Casa nova, tudo aqui.

Mensagem rápida hoje, só para contar que acabo de transferir todos meus textos e artigos anteriormente publicados no Informativo Moeda Corrente e no meu site pessoal anterior, o Peruzzo.Org, para cá.

http://www.FabricioPeruzzo.com.br/

Vou publicar aqui todos os textos novos, assim como alguns artigos mais antigos que estejam disponíveis somente em outros sites. Aqui será seu one stop shop para tudo relacionado a mim, sejam coisas pessoais ou profissionais, sejam meus interesses particulares, sejam meus negócios. Se escrever algo novo na página das empresas, coloco uma notinha aqui para informar isso.

A melhor forma de garantir receber as novidades é assinando o recebimento por email, no campo apropriado na barra lateral.

As categorias na barra lateral devem lhe ajudar a encontrar a informação que procura, há bastante assuntos que me interessam e gosto de escrever sobre todos eles. Se ainda assim não for o suficiente, há uma caixa de pesquisa para ajudar a localizar algo mais específico. No momento em que escrevo isso, há mais de 400 artigos publicados aqui.

Resumidamente, o que você deve encontrar nos próximos artigos são meus interesses mais recentes.

Tenho coisas novas a falar sobre os consórcios, com plano novo ainda melhor do que já eram os anteriores e mais possibilidades de lucro do que já tínhamos no passado.

Desde 2015 voltei a investir em ações e falo um pouco sobre isso e sobre a formação de um clube de investimento em ações do qual sou cotista gestor.

Este ano voltei a pesquisar mais a fundo a tecnologia de blockchain, que comecei a estudar ainda em 2012 quando morei em São Paulo e fui sócio de um grande empreendedor nesta área (que hoje mora no Silicon Valley, onde é CEO de uma empresa deste setor). Se o nome blockchain não lhe parece muito familiar, estou falando aqui da tecnologia por trás dos Bitcoins. E naturalmente, sobre o investimento em Bitcoins e outras criptomoedas.

Há ainda muitos textos novos sobre finanças pessoais, que estava publicando no site Papai Investidor e que também transferi direto para cá. Ainda sobre isso, estou escrevendo um livro, Cartas de um Papai Milionário, dedicado a minha filha, com tudo que gostaria que ela soubesse sobre dinheiro, investimento e formação de patrimônio. Vou publicando os rascunhos e capítulos aqui, então se você gostar, quando estiver completo poderá comprar para presentear o livro aos amigos que vão se tornar pais, ou aos adolescentes que o cercam, sabendo de antemão a qualidade do conteúdo. Espero que goste.

Era isso por hoje. É um prazer voltar a escrever com regularidade. Espero que neste site, minha casa nova, você passe horas de leitura agradável. No que mais eu puder ajudar, fico a disposição. Em algum canto por aqui tem meus dados de contato, fique a vontade para me chamar.

Você ainda me encontra em outros lugares:

Minha empresa: Megacombo Consórcios

Site explicativo do investimento em consórcios: Investimento em Consórcio.

E como agora é noite aqui, boa noite e sucesso!

Abração.

O bom pastor

O bom pastor é aquele que cuida e orienta sobre o caminho para suas ovelhas conseguirem chegar ao destino desejado. Por melhor que seja o pastor, depende exclusivamente de cada ovelha dar os passos necessários para alcançar o que procuram.

Podemos associar o bom pastor ao seu mentor, àquela pessoa mais experiente, que conhece o caminho a ser trilhado, e lhe orienta sobre os passos necessários para obter o sucesso almejado.

Como reconhecer um bom pastor? Examine seus resultados pessoais. Veja se ele faz por si o mesmo que diz a suas ovelhas para fazer. O bom pastor se encontra nesta posição superior não porque se colocou lá, mas porque suas ovelhas o tem como seu pastor. O bom pastor faz o que sabe fazer, mas também ensina seus liderados a fazer o mesmo.

Cuide para não cair na mão de falsos pastores, aqueles que dizem a suas ovelhas para seguir por um caminho, mas eles próprios fazem diferente.

O bom pastor conhece suas ovelhas, e elas também o conhecem.

Como escolher o melhor seguro para seu carro

Você certamente já ouviu falar que o melhor seguro sempre é aquele que pagamos e não precisamos usar. Isso pode até ser verdade, mas certamente há diversos fatores que devemos levar em conta na escolha de um seguro de veículo. A primeira coisa que a maioria das pessoas busca quando procura um corretor de seguros é o menor preço. Preço sempre é relevante para quem faz um seguro para seu carro pois normalmente a própria compra do carro já tirou uma boa quantia do seu bolso. Esta é a hora de economizar, mas economizar com uma boa contratação, é disto que trata este artigo.

Marca e modelo

Você provavelmente já sabe que a marca e modelo de veículo que você possui é um fator relevante no custo de um seguro. Teoricamente, veículos mais caros deveriam ter um seguro mais caro, mas nem sempre é o que acontece. Isto se deve ao fato de carros diferentes possuírem riscos diferentes. Assim, um carro que seja roubado com maior freqüência em determinada cidade poderá ter um seguro mais caro que um carro mais caro, mas pouco visado pelos assaltantes. Pensando nisto, uma das maneiras de comprar um carro melhor e mais caro pode ser simplesmente escolher um carro com seguro consideravelmente mais baixo do que outro. A diferença em três anos do custo do seguro pode ser suficiente para bancar o upgrade. Como exemplo desta questão, você já tentou fazer seguro de um carro importado que tenha saído de linha? O simples fato de ser difícil de conseguir peças para este tipo de carro é suficiente para aumentar drasticamente os furtos para desmanche e venda das peças, com a maioria das seguradoras simplesmente se recusando ou cobrando muito mais para segurar estes veículos.

Cidade onde você mora

Outro fator importante que deve ser considerado ao fazer um seguro é a cidade em que você mora. Claro que você não pode mentir para a seguradora e dizer que mora em cidade diferente, pois isto pode invalidar seu seguro, mas você pode escolher a seguradora que possui as melhores condições em relação a cidade onde você mora. A matemática por trás disso é que as diferentes seguradoras possuem diferentes tabelas de risco para cada cidade. Assim, uma seguradora pode ter uma má experiência com determinado perfil de veículo e cobrar mais caro pelo seguro deste do que outra, que não tem esta má experiência. A diferença nos valores de uma seguradora para outra pode ser bastante grande, então é importante que seu corretor de seguros apresente pelo menos três orçamentos de seguradoras diferentes.

Proteção contra acidentes e terceiros

Lembre-se da proteção contra acidentes e terceiros. Se você for responsável por algum acidente, é na sua conta que cairá a despesa do carro batido, assim como as eventuais despesas médicas dos acidentados. A proteção contra furto e rouco costuma representar 70% do valor de um seguro, mas tirar a proteção a terceiros não dá um desconto de 30% no seguro, pois as companhias seguradoras possuem estudos que mostram que quem está disposto a abrir mão da cobertura a terceiros é geralmente quem mais está sujeito aos roubos. Além disso, a tranqüilidade em contar com a proteção em caso de acidentes é o que faz o seguro ter este nome. Já pensou quanto estaria envolvido em uma batida em um carro importado? E você pode olhar na rua, no dia a dia das suas andanças, a quantidade de carros importados e caros que há por aí.

Serviços extras

Você pode dispensar os serviços extras que a seguradora costuma oferecer se tiver comprado um carro novo e a fábrica disponha desses serviços. Isto também pode estar incluído nos benefícios de seu cartão de crédito, então pesquise isto antes de ligar para a corretora de seguros. Estou falando aqui de guincho, assistência em caso de panes e outros pequenos problemas que não envolvam batidas ou furtos. A economia tirando estes serviços não costuma ser muito alta, mas porque pagar dobrado se podemos economizar? O desconto pode ficar em torno de R$ 100.

A escolha da melhor corretora

O maior segredo na escolha do seguro adequado ao seu caso é a boa escolha da corretora que irá lhe vender o seguro. Uma boa empresa corretora é importante porque com a maior intimidade com as seguradoras, mais fácil serão os trâmites caso você precise acionar o seguro. Outro fator importante é a variedade de seguradoras com que a empresa corretora de seguros trabalha, justamente pelo que escrevi acima em relação às diferenças de valor entre as corretoras nas diferentes cidades do país.

Como posso lhe ajudar mais

Quem já me conhece e lê o Moeda Corrente há mais tempo sabe que trabalho orientando sobre investimentos imobiliários com a alavancagem dos consórcios da Rodobens. O que você não deve saber é que o Grupo Rodobens possui uma corretora de seguros, uma das maiores do país e que conta com diversas seguradoras conveniadas para lhe proporcionar o melhor seguro específico para o veículo e cidade em que você reside. Caso esteja renovando ou fazendo um novo seguro, entre em contato me enviando seu nome e telefone e solicite uma cotação sem compromisso. Você provavelmente conseguirá um valor melhor e uma cobertura mais completa para seu carro. A Rodobens Corretora de Seguros atua em todo o Brasil.

Abraço,

Fabrício Stefani Peruzzo.
(51) 9116-1410
fabricio@megacombo.com.br
http://www.megacombo.com.br/contato

 

Faça as perguntas certas… Feliz Natal!

Hoje recebi adiantado um dos presentes de Natal que minha esposa preparou de surpresa. Fiz um vídeo mostrando este presente, além de falar sobre a importância de fazermos as perguntas certas, ou como expor nossos problemas de forma que a própria explicação do problema nos leve à resposta. Falo também sobre a “solidão empresarial”, um mal que costuma ser comum em empreendedores que trabalham em casa ou que possuem um negócio muito enxuto, sem precisar de funcionários ou sócios.

Assista o video:

Se não consegue ver aqui, assista diretamente no YouTube clicando aqui.

PS: uma curiosidade para os que gostam de tecnologia. Filmei este vídeo com o iPhone 4 e fiz a edição diretamente no telefone, usando o programa iMovie da Apple. O envio para o YouTube também foi feito pelo próprio aparelho. Mobilidade total.

Circuito Money Sul de Educação Financeira 2010

Estive em Lajeado no dia 29 de abril para a realização da primeira edição do ano do Circuito Money Sul de Educação Financeira. Este ano, evoluindo em relação ao formato do ano anterior, quando ainda se chamava Circuito Universitário Money Sul, o formato foi o de Talk Show, com um mediador apresentando os participantes, suas qualificações e fazendo uma bateria inicial de perguntas.

Depois desta abertura, o espaço foi aberto para o público fazer suas perguntas para cada especialista. Abaixo, uma amostra do salão cheio e uma foto deste que vos escreve 🙂

A próxima edição será no dia 20 de maio, no Instituto Eckart.

Confissões de uma anta

Semana passada a Cora Rónai se confessou uma anta financeira ao “investir” em títulos de capitalização. Sou solidário a ela pois apesar de não cometer os mesmos erros, cometo outros pelos mesmos motivos que a levou a tal erro: confiar nas pessoas e não ler as letrinhas miúdas.

Tenho uma história relacionada ao assunto, contada por um amigo médico psiquiatra que trabalha na fundação dos funcionários de um grande banco nacional. Diz ele que quando um gerente chega até ele, normalmente é por depressão. Qual não foi minha surpresa ao saber os reais motivos disso… Eles sofrem em ter que oferecer aos clientes produtos que sabem ser péssimos para os mesmos. Eles sofrem ao oferecer especificamente os títulos de capitalização, mas não tem o que fazer pois há metas e seus cargos ficam em risco ao não cumpri-las. Uma destas metas é vender no mínimo X títulos de capitalização todos os meses.

Há alguma esperança no horizonte. Gerentes: revoltem-se com esta situação e cuidem de suas saúdes evitando o que lhes causa esta depressão. Não ofereçam títulos de capitalização como investimento.

A Selic não é uma referência para os juros!

Lembro-me de ter escrito um artigo em algum mês do segundo semestre de 2008, falando sobre as taxas de juros de 17% que estavam sendo pagas pelo tesouro direto com vencimento em 2017. Esta queda nos juros estava sendo noticiada pelo Governo e com a crise, abriu às últimas oportunidades para quem ainda tinha algum interesse em manter seus recursos aplicados com uma alta taxa pelos próximos 10 anos.

Infelizmente, para nós que somos poupadores e investidores de longo prazo, uma taxa menor de juros não é a melhor notícia do mundo. Tenho a oportunidade de conversar com muitas pessoas sobre este e outros temas e muitos tem a mesma visão. Esta queda na taxa de juros causará impactos diretos ao governo no que diz respeito a captação de recursos para cobrir o buraco deixado por ele quanto as suas dívidas. A Estratégia do Governo é pagar menos juros para economizar, já que ele é incapaz de minimizar seus gastos. Também não podemos esquecer que estamos próximos da próxima eleição presidencial.

Com uma taxa menor, muitos poupadores/investidores vão buscar outras modalidades de investimento ou transferir uma maior fatia para investimentos em ações, imóveis ou até mesmo para a poupança, que está tornando-se uma melhor alternativa de “investimento”. Grande parte dos fundos de renda fixa são compostos por títulos do governo mas, com a taxa de administração e Imposto de renda sobre esta aplicação, certamente a poupança ganhará da Renda Fixa.

Nunca imaginei que eu estaria fazendo este tipo de comparação!!!

Muitos acham que a queda dos juros é boa e dará mais poder de compra a população, mas o que muitos não sabem ou não querem ver é que esta taxa não é aplicada automaticamente pelo mercado. Os bancos justificam que não podem cobrar uma taxa de juros menor por causa da inadimplência, mas parem e pensem. A inadimplência não é alta exatamente porque eles mantém uma alta taxa de juros?

Por fim, vejo mais um capítulo sendo escrito sem um final feliz.

Os 10 mandamentos do design

No início dos anos 80, Dieter Rams se preocupava cada vez mais com o estado do mundo ao seu redor…

t41

No início dos anos 80, Dieter Rams se preocupava cada vez mais com o estado do mundo ao seu redor – “uma confusão impenetrável de formas, cores e ruídos”. Sabendo que ele era um contribuinte signativo para aquele mundo, perguntou a si mesmo uma questão importante: será bom o meu design?

Como o bom design não pode ser medido de forma precisa ele expressou os dez critérios mais importantes para o que ele considerava um bom design. Logo após eles se tornaram conhecidos como “Os dez mandamentos”.


Dieter Rams, designer – Cold War Modern.

Os 10 mandamentos do design, por Dieter Rams

1. O bom design é inovador

Ele não copia as formas de produtos existentes, nem produz qualquer tipo de novidade sem objetivo. A essência da inovação deve ser vista claramente em todas as funções de um produto. As possibilidades a respeito disso nunca são exauridas. O desenvolvimento tecnológico continua oferecendo novas chances para soluções inovadoras.

2. O bom design torna um produto útil

Um produto é comprado para ser usado. Ele deve servir a um propósito definido – tanto nas funções primárias quanto nas secundárias. A tarefa mais importante do design é otimizar a utilidade de um produto.

3. O bom design é estético

A qualidade estética de um produto – e a fascinação que ele inspira – é parte integral de sua utilidade. Sem dúvida é desconfortável e cansativo ter que se contentar com produtos confusos, que lhe irritam, com os quais você não consegue se conectar. Entretanto, sempre foi uma tarefa árdua argumentar sobre qualidade estética, por duas razões.

Primeiro, é difícil falar sobre qualquer coisa visual, já que as palavras têm um sentido diferente para pessoas diferentes.

Segundo, qualidade estética lida com detalhes, tons sutís, harmonia e o equilíbrio de uma completa variedade de elementos visuais. É necessário um bom olho, ensinado pelos anos e anos de experiência, a fim de ser capaz de chegar a conclusão certa.

4. O bom design ajuda um produto a ser entendido

Ele torna clara a estrutura do produto. Melhor ainda, ele pode fazer o produto falar. Na melhor das hipóteses, ele é auto-explicativo e te salva da longa e tediosa consulta ao manual de instruções.

5. O bom design não bloqueia

Produtos que satisfazem esse critério são ferramentas. Não são nem objetos decorativos nem arte. Seu design então deve ser tanto neutro quanto restrito, deixando espaço para a auto-expressão do usuário.

6. O bom design é honesto

Um produto desenhado com honestidade não deve indicar funções que ele não possui – ser mais inovador, mais eficiente, ou ter maior valor. Ele não deve influenciar nem manipular compradores e usuários.

7. O bom design é durável

Ele não é tendência que pode estar fora de moda amanhã. Esta é uma das maiores diferenças entre produtos bem desenhados e objetos triviais para uma sociedade produtora de lixo. O lixo não deve mais ser tolerado.

8. O bom design é pensado nso mínimos detalhes

Pensamento e acuidade no desing são sinônimos com o produto e suas funções, como vistas aos olhos do usuário.

9. O bom design se preocupa com o ambiente

O design deve contribuir para um ambiente estável e um uso consciente dos materiais naturais. Isto significa não apenas a poluição real, mas também a poluição visual e a destruição do nosso ambiente.

10. O bom design é o menos design possível

De volta à pureza, de volta à simplicidade.

Mais um video


Braun T1000, designer Dieter Rams – Cold War Modern.

A seguir, link para o artigo original que traduzi acima: Vitsoe.

Vitsoe é a empresa que fabrica os móveis com design do Dieter Rams. Vale a visita ao artigo original, mesmo se você não sabe inglês, pois o mesmo é amplamente ilustrado com produtos desenhados por ele. Sabendo inglês e gostando de design, tenho certeza que você adorará conhecer o restante.

Chove em Porto Alegre. Que sorte.

Chove hoje em Porto Alegre. Sempre tive duas opiniões sobre dias de chuva. Gostava e não gostava. Hoje gosto. Trabalho em casa desde julho deste ano. Mudei para um novo apartamento, maior e com espaço para fazer um escritório para mim e um para minha esposa. O barulho da chuva ajuda a me concentrar.

Dizem que chover no dia do casamento é sinal de sorte. Eu tive essa sorte há exatamente três anos e cinco meses. E hoje, completando 36 anos de idade, estou tendo novamente essa sorte.

Quando a gente começa a falar de sorte, logo lembra de uma série de frases famosas. Vou ficar só com uma:

Eu acredito demais na sorte. E tenho constatado que, quanto mais duro eu trabalho, mais sorte eu tenho.

Thomas Jefferson

Realismo Positivo

A ano passado e o início deste ano foram duros. Quem estava por perto sabe o que aconteceu. Mas os dias continuam e assim vamos levando. Há coisas que simplesmente temos que aceitar como parte da vida, não há nada que possamos fazer para mudar. Outras, podemos planejar, esperando que os planejamentos dêem certo e descobrindo que quando tudo acontece diferente do planejado, é concretizado de forma ainda melhor do que imaginamos ser possível.

Chamo a isso de realismo positivo. Tem gente que é otimista e gente que é pessimista. Eu costumo dizer que sou realista. Realista positivo.

Sempre que alguma coisa ruim acontece, existe um bom motivo para isso. Nós é que normalmente não temos a visão total para saber qual é esse bom motivo.

Fabricio Stefani Peruzzo

Vou contar uma história: em agosto fui para São Paulo. Pela primeira vez na vida perdi o vôo. Simplesmente não acordei a tempo, o avião saia as 6h20 acordei as 6h28. Quando começo esta história, já tendo falado em sorte, realismo e coisa e tal, TODAS AS PESSOAS pensam que vou continuar dizendo que houve algum problema no vôo, um acidente, qualquer coisa ruim. Então concluo a história dizendo que acordei com mais calma, tomei o café da manhã com a minha esposa, providenciei nova passagem para as 11h50 e fui para São Paulo. Claro, tive o inconveniente de ter que pagar uma passagem extra, o que nunca é bom. Então subo no avião e encontro um amigo que não via há muito tempo. Conversamos, contamos as novidades, falei que vendi minha empresa de internet e que agora estava dedicado a ajudar as pessoas em finanças pessoais e a adquirir imóveis e construir patrimônio. Não bastasse o fato de ter encontrado um amigo que não via há tempo, ainda vendi uma cota de consórcio de imóvel no próprio vôo. A comissão sobre essa venda foi suficiente para bancar o custo da passagem perdida e ainda ganhar um troco. Então, deixa eu repetir:

Sempre que alguma coisa ruim acontece, existe um bom motivo para isso. Nós é que normalmente não temos a visão total para saber qual é esse bom motivo.

Fabricio Stefani Peruzzo

Temos uma visão muito limitada da vida. O fato é que desde que assumi essa atitude realista positiva, tudo de bom tem acontecido na minha vida. Mas não pense que isso é só papo de pensamento positivo e “outras bobagens”, como costumam pensar os que não acreditam nisso.

Pensamento positivo

O grande segredo do pensamento positivo é realmente muito simples. As pessoas que pensam positivo simplesmente costumam persistir mais quando aparece alguma dificuldade. Outra característica dessas pessoas é que elas possuem uma forte preferência por se relacionar com outras pessoas que pensam da mesma forma. Juntando as duas coisas, temos um grupo de pessoas que trabalha mais, de melhor humor, encarando de frente os problemas que aparecem a sua frente. Não tem como essas pessoas não atingirem o sucesso.

Minha mesa nova, com minha “cadeira ortopédica” debaixo dela. Trabalhar com tudo que é necessário ao alcance das mãos é um grande estímulo à produtividade. Normalmente há pilhas de papéis, cadernos e lembretes espalhados sobre a mesa. Mas arrumei tudo para mostrar como sou organizado 🙂

Trabalhe, pense que o melhor vai acontecer. Enquanto não acontecer, volte ao início deste parágrafo.

Tenho muita sorte. Mas trabalho para isso.

Na foto acima, da minha estante nova, tem uns 400 livros. Li quase todos. Metade deles falam de empreendedorismo, independência financeira, investimentos ou são biografias de grandes empreempredores, milionários e bilionários. Não apenas li, mas estudei todos esses livros. A poltrona, comprei há duas semanas. Foi meu presente de aniversário adiantado. Agora meu estudo é mais confortável 🙂

Hoje é meu aniversário, hoje é meu dia de sorte. Chove em Porto Alegre, de volta ao trabalho.

Boa sorte para você também.