vida automáticos do cartão de crédito, quando usado para comprar passagens aéreas.

Quando nascerem meus filhos, tenho que reavaliar essa questão toda. O objetivo será desenhar um seguro eficiente que garanta a educação deles até o final da faculdade.

Lembrando que o melhor seguro que existe sempre é aquele que a gente não precisa usar.

Tranquilidade

A tranquilidade pode ser confundida com a segurança, mas são coisas diferentes. A tranquilidade significa não passar por apertos desnecessários. Significa possuir uma reserva financeira suficiente para cobrir alguns meses ou anos de vida, mesmo que deixemos de ganhar dinheiro com nosso trabalho. Alguns se sentem confortáveis tendo o equivalente a três meses de salário na poupança, outros precisam do equivalente a 12 meses para se sentir seguros. Outros precisam de ainda mais. O importante é o auto-conhecimento. É saber das nossas capacidades de gerar renda e quanto tempo levamos para nos levantar no caso de uma queda. Essas quedas podem ser uma demissão para quem é empregado, uma baixa do mercado para quem é autônomo ou uma falência para quem é empresário.

Pessoalmente um número que me agrada é três anos de reserva para manter o padrão de vida atual. Cada um sabe o quanto seu sapato aperta.

Conforto

Conforto implica em coisas que gostamos de ter e que depois de as ter não queremos abrir mão. Pode ser, por exemplo, uma viagem para o Nordeste todo ano, um carro com ar-condicionado… São os aumentos no nosso padrão de vida. É um apartamento maior, é um sofá novo, é uma TV Plasma ou LCD.

O conforto vem depois da tranquilidade na minha cabeça. Então não tem sentido para mim, trocar de carro ou apartamento caso precise utilizar a reserva de tranquilidade descrita acima para isso. E ainda tenho a sorte de ter casado bem, pois minha esposa compartilha comigo dessa idéia.

Ou seja, tendo a segurança e tranquilidade garantidas, o que ganho pode ser dividido para adquirir mais conforto e luxo. Quando então passamos para a última necessidade…

Luxo

O luxo é relativo ao padrão de vida de uma pessoa. Conheço pessoas que ganham dinheiro suficiente para digirir BMW e Harley-Davidson, totalmente quitadas. E conheço pessoas que fazem o mesmo financiando esses sonhos. Para os primeiros isso não é luxo, é conforto. Para os outros é luxo. Não sou contra as pessoas fazerem esforços extras para alcançar seus luxos. Mas não compreendo que as pessoas façam isso antes de garantir o essencial. Mas como eu escrevi antes, esse é apenas o meu pensamento, cada um é livre para ter o seu.

Então passamos ao que interessa:

Plano de Investimento Básico Para Uma Vida Completa

Viver em um padrão compatível com a receita mensal. Isso significa viver com no máximo 70% do que ganhamos. Podemos estar em diferentes momentos da vida, então vou listar algumas das possibilidades:

Sem reserva e com dívidas
Dos 30% que sobram mensalmente (tem que sobrar, se não sobra é porque estamos vivendo acima do padrão que podemos viver), 10% vão para construir o fundo de tranquilidade e os 20% restantes vão para quitar as dívidas. Simples assim.

Com reserva e com dívidas
Todos os 30% são usados para pagar as dívidas. Não se toca na reserva de tranquilidade. E não se faz mais dívidas, obviamente.

Sem reserva e sem dívidas
Usamos os 10% para construir a reserva de tranquilidade e os 20% restantes podem ser usados de duas maneiras: todos 20% investidos em algo que nos permita aumentar o padrão de vida, por exemplo, um curso de especialização ou um consórcio que irá se transformar em um imóvel que gera renda mensal ou então dividir isso de vez em quando e se presentear com algum luxo, usando 10% para isso. Outra coisa que pode ser feita é usar os 20% para acelerar a construção da reserva de tranquilidade. Mas prefiro a primeira alternativa, pois constrói valor de longa duração.

Com reserva e sem dívidas
Essa é a melhor situação. Usamos 10% para coisas que aumentem nosso padrão de vida. Isso não significa usar esse dinheiro para comprar um carro melhor e sim investir em algo que nos permita ganhar mais dinheiro todos os meses. Pode ser um curso, pode ser um fundo de investimentos, pode ser um imóvel. Algumas pessoas podem querer investir em um negócio de tempo parcial. Vale tudo, desde que observemos o objetivo de aumentar a renda.

Os 20% restantes podem então ser usados junto com os 10% anteriores, pode ser usado para aumentar nosso conforto, ou pode nos permitir adquirir algum luxo. O importante é o equilíbrio. De nada adianta juntar dinheiro indefinidamente se não for para usar nas coisas que nos dão prazer.

E finalmente, com o plano básico traçado, explico onde eu invisto, lembrando os percentuais acima são os valores mínimos. Então se alguém consegue viver bem com 50% do que ganha e dividir os 50% restantes nas outras categorias, fique a vontade. O que não funciona é fazer financiamento e se iludir achando que porque consegue pagar as prestações está vivendo de acordo com seu padrão. Use uma parte dos 30% para pagar esses luxos extras. No meu caso, vivo com aproximadamente 50% do que ganho. O resto, divido em aumentar o patrimônio (e consequentemente o fluxo de caixa), melhorar o padrão de vida e dar alguns luxos e presentes para minha esposa e eu.

Os 50% que sobram todo mês e alguns extras que ganho com negócios esporádicos são divididos entre investimentos para aumentar o patrimônio, investimentos para aumentar o fluxo de caixa mensal e luxos e confortos como viagens ou presentes. Da parte que vai para investimentos, quase tudo vai para pagar os consórcios que tenho em andamento. O objetivo disso é construir patrimônio para dar um grande salto no padrão de vida daqui a 10 anos. Poderia viver atualmente nesse padrão de vida melhorado mas se fizesse isso, daqui a 10 anos teria que continuar trabalhando tanto quanto hoje. Meu objetivo é daqui a 10 anos dar o salto no padrão de vida e ao mesmo tempo diminuir drasticamente a necessidade de trabalhar. O pouco que sobra, invisto em renda fixa e um pouquinho menos em ações. Quando a bolsa despencar, aumento a quantia que dedico às ações. O segredo é comprar na baixa e vender na alta.

A medida que as cartas de consórcio forem contemplando, vou adquirindo imóveis para alugar e deixando que os aluguéis paguem as prestações restantes. Com isso posso fazer novas cartas que serão pagas com o valor que antes pagava a carta que agora foi contemplada. Em 12 anos terei, com certeza, todas as cartas atuais já quitadas e transformadas em imóveis. Com a renda que isso irá me gerar, atinjo meu objetivo inicial de poder parar de trabalhar. Como só trabalho com o que gosto, não irei parar totalmente, então estarei ganhando mais do que ganho hoje e trabalhando bem menos.

É simples assim. Sei o que quero, sei o tempo que vai levar e não deixo de viver bem enquanto vou construindo isso tudo. Meu objetivo em descrever isso é ajudar quem lê este artigo a fazer o mesmo. Realmente acredito que os consórcios podem nos ajudar a encurtar o tempo necessário para atingir nossos objetivos. Se quiser seguir este plano, estou a disposição para ajudar. Acesse o site www.megacombo.com.br e entre em contato.