Sobre aquele ataque histérico

Um texto curtinho do Seth Godin escrito hoje mesmo, que eu traduzo aqui para ajudar os que tem dificuldade com a língua inglesa. Para os que não tem esta dificuldade, o texto original pode ser encontrado aqui. Indico ainda a atenção aos outros textos dele, geralmente sensacionais e diretos ao ponto.

E aproveitando a deixa, não é porque eu sou bonzinho e estou ajudando aqui com uma tradução, que você pode se dar ao luxo de não saber inglês. O domínio da língua inglesa é uma das primeiras coisas que você deve possuir se deseja realmente crescer na vida. E se não é isso que você busca, crescimento pessoal, o que está fazendo aqui?

Segue o texto do Seth Godin…

—–

Uma dica para o cliente que acabou de estourar a paciência. Ao noivo que não teve o casamento perfeito, àquele que alugou um carro e teve que esperar 20 minutos para conseguir fazer isso, e ao chefe que está furioso com a entrega que não foi como prometida.

Nós te escutamos. Nós, as pessoas que você quer atingir, e nós o resto das pessoas também, os inocentes que estavam ao redor, os que não tem nada a ver.

Na verdade, te escutamos logo da primeira vez. Desde então, a única informação que está sendo transmitida é sobre você, não sobre as pessoas com quem você está irritado.

Você está demonstrando seu privilégio (porque você tem que ter muitos recursos para poder desperdiçar tanto em uma cruzada emocional improdutiva desta ordem.)

Você está demonstrando seus direitos.

Você está demonstrando uma surpreendente falta de auto-controle. Crianças pequenas tem ataques histéricos. Adultos deveriam resolver problemas.

E você está demonstrando medo, mais que tudo. O medo que alimenta a narrativa de não estar sendo ouvido. O medo de que você não é bom o bastante. O medo de que esta pode ser a última chance de você conseguir fazer tudo exatamente perfeito.

Trabalhar com o mundo exterior é um ato de comunicação e respeito mútuo. Você merece ser ouvido, mas não tem o direito de ter ataques histéricos.

Quite seu financiamento com um consórcio, e economize mais de 50% nos juros que você deixará de pagar

É possível fazer um consórcio para quitar teu financiamento, e isto implica em pagar muito menos juros do que seriam pagos mantendo tal financiamento. É um excelente negócio, é simples de implementar, mas exige certos cuidados na escolha da melhor forma de implementar isso para teu caso específico.

Há duas formas de fazer esta substituição de dívida:

1. Tendo um bom capital para ofertar um lance: se consegues algo entre 30% a 40% do valor do crédito que precisas, podes contemplar uma ou mais cartas de consórcio que componham o valor do financiamento que tens, para quitá-lo. Fazendo isso, ficarás com uma prestação semelhante à que pagas no financiamento, mas em um prazo muito menor, as vezes até mesmo metade ou menos do que o prazo que tens no financiamento atual.

2. Conseguindo pagar simultaneamente o financiamento e o consórcio por um bom tempo: se não tens o capital necessário para um lance de contemplação, podes ir pagando desta forma, “em dobro”, até ser contemplado no consórcio. Pode demorar um pouco, mas por mais que demore, os prazos do consórcio são muito menores do que os de um financiamento com prestação semelhante. Ao ser sorteado, usas o consórcio para quitar o financiamento (e eventuais sobras do crédito para antecipar prestações do consórcio) e ao fazer isso, cortas o financiamento bem antes do prazo total que terias, ficando apenas com um saldo remanescente bem mais curto do consórcio para pagar.

Ambas alternativas tendem a te economizar metade ou mais do que pagarias em juros no financiamento, então vale a pena o estudo da viabilidade delas frente a tua realidade pessoal, visto que em cada uma delas é necessário um esforço extra, seja em possuir a reserva necessária para um lance, seja para conseguir pagar duas prestações simultâneas (financiamento e consórcio) até ser contemplado pelo sorteio.

Me conta um pouco mais sobre tuas possibilidades, que vai ser um prazer ajudar com um plano sob medida para tua situação específica.

Lucrando diariamente com a arbitragem internacional de Bitcoins, através de conta corrente nos USA

Esta semana me dei conta de uma coisa importantíssima.

Com a conta bancária nos USA, nosso custo de envio de capital para as corretoras no exterior cai drasticamente. Basicamente pagamos apenas os 1,10% de IOF no câmbio de reais para dolares.

Juntando isso ao fato de podermos operar a arbitragem em diferentes corretoras e fazer as vendas de maneira a sermos “executados”, e não executores das ordens (importante nas corretoras que diferenciam as taxas disso), é possível lucrar praticamente TODOS OS DIAS!

No momento em que escrevo a coisa está apertada, com o ágio Brasil-exterior em apenas 2,41%. Não sugiro operar em uma situação como esta, apesar de que é uma excelente oportunidade de envio de dinheiro via Bitcoins para o exterior, para quem não tem ainda a conta corrente lá e deseja operar a arbitragem quando o ágio eventualmente aumentar.

Por outro lado, mesmo nestes percentuais, veja como ficaria o cálculo da operação:

Envio de dólares para os USA: IOF de 1,1%

Compra de Bitcoins (Bitstamp): corretagem de 0,25%

Venda de Bitcoins no Brasil: corretagem máxima de 0,3% ao sermos executados, não executores (Mercado Bitcoin, onde o preço está mais alto). Corretagem de 0,25% em algumas corretoras nacionais (como a BitcoinTrade, por exemplo, mas que no momento não compensa, pois o valor do Bitcoin está mais baixo lá).

Custo total: 1,1 + 0,25 + 0,3 = 1,65%

Lucro: 2,41% – 1,65% = 0,76%

Obtemos hoje 0,76% em uma operação que leva no máximo três dias. Em um mês conseguimos fazer pelo menos 10 dessas operações. E mesmo que não conseguíssemos, é mais do que a renda fixa nos paga por mês, em apenas uma operação de dois ou três dias, contando todo o tempo de envio do dinheiro para o exterior e os prazos de compensação bancária.

E estamos com a margem das mais apertadas possíveis. Esta margem costuma ficar sempre mais próximo dos 6%, nos dando então um percentual de 4% de lucro médio por operação, ou mais de 40% ao mês, se levarmos em conta que a cada operação estaremos negociando um valor 4% maior do que na operação anterior. A mágica dos juros compostos.

E temos este resultado mesmo sem que se abra aquela janela enorme de oportunidade que estamos esperando para operar quando usamos o formato de operação sem conta corrente no exterior.

Passei esta semana testando na prática a validade a validade da operação. No início da semana a margem estava em mais de 6,8% de diferença, mas foi caindo até chegar aos 2,41% que está neste momento. Realizei três operações simples de envio para conta corrente no exterior, compra lá fora, envio e venda aqui e novamente repetindo o giro. O resultado foi bastante positivo, as operações funcionaram como um relógio. O único cuidado extra que tive no processo foi o de buscar os pontos de entrada em momentos em que o gráfico de uma hora mostrasse sinais de subida das cotações, pois mesmo as variações diárias poderiam gerar problemas se houvesse uma queda pontual muito rápida.

No curso de arbitragem com Bitcoins que irei ministrar trimestralmente em NY, mostrarei com detalhes o funcionamento desta operação, assim como darei todo o suporte e acompanhamento pessoal para a abertura da conta corrente nos USA, sem a necessidade de endereço de residência lá, nem qualquer outro documento extra além do passaporte, visto de visitante e comprovante de endereço no Brasil.

Arbitragem inversa com Bitcoins

Já escrevi outros artigos aqui explicando sobre a arbitragem com Bitcoins. Sugiro a leitura deles antes desse aqui, caso você não saiba do que se trata. Basta procurar na lista de tópicos ao lado sobre o assunto e ver os artigos relacionados.

Esta semana, porém, me dei conta de algo que não havia pensado antes. Não é que tenha me dado conta, na verdade, é que simplesmente a situação se apresentou, e tendo notado o que estava acontecendo, o cérebro deu um estalo.

A arbitragem com Bitcoins é feita tradicionalmente quando o preço dos Bitcoins no Brasil, devido à alta procura, se torna consideravelmente mais alto do que o preço dos Bitcoins nas corretoras estrangeiras. Então compramos Bitcoins baratos lá fora, e vendemos com lucro no Brasil.

Semana retrasada tivemos uma disparidade inversa. A procura no Brasil se tornou menor do que lá fora em relação à oferta, tornando o preço do Bitcoin aqui mais barato do que lá. E isto permitiu a realização da operação oposta, comprar Bitcoins aqui e vender lá fora com lucro.

Antes de ter tido esta iluminação, havia visto estas oportunidades apenas como janelas em que poderíamos enviar dinheiro para o exterior de forma mais barata do que remessas internacionais tradicionais. Ou como a única maneira de enviar dinheiro para as corretoras no exterior de maneira a poder operar a arbitragem tradicional para quem não tivesse conta corrente no exterior.

Então naquela semana, o que já estava se sofisticando com a viagem que fiz a NY para abertura de conta corrente de maneira a operar com mais eficiência a arbitragem com Bitcoins, se tornou ainda melhor.

Aguarde mais uns dias, que em breve vou publicar um video em que explico todos os detalhes do curso de arbitragem internacional de Bitcoins que devo começar a ministrar com regularidade em NY, incluindo aí todo o suporte e acompanhamento para a abertura de conta corrente no exterior, sem a necessidade de endereço fixo nos USA ou qualquer outra complexidade deste tipo.

Enquanto isso, fique com um pequeno video “teaser” que fiz de brincadeira durante minha viagem, animado que estava com o sucesso da minha missão em NY.

Meu início com o investimento em consórcios imobiliários

O Rafael Jantsch, que me entrevistou recentemente em seu canal do Youtube, tem feito alguns videos citando meus investimentos passados, coisas que ele leu em meus sites, e idéias e técnicas diferentes que eventualmente eu tenha usado em meus investimentos. No video abaixo, ele selecionou um trecho onde conto a história de como conheci os consórcios imobiliários e como obtive meus primeiros lucros com este investimento.

Veja como eu comecei, e se isso te animar, vai ser um prazer ajudar a lucrar também.

Esta é a Rede Rica! Uma curadoria de conteúdo feita para facilitar sua vida ao apresentar os melhores textos e videos para seu desenvolvimento pessoal e financeiro.

Lucro de R$ 154.000 em um ano e meio, com investimento de R$ 37.000. Como???

O Rafael Jantsch, que me entrevistou recentemente em seu canal do Youtube, tem feito alguns videos citando meus investimentos passados, coisas que ele leu em meus sites, e idéias e técnicas diferentes que eventualmente eu tenha usado em meus investimentos. No video abaixo, ele fala de um caso específico que relato neste artigo, de um investimento onde, com R$ 37.000, obtive R$ 154.000 de lucro no final de uma série de negócios encadeados.

O segredo? Consórcio imobiliário, conhecimento financeiro, criatividade e seriedade nas negociações, parceiros sérios, e trabalho duro.

Esta é a Rede Rica! Uma curadoria de conteúdo feita para facilitar sua vida ao apresentar os melhores textos e videos para seu desenvolvimento pessoal e financeiro.

Surfando a onda do Bitcoin com segurança

Hoje pela manhã o Bitcoin bateu nos R$ 66.599, e continua desafiando todos que duvidam de sua capacidade de mudar a forma como lidamos com dinheiro no futuro, mas o objetivo deste texto não é falar dos méritos do Bitcoin, mas sim, explicar como é possível lucrar utilizando os Bitcoins e as características observadas neste mercado, ao mesmo tempo em que nos protegemos das possíveis quedas.

Se o pessoal que acredita que o Bitcoin vai continuar aumentando de valor por muito tempo estiver certo, a estratégia que explico a seguir gerará menos lucros do que simplesmente comprar Bitcoins e aguardar os aumentos de preço. Por outro lado, esta estratégia mantém nosso capital na forma de dinheiro fiat (reais, dólares ou euros) na maior parte do tempo, usando o Bitcoin apenas como transporte momentâneo dos recursos entre as diferentes bolsas de negociação, tanto no Brasil quanto no exterior.

Devido à forma como as pessoas adquirem seus Bitcoins e suas preferências sobre que corretora utilizar e o país em que operam, há distorções de preço entre os mercados. As vezes, convertendo as cotações de dólar e real, a diferença de preço entre comprar o Bitcoin aqui ou no exterior pode passar de 20%. Outras vezes, essa diferença é inexistente, com os valores andando lado a lado.

O título deste artigo me veio à cabeça como uma lembrança dos tempos em que eu surfava. Naquela época, lembro de ficarmos bastante tempo simplesmente sentados na prancha, aguardando a sequencia de ondas que poderia vir em seguida. Da mesma forma é esta operação. Aguardamos pacientemente as condições ideais do mercado para realizar uma operação, surfamos a onda, e então remamos de volta para aguardar a próxima sequencia.

A estratégia é bastante simples. Quando as cotações aqui e no exterior estão parelhas, compramos Bitcoins aqui, mandamos para o exterior, e vendemos lá, mantendo um saldo em dólares, ou seja, livres de qualquer risco de queda da cotação (mas também sem surfar eventuais ondas de valorização do Bitcoin). É a escolha entre o risco e a possibilidade de alta (ou queda).

Quando a diferença entre as cotações no Brasil e no exterior se tornam muito díspares, normalmente com a cotação no Brasil bem maior do que a de fora, compramos Bitcoins lá, utilizando para isso os dólares mantidos em conta na operação anterior, enviamos os Bitcoins para cá e então vendemos nas corretoras locais, mantendo nosso saldo em reais, novamente livre das oscilações de preço dos Bitcoins.

Quando o spread normalizar (a diferença entre lá e aqui), usamos novamente nossos reais para comprar Bitcoins, enviar para as corretoras estrangeiras e mais uma vez converter nosso saldo em dólares.

Os riscos dessa operação são conhecidos, a saber:

1. Risco da contraparte: temos que ter confiança na corretora de Bitcoins que estamos utilizando, visto que nosso dinheiro, apesar de não estar “em Bitcoins”, está na conta de uma empresa nacional ou estrangeira que pode vir a ter problemas. Evitamos os problemas de roubo de chaves de segurança e de quedas de cotação, mas ainda assim, estamos confiando nosso dinheiro a uma empresa na qual não temos total controle. Por outro lado, não é muito diferente de ter nosso dinheiro em um banco. E do ponto de vista técnico, com a quantidade de dinheiro que circula nessas empresas, tenho a impressão de que possuem cabeças pensantes bastante capazes para manter os sistemas em segurança.

2. Risco de cotação: o dólar pode disparar ou despencar em relação ao real. Se disparar quando nosso dinheiro estiver lá fora, ótimo, ganhamos duplamente, mas se despencar, nosso saldo em reais cai proporcionalmente. A questão é que o dólar não costuma disparar “sem avisos”, então é questão de estar atento ao mercado e liquidar as posições antes de maiores fatalidades.

Como sempre, ficam os avisos de praxe: execute estas operações por sua conta e risco, e procure um bom contador para lhe orientar sobre as implicações fiscais para declarar corretamente seu imposto de renda.

Como fazer arbitragem com Bitcoins sem conta bancária no exterior

AVISO: Antes de fazer qualquer das operações descritas neste texto, procure um contador de sua confiança. Há detalhes operacionais importantes a serem tratados para fazer tudo dentro da lei.

Uma das maiores dúvidas de quem deseja fazer arbitragem com Bitcoins, ou seja, de ganhar dinheiro aproveitando as distorções que ocorrem de tempos em tempos entre as cotações dos Bitcoins no Brasil e nas bolsas do exterior, é como operacionalizar estas operações.

Com base na realidade dos últimos meses, você pode esperar lucros de até 18% em cada operação, podendo fazer ao menos meia dúzia de operações ao ano, ou seja, efetivamente dobrando seu capital em apenas um ano.

A forma mais trivial de fazer estas operações é a seguinte:

1. Transfira dólares para sua conta no exterior, fazendo contrato de câmbio com seu banco brasileiro para essa transferência;
2. Transfira o dinheiro de sua conta no exterior, para a conta da exchange estrangeira;
3. Compre Bitcoins na exchange estrangeira;
4. Envie os Bitcoins adquiridos para uma exchange nacional;
5. Venda seus Bitcoins em reais;
6. Apure os lucros transferindo o saldo da exchange brasileira para sua conta corrente. Pague o IR no mês seguinte, caso suas vendas ultrapassem R$ 35.000 no mês.

O problema que acontece com esta operação é que você precisa ter uma conta no exterior, e a maioria das pessoas não deseja ter o trabalho necessário para gerenciar isso (nem os custos envolvidos).

Há uma forma de fazer estas operações de maneira mais simples, sem exigir conta corrente no exterior. Apresenta um pequeno risco operacional extra, mas você estando confortável com este risco, é uma opção bastante válida. O risco que trato aqui é o risco de contraparte, ou seja, o risco de deixar seu dinheiro (em dólares) na conta da exchange estrangeira até que a janela de negociação abra novamente.

O bom desta operação é que ela funciona independente da cotação atual do Bitcoin, ou seja, você não corre o risco de quedas abruptas da cripto-moeda, pois seu dinheiro, enquanto a janela de negociação está fechada, está disponível em dólares.

Como funciona essa operação sem conta bancária no exterior?

Neste momento, a cotação do Bitcoin no Brasil está parecida com a cotação no exterior. Assim, é possível comprar Bitcoins no Brasil e enviar diretamente da exchange brasileira para a exchange no exterior, fazendo a venda dos mesmos lá fora e mantendo o saldo na exchange estrangeira em dólares. Pronto, neste momento você possui não apenas seu capital atual em moeda forte, como não está mais sujeito às quedas eventuais (nem as subidas, infelizmente) do Bitcoin.

Quando o mercado mudar, ou seja, quando eventualmente a procura por Bitcoins no Brasil se tornar novamente maior do que a oferta em relação à procura mundial, e com isso o ágio para compra de Bitcoins no Brasil aumentar muito (para os 20% que historicamente atingem com regularidade), então executamos o segundo passo da operação, comprando Bitcoins com nossos dólares no exterior, transferindo para cá esses Bitcoins e vendendo aqui em reais, concluindo a operação.

Depois disso basta deixar os reais em uma simples aplicação em renda fixa aguardando a próxima janela de ágio baixo ou nulo para nova compra aqui e posterior conversão para dólares, e então começar mais uma vez o ciclo.

Esta é uma operação para aqueles que não acreditam que o Bitcoin possa valorizar significativamente no futuro, ou para os que acreditam que possam haver quedas enormes na cotação, ou ainda para os que simplesmente não sabem o que vai acontecer e não desejam correr os riscos inerentes ao investimento nas cripto-moedas, desejando apenas se posicionar positivamente em operações simples de arbitragem de mercados.

Você pode lucrar com Bitcoins, mesmo sem investir em Bitcoins.

Abraço e bons lucros.

Os ótimos lucros ocorrem à portas fechadas

Todos buscamos o maior lucro possível para nossos investimentos, ao mesmo tempo em que tentamos minimizar ao máximo os riscos de nossas aplicações, mas sabemos também da validade daquele velho ditado: “quem não arrisca, não petisca.”

Como resolver esta equação? Onde estão os maiores lucros? Como minimizar nossos riscos? Como participar dos negócios que possuem potencial de lucrar o dobro ou mais do que investimentos tradicionais, se não para todo nosso dinheiro, ao menos para uma parte que aceita o desaforo do risco?

O primeiro segredo está justamente descrito na frase acima, arriscar apenas uma pequena parte do seu dinheiro, deixando o restante investido de maneira mais conservadora. Um tiro errado não causará grandes problemas, mas basta um tiro certo para multiplicar os lucros de forma significativa.

A segunda parte é descobrir onde estão os bons negócios. E nisto, só há um segredo, andar com as pessoas certas. Não teria sido ótimo participar da criação do Google, da Amazon, da Senior Solution, para pegar uma das nossas? Não seria interessante ter participação naquele terreno com excelente localização antes de uma grande construtura se interessar por ele para seu novo prédio?

Estou escrevendo isso agora, porque ontem uma pessoa me ligou. Um construtor. Constrói pequenos prédios de ótima categoria em bairros caros da cidade. E pensando em ampliar seus empreendimentos e construir prédios maiores, me procurou buscando investidores interessados em participar dos lucros. Não estamos falando de 1% do CDI, nem de 1,5%, mas do dobro ou mais, com prazo de investimento de dois anos. Há riscos? Claro que sim, o mercado imobiliário pode travar ou até despencar, mas e aquela coisa do “quem não arrisca não petisca?” Você está pronto para arriscar?

Só para citar mais de um, além desse empreendimento citado acima, estou envolvido com um grande loteamento no litoral de SC. Oportunidade de compra de terrenos muito abaixo do valor que deveriam ter, por conta de pequenos inconvenientes que minha participação no negócio visa solucionar.

Todos os dias surgem oportunidades desse tipo na minha mesa. Nem todas são interessantes, nem todas cabem nas minhas habilidades, mas com certeza há alguma em que você poderia se encaixar e lucrar. Meu trabalho é estar de olhos e ouvidos atentos. E simplificar, explicar, e orientar.

Se você procura uma boa oportunidade de onde investir, certamente podemos conversar.

A porta está aberta. Seja bem vindo.

Uma estratégia segura para investir em Bitcoins

Esta semana a cotação do Bitcoin ultrapassou a barreira de R$ 58.000. Há menos de três meses estava em aproximadamente de R$ 13.000. Essa valorização fora de série, e a consequente publicidade que a mídia faz do assunto, fazem com que muitas pessoas se sintam atraídas a investir na criptomoeda sem realmente saber o que estão fazendo, correndo riscos altos em muitos dos casos, ao investir valores maiores do que suportam correr o risco de perder, ao achar que as cotações só andam para cima.

Então este texto mostrará uma estratégia que é bastante simples, mas ao mesmo tempo possui uma sofisticação que a torna segura para o longo prazo. Com as cotações do Bitcoin subindo e descendo como uma montanha russa, investir valores pequenos, cuja perda não impacte significativamente nossas finanças, é essencial.

Pense em um valor confortável para investir toda semana. Pense nisso como uma aposta na megasena, ou uma rifa. Quer uma sugestão de valor confortável, que não vai impactar muito suas finanças se o Bitcoin deixar de existir da noite para o dia? Use o valor de um bom almoço ou jantar fora. Nada estravagante, pode ser desde o valor daquele restaurante japonês que você frequenta com regularidade como o valor do rodízio de pizzas que você aprecia. Não estou aqui para julgar suas preferências gastronômicas 🙂

Vá somando estes valores semanais em uma planilha ou pedaço de papel. Compre sempre o mesmo valor e não se preocupe com a cotação do Bitcoin. Não se preocupe, mas verifique a cotação toda semana. O objetivo de saber o valor é simples, e aqui vem o segredo desta estratégia:

Sempre que a soma de todos os valores que você investiu estiver valendo o dobro do investimento original, venda metade dos Bitcoins que você adquiriu. Desta forma, os Bitcoins que permanecem com você ficaram com custo zero! Você realizou o lucro! Coloque estes Bitcoins restantes em uma carteira de longo prazo que você não usará mais no momento. Estes serão os Bitcoins que formarão sua reserva de longo prazo. Se tudo der muito certo e os Bitcoins passarem a valor milhões, você terá seus milhões a custo zero. Se eles deixarem de existir de uma hora para outra, você não perdeu absolutamente nada (fora o tempo usado para executar esta estratégia).

É muito cedo para tentar prever o futuro. Podemos apenas especular os rumos que isto irá seguir. Uma estratégia que aproveite as subidas, mas proteja as quedas é a forma de surfar esta onda sem colocar seu futuro em risco.

Bons lucros para todos nós.