Artigos

O ônibus errado

Acabo de ler, e de traduzir em um caderno, o texto de ontem do Seth Godin.

Segue a tradução abaixo, para quem não tem familiaridade com a língua inglesa.

“Seu primeiro engano foi pegar o ônibus A53, aquele que atravessa a cidade em vez de ir para onde você deseja chegar.

Erros deste tipo acontecem toda hora.

O grande erro, no entanto, o erro que irá lhe custar muito, é permanecer naquele ônibus.

Eu sei que não foi fácil subir neste ônibus. Eu sei que conseguiste um assento. Sei que está escurecendo do lado de fora. Mas você está no ônibus errado, e ficar no ônibus errado não irá transformá-lo no ônibus certo.

Se você realmente deseja chegar onde planejou, você terá que saltar do ônibus errado.”

Obrigado, Seth. Tuas palavras não poderiam chegar em momento mais síncrono.

Imóvel inteligente é aquele que coloca dinheiro no seu bolso

Compre um imóvel em Gramado investindo apenas metade do valor do mesmo, usufrua da melhor cidade turística do Brasil e ganhe dinheiro todos os meses para sua aposentadoria.

Agora em maio conheci um pessoal sensacional que trabalha com locação por temporada. Cuidam de todos os aspectos do negócio, desde a colocação dos anúncios em vários sites deste tipo, como Booking.com e AirBNB, entre outros, até a recepção dos hóspedes e limpeza e manutenção das unidades. Cuidam principalmente da gestão das opiniões dos hóspedes sobre sua experiência com a locação, ponto essencial para um negócio deste tipo.

Estão em Gramado, RS, a cidade mais bem cotada como destino turístico no Brasil. Não há baixa temporada em Gramado, quando as pessoas não vão para ver neve ou para as comemorações de Natal, vão para o Festival de Cinema ou para eventos empresariais que costumam ocorrer na cidade.

Um dos aspectos legais do negócio, além da experiência e da seriedade das pessoas envolvidas, é que a empresa que gerencia tudo isso tem como um dos sócios uma construtora forte da região. E esta construtora constrói, principalmente, prédios já voltados para esta operação, ou seja, com as características necessárias para otimizar e facilitar este tipo de negócio. Isso vai desde a entrada com fechaduras digitais, até detalhes como chuveiros com aquecimento duplo, a gás e elétrico, como redundância caso haja problema com um sistema ou outro.

Fui conhecer o negócio pessoalmente e me hospedei por lá, curtindo toda a experiência. Tenho que repetir novamente isso, pois fui com meus sócios e parceiros comerciais. Da próxima vez repito a experiência com a família, que adora visitar Gramado.

Meu propósito lá era conhecer e entender o negócio para ajudar a formatar uma forma de aquisição das unidades através dos consórcios imobiliários, de maneira a tornar a compra ainda melhor do que seria a simples aquisição das mesmas a vista ou financiadas. Este objetivo foi plenamente alcançado depois de algumas reuniões e simulações, e hoje, com duas unidades já vendidas e testadas através deste método, venho à público explicar como fazer essa compra pagando pouco mais da metade do valor do imóvel, usufruindo do mesmo quando desejado (afinal, ele é seu), e ganhando uma renda extra para aposentadoria com a locação do mesmo quando você não está na cidade, de forma totalmente automática e sem necessidade de sua presença por lá.

O processo é relativamente simples de explicar. Vou fazer duas versões, uma simplificada, em que apenas discorro sobre como tornar isso possível, e uma mais completa, onde explico os detalhes do processo.

Versão simples:

Você compra uma unidade pagando 10% de entrada e em paralelo adquire consórcios que serão contemplados com lances equivalentes a 40% do saldo do imóvel. Você paga uma ou duas prestações iniciais destes consórcios que podem levar o valor inicial total a pouco mais de 50% do valor total do imóvel, e depois disso os rendimentos da locação do mesmo por temporada já pagarão as prestações restantes do consórcio. Depois de quitado o consórcio, é renda líquida, melhor do que CDI em relação ao valor do imóvel, e muito melhor ainda se levado em conta o valor efetivamente pago com recursos próprios.

Versão mais explicadinha:

Os lances em um plano de consórcio costumam ficar acima de 65% do valor do crédito, próximos dos 70%, inclusive. O que fazemos neste caso é buscar grupos que possuem como característica a possibilidade de lance embutido de até 50% do valor do crédito. Nestes grupos, adquirimos cartas que somadas completem o dobro do valor do crédito necessário (o dobro do saldo devedor do imóvel depois de paga a entrada para aquisição do mesmo). Com isso, supondo um lance de 70% do crédito, como embutiremos 50% do próprio crédito, sobrariam 20% a serem pagos com capital próprio. Como esses 20% se referem ao crédito em dobro que adquirimos, na prática temos então o pagamento de 40% do crédito que realmente vamos utilizar na compra do imóvel.

Sim, concordo que o parágrafo acima ficou um pouco complicado de entender, mas foi o melhor que consegui. Vou ver se em breve gravo um video mostrando isso de maneira mais gráfica. No final, basta saber que funciona, já fiz a venda de duas unidades desta maneira, com a contemplação das cotas e tudo mais.

Então concluindo a explicação: pagamos 10% de entrada para a construtora, adquirimos um consórcio no dobro do valor do saldo devedor, pagando uma prestação inicialmente maior por conta disso, ofertamos um lance de aproximadamente 70% deste crédito, 50% do próprio crédito e 20% com recursos próprios, diluindo todo esse valor nas prestações restantes (e assim diminuindo drasticamente o valor mensal destas). O consórcio contemplado então quita o imóvel, restando para nós as prestações do mesmo, que serão, em grande parte no início, e em sua totalidade depois do segundo ano, pagas com os rendimentos mensais da locação por temporada do seu imóvel em Gramado.

Extrapolando para outros negócios…

Claro que esta estratégia pode ser usada para aquisição de qualquer outro imóvel. O que estes oferecem a mais em particular é a questão da gestão das locações por temporada e o fato de já termos a parceria firmada e em andamento com a construtora, o que torna toda a questão contratual mais simples. Agora, se você tem uma construtora e deseja implantar um plano semelhante para venda de seus imóveis, vamos conversar, que vai ser um prazer ajudar nisso.

E se você deseja usufruir da cidade mais charmosa do Brasil, mande uma mensagem, email, sinal de fumaça, que vai ser um prazer ajudar na realização do seu sonho.

Estou aqui pra te ajudar a investir bem, lucrar muito e formar patrimônio sólido ao longo do tempo. Vem comigo.

Um consórcio para o Pato Donald finalmente adquirir sua casa própria

Você se considera um azarado? É uma daquelas pessoas que nunca ganha nada em sorteios? Então hoje tenho um produto feito sob medida para você.

Se você possui o valor mensal para pagar as prestações de um consórcio, deseja adquirir um imóvel com este consórcio, seja para moradia, seja para que o aluguel pague boa parte das prestações restantes, e não possui nenhuma reserva para eventuais lances que pudessem adiantar a contemplação, encontrei o consórcio perfeito para sua situação.

Como são os consórcios “normais”…

Uma das características tradicionais dos consórcios é que temos diversas formas de contemplação. Normalmente todos possuem uma contemplação pelo sorteio, que pode ser através de bolinhas em um globo ou por alguma composição relativa aos números sorteados na loteria federal. Além deste sorteio mensal, a maioria das administradoras possuem o lance livre, onde o consorciado que oferecer o maior valor de lance é o que levará a contemplação naquele mês, antecipando boa parte do pagamento de sua cota de consórcio.

Algumas empresas buscam inovar, e com isso criam o conceito de lance fixo, uma modalidade de lance onde você oferta uma quantidade especifica de prestações como lance, e assim, concorrem apenas com os participantes que ofertam esta mesma quantidade de prestações. É uma maneira mais rápida de ser sorteado, mas ainda assim depende bastante da sorte, pois muitos participantes costumam optar por esta modalidade. E precisa que você possua uma boa quantia para pagar este lance, normalmente na casa dos 30% do valor do crédito.

A questão é que para quem não tem dinheiro para o lance, não havia muita solução a não ser contar com a sorte e tentar ser contemplado mês a mês pelo sorteio. Sorte e apenas isso. Uma vez ao mês.

Nas minhas pesquisas encontrei finalmente um produto bastante diferenciado para quem se encontra nesta situação de poder pagar as prestações, mas não possuir nenhum dinheiro para os lances.

Estou falando do Consórcio Globo. A Globo é uma administradora pequena, de Santa Catarina. Possui poucos grupos de imóveis. É um consórcio que não funciona para o tipo de investimento que indico nos meus artigos tradicionais, mas que para este perfil específico de quem deseja um consórcio para comprar seu próprio imóvel ou um imóvel para locação, sem ter capital para um lance, funciona como uma luva.

A característica específica que torna este consórcio tão especial é a seguinte:

SORTEIOS SEMANAIS!

Veja só, há administradoras que possuem grupos relativamente grandes, e que por esse motivo entregam muitas contemplações mensais. O problema destes grupos é que apenas UMA contemplação é por sorteio, todas as outras, por maior a quantidade, são por alguma forma de lance.

Com o Consórcio Globo, os grupos possuem bastante participantes, permitindo muitas contemplações mensais. O diferencial que eles implementaram é fazer sorteios semanais (pela loteria federal) para apurar as contemplações, de modo que com isso, conseguem entregar QUATRO CONTEMPLAÇÕES POR SORTEIO, POR MÊS.

É o consórcio perfeito para o Pato Donald, aquele azarado que nunca ganha nenhum sorteio. Você tem quatro vezes mais chances de contemplar pelo sorteio do que em qualquer outro consórcio.

Como adquirir: entre em contato e explique que você deseja adquirir o Consórcio Globo. Com isso te encaminho para a aquisição com segurança e agilidade.

“Problemas” do Consórcio Globo:

Coloco assim entre aspas, porque não há problemas reais com o Consórcio Globo, mas para quem já lê meus textos há algum tempo, muitas coisas que explico em outros artigos não funcionam tão bem com estes consórcios.

Por exemplo, por haver poucos grupos, a estratégia de adquirir várias cartas de pequeno valor para otimizar as contemplações, tem um limite prático. Outra questão relevante é o fato de não conseguirmos vender facilmente pacotes de cartas contempladas, pois justamente pelo menor volume e perfil de consorciados mais interessado em adquirir o próprio imóvel, não há tantas cartas disponíveis para compor com uma carta nossa de menor valor para juntar o necessário para uma aquisição.

Do ponto de vista operacional, não há as facilidades de fazer tudo digital que tenho junto à outras administradoras, ou seja, você terá que me enviar seus dados completos, eu providenciarei um contrato para ser impresso, assinado e enviado de volta pelo correio. Há uma parte operacional que em outras administradoras maiores já foram simplificadas com a tecnologia.

Do meu ponto de vista, a forma de pagamento das comissões também é bem pior do que a de outras administradoras, mas realmente, o que importa, é que este é um produto diferenciado e completamente inovador em um mercado onde se tem mais do mesmo nas administradoras maiores. Um produto pensado exclusivamente nas necessidades do consorciado.

Se adquirir um imóvel é o objetivo, e se você só conta com os valores mensais para pagar as prestações, o Consórcio Globo é a melhor opção no momento. Entre em contato, que vai ser um prazer ajudar.

EXCLUSIVO: Curso de arbitragem internacional de Bitcoins em Nova York!

Gravei este video em Nova York, onde estava finalizando os últimos detalhes do curso de arbitragem internacional de Bitcoins que vou ministrar no final de julho em Nova York mesmo.

Além do curso, farei o acompanhamento pessoal para a abertura de conta bancária nos USA, de maneira a poder executar as operações de arbitragem em série, quando a janela de arbitragem Brasil-USA abrir.

Este vai ser um curso diferente, com a aplicação prática e imediata de tudo que vamos ver ao longo de uma semana na cidade. Tu vais ter meu acompanhamento pessoal em cada detalhe. Vai ser uma imersão no assunto, mas também uma imersão na cultura de negócios dos Estados Unidos. A gente não vai só falar sobre os tópicos referentes à arbitragem com os Bitcoins, mas também aplicar tudo isso na prática.

Se tivermos sorte, e a janela de oportunidade se abrir enquanto estivermos aqui, iremos inclusive operar um giro da arbitragem, provavelmente ficando com todos os custos do curso e da viagem pagos antes mesmo de voltarmos ao Brasil.

Deixa eu falar rapidamente sobre o assunto arbitragem e sobre o que o curso vai cobrir.

A arbitragem com Bitcoins consiste basicamente de nos aproveitarmos das distorções de preço que ocorrem de tempos em tempos entre as cotações nas corretoras brasileiras e estrangeiras. Quando esta janela de oportunidade se abre, os preços no Brasil costumam ficar até 20% mais caros do que no exterior, criando a situação perfeita para gente lucrar comprando no exterior e vendendo mais caro no Brasil.

Uma das grandes vantagens da arbitragem internacional com Bitcoins, é que operando desta maneira a gente fica bem menos expostos à altíssima volatilidade dos preços do Bitcoin. Não nos interessa se ele está caro ou barato, só nos interessa a relação entre os valores no Brasil e no exterior, e quando estes valores permitem a operação, a gente simplesmente lucra de forma rápida e saímos o quanto antes do risco da moeda digital. Nós só mantemos os Bitcoins durante o tempo necessário para concluir um giro da operação, e isto significa apenas umas poucas horas.

Temos diversas formas de implementar essa operação, sendo duas as mais tradicionais.

1. A gente pode executar a arbitragem sem possuir conta bancária no exterior;

Ou

2. A gente pode executar a arbitragem utilizando uma conta bancária no exterior, seja nos Estados Unidos, seja em algum país europeu.

No curso, eu poderia ensinar como fazer a operação sem possuir conta no exterior, mas este curso, na verdade, não é para quem quer fazer isso, porque essa operação mais trivial eu já ensino agora mesmo, ela é bem simples: quando a diferença de preço do Bitcoin entre as corretoras no Brasil e no exterior estão parelhos, ou seja, sem nenhum ágio, ou com bem pouco ágio, a gente simplesmente adquire Bitcoins no Brasil, envia para uma corretora no exterior, e vende eles imediatamente, ficando com dólares na conta da corretora estrangeira.

Fazendo assim, a gente não corre mais o risco de ver os Bitcoins despencando de valor e nosso dinheiro ir para o ralo. Claro que com isso a gente também não participa de eventuais subidas rápidas do Bitcoin, mas quem quer fazer arbitragem está buscando uma forma mais segura de lucrar, sem correr os riscos dos altos e baixos violentos pelos quais o Bitcoin passa de uma hora para outra. A arbitragem não é para quem deseja investir em Bitcoins, mas sim para quem deseja executar operações pontuais com menor risco e alta lucratividade.

Depois de ter enviado o dinheiro para corretora fora do Brasil, quando a janela de oportunidade da arbitragem se abre, ou seja, quando o preço do Bitcoin nas corretoras brasileiras se torna bem mais alto do que nas corretoras do exterior, a gente simplesmente faz a operação inversa, compra Bitcoins no exterior com o dinheiro que a gente tinha previamente enviado para a corretora lá fora, envia esses Bitcoins para a corretora no Brasil, vende os Bitcoins pelo valor mais alto e deixa ali em reais, paradinhos na conta, esperando novamente surgir a oportunidade de enviar o dinheiro para o exterior quando essa diferença de preço cair.

Dado o histórico do valor do Bitcoin em relação à estas oportunidades de arbitragem, elas costumam acontecer em períodos entre duas semanas a dois meses. Como em cada operação é possível lucrar até 20% sobre os valores investidos, a gente pode dizer que é relativamente fácil conseguir 100% de retorno em apenas um ano. A gente só precisa deixar o dinheiro lá quietinho, aguardando a oportunidade surgir e executando as operações de tempos em tempos. Se tivermos apenas uma operação a cada dois meses, já está aí nosso dinheiro dobrado depois de um ano.

Claro que não a gente não deve investir todo nosso dinheiro nisso. Tem uma serie de riscos envolvidos, que também vão ser tratados no curso, mas só para adiantar, um deles é o risco de contraparte, que basicamente significa o risco da corretora em que a gente tem nossa conta passar por problemas. Mesmo com nosso dinheiro estando em moeda fiat, reais ou dólares, quem garante nosso investimento é uma empresa que pode passar por dificuldades em qualquer momento.

Outros riscos envolvem questões de tecnologia, acesso aos dados, velocidade e congestionamento da rede de transações de forma a executar as operações de compra e venda em um prazo factível. Enfim, é uma excelente forma de lucrar, mas não dá para ir com muita sede ao pote sem conhecer os riscos que se corre.

Mas voltando ao que interessa, os lucros, vamos passar à segunda maneira de operar as arbitragens, uma forma bem mais lucrativa e rápida, além de muito mais segura, que é a operação através de conta bancária no exterior.

Usando uma conta bancária no exterior a gente pode lucrar muito mais pelo simples motivo de que em cada janela de arbitragem que se abre, a gente pode executar não só uma, mas várias operações de arbitragem em sequência.

Quando a diferença de preço entre as corretoras nacionais e estrangeiras fica alta, a gente envia dinheiro da nossa conta corrente no Brasil para conta corrente no exterior.

De lá, a gente envia o dinheiro para a corretora estrangeira, compramos os Bitcoins, enviamos esses Bitcoins para a corretora no Brasil, vendemos os Bitcoins com lucro, mandamos o dinheiro para nossa conta corrente brasileira e neste momento, se a janela de arbitragem continua aberta, a gente pode repetir a operação quantas vezes for possível.

Nosso lucro, que na operação sem conta corrente no exterior terminaria no primeiro giro, agora pode rodar duas, três, cinco vezes na mesma janela de oportunidade, sendo possível então até dobrar nosso capital em apenas duas semanas.

O melhor de tudo isso, é que nos momentos em que a janela de arbitragem está fechada, ou seja, nos momentos em que não podemos executar as operações, nosso dinheiro não está parado na conta de uma corretora qualquer de Bitcoins, mas sim, está seguro em uma conta bancária que possui todas as garantias e seguranças que o sistema financeiro nos proporciona.

Vamos falar então sobre o curso…

O curso de arbitragem internacional de Bitcoins vai ser um curso de uma semana em Nova York passeando comigo pela cidade. O grupo, que vai ser necessariamente limitado para eu poder dar atenção individual a cada um, vai sair por Nova York conhecendo as cafeterias e locais agradáveis que eu costumo frequentar quando venho à cidade, a gente vai conversar sobre os tópicos necessários à compreensão das operações, dos riscos e das possibilidades de lucro.

Uma parte importante desses passeios é a visita aos bancos que eu indico para abertura de conta corrente, explicando os motivos da escolha de cada banco, indicando o melhor banco de acordo com o perfil de cada um, e principalmente, acompanhando um a um na abertura da sua própria conta bancária durante esta semana do curso.

Como falei antes, o curso é prático, o objetivo é concluir não só aquilo que é necessário para começar a lucrar, mas também, se houver a possibilidade de uma janela de arbitragem estar aberta, já fazermos as operações juntos, e ter o curso e a viagem pagos antes mesmo de voltarmos ao Brasil.

Então eu te pergunto: está pronto para lucrar comigo? Vamos passear em Nova York e ganhar dinheiro juntos?

Me manda um email caso esteja interessado, porque a partir de agora pretendo ministrar este curso com alguma regularidade. Então independente de quando tu estiver assistindo este video, é provável que em até três meses a gente possa ter uma nova turma viajando para lucrar. E se tu tens um grupo de amigos interessados em investir juntos, fala comigo que a gente pode bolar algo ainda mais personalizado, feito sob medida para vocês.

Vai ser um prazer ajudar a fazer o teu dinheiro crescer. Essa é minha missão, vem comigo.

Um grande abraço, direto aqui do frio congelante do inverno de Nova York.

Sobre ETFs de SmallCaps

Hoje li uma sugestão de investimento da Empiricus, basicamente explicando que investir em poucas empresas individuais não captura necessariamente um grande lucro, pois em um mercado que sobe porque um conjunto de ações sobe, não necessariamente aquelas que realmente fazem a diferença no índice são as que possuímos em carteira.

A conclusão então era de que uma estratégia mais simples, e mais efetiva para investir, seria simplesmente comprar ETFs de SmallCaps, empresas pequenas, porém com alto potencial de crescimento, que capturariam melhor a chance de ter entre elas aquelas empresas que realmente moveriam o índice.

A teoria para a escolha de SmallCaps é simples: é mais simples uma empresa avaliada em 100 milhões crescer 20 vezes e se tornar uma empresa de 2 bilhões, do que uma de 100 bilhões crescer essas mesmas 20 vezes, pois neste caso, representaria muitas vezes o mercado total de um país. Ou usando casos reais, é muito mais simples uma Portobello crescer 20 vezes, do que um Itaú fazer o mesmo.

O problema de usar ETFs de SmallCaps para isso é um só: se pensarmos em uma pequena empresa crescendo 10 ou 20 vezes, a ponto de fazer mover um índice de ações, o que acontecerá é que no meio desse caminho de crescimento, a SmallCap deixaria de ser pequena o suficiente para permanecer no índice e por consequência no ETF, saindo do investimento antes de haver capturado todo o lucro no crescimento da mesma.

A conclusão é uma só: podemos fazer o mais simples, obter um bom crescimento e não nos iludirmos em acertar a bunda da mosca para ficar ricos da noite para o dia, ou podemos viver a ilusão de acertar nossas apostas e nos frustrar cada vez que isso não acontece, provavelmente arriscando mais do que devemos e provavelmente perdendo bastante neste caminho.

Pessoalmente acredito que o melhor é simplesmente ir somando valores regularmente em boas empresas, valores obtidos daquela forma tradicional, sabe, trabalhando com foco no que fazemos melhor, de maneira a ganhar mais ao longo do tempo e como consequência nos permitir investir mais. Um passo por dia, deixando o tempo fazer sua mágica em paralelo aos nossos aportes regulares.

Sobre aquele ataque histérico

Um texto curtinho do Seth Godin escrito hoje mesmo, que eu traduzo aqui para ajudar os que tem dificuldade com a língua inglesa. Para os que não tem esta dificuldade, o texto original pode ser encontrado aqui. Indico ainda a atenção aos outros textos dele, geralmente sensacionais e diretos ao ponto.

E aproveitando a deixa, não é porque eu sou bonzinho e estou ajudando aqui com uma tradução, que você pode se dar ao luxo de não saber inglês. O domínio da língua inglesa é uma das primeiras coisas que você deve possuir se deseja realmente crescer na vida. E se não é isso que você busca, crescimento pessoal, o que está fazendo aqui?

Segue o texto do Seth Godin…

—–

Uma dica para o cliente que acabou de estourar a paciência. Ao noivo que não teve o casamento perfeito, àquele que alugou um carro e teve que esperar 20 minutos para conseguir fazer isso, e ao chefe que está furioso com a entrega que não foi como prometida.

Nós te escutamos. Nós, as pessoas que você quer atingir, e nós o resto das pessoas também, os inocentes que estavam ao redor, os que não tem nada a ver.

Na verdade, te escutamos logo da primeira vez. Desde então, a única informação que está sendo transmitida é sobre você, não sobre as pessoas com quem você está irritado.

Você está demonstrando seu privilégio (porque você tem que ter muitos recursos para poder desperdiçar tanto em uma cruzada emocional improdutiva desta ordem.)

Você está demonstrando seus direitos.

Você está demonstrando uma surpreendente falta de auto-controle. Crianças pequenas tem ataques histéricos. Adultos deveriam resolver problemas.

E você está demonstrando medo, mais que tudo. O medo que alimenta a narrativa de não estar sendo ouvido. O medo de que você não é bom o bastante. O medo de que esta pode ser a última chance de você conseguir fazer tudo exatamente perfeito.

Trabalhar com o mundo exterior é um ato de comunicação e respeito mútuo. Você merece ser ouvido, mas não tem o direito de ter ataques histéricos.

Quite seu financiamento com um consórcio, e economize mais de 50% nos juros que você deixará de pagar

É possível fazer um consórcio para quitar teu financiamento, e isto implica em pagar muito menos juros do que seriam pagos mantendo tal financiamento. É um excelente negócio, é simples de implementar, mas exige certos cuidados na escolha da melhor forma de implementar isso para teu caso específico.

Há duas formas de fazer esta substituição de dívida:

1. Tendo um bom capital para ofertar um lance: se consegues algo entre 30% a 40% do valor do crédito que precisas, podes contemplar uma ou mais cartas de consórcio que componham o valor do financiamento que tens, para quitá-lo. Fazendo isso, ficarás com uma prestação semelhante à que pagas no financiamento, mas em um prazo muito menor, as vezes até mesmo metade ou menos do que o prazo que tens no financiamento atual.

2. Conseguindo pagar simultaneamente o financiamento e o consórcio por um bom tempo: se não tens o capital necessário para um lance de contemplação, podes ir pagando desta forma, “em dobro”, até ser contemplado no consórcio. Pode demorar um pouco, mas por mais que demore, os prazos do consórcio são muito menores do que os de um financiamento com prestação semelhante. Ao ser sorteado, usas o consórcio para quitar o financiamento (e eventuais sobras do crédito para antecipar prestações do consórcio) e ao fazer isso, cortas o financiamento bem antes do prazo total que terias, ficando apenas com um saldo remanescente bem mais curto do consórcio para pagar.

Ambas alternativas tendem a te economizar metade ou mais do que pagarias em juros no financiamento, então vale a pena o estudo da viabilidade delas frente a tua realidade pessoal, visto que em cada uma delas é necessário um esforço extra, seja em possuir a reserva necessária para um lance, seja para conseguir pagar duas prestações simultâneas (financiamento e consórcio) até ser contemplado pelo sorteio.

Me conta um pouco mais sobre tuas possibilidades, que vai ser um prazer ajudar com um plano sob medida para tua situação específica.

Lucrando diariamente com a arbitragem internacional de Bitcoins, através de conta corrente nos USA

Esta semana me dei conta de uma coisa importantíssima.

Com a conta bancária nos USA, nosso custo de envio de capital para as corretoras no exterior cai drasticamente. Basicamente pagamos apenas os 1,10% de IOF no câmbio de reais para dolares.

Juntando isso ao fato de podermos operar a arbitragem em diferentes corretoras e fazer as vendas de maneira a sermos “executados”, e não executores das ordens (importante nas corretoras que diferenciam as taxas disso), é possível lucrar praticamente TODOS OS DIAS!

No momento em que escrevo a coisa está apertada, com o ágio Brasil-exterior em apenas 2,41%. Não sugiro operar em uma situação como esta, apesar de que é uma excelente oportunidade de envio de dinheiro via Bitcoins para o exterior, para quem não tem ainda a conta corrente lá e deseja operar a arbitragem quando o ágio eventualmente aumentar.

Por outro lado, mesmo nestes percentuais, veja como ficaria o cálculo da operação:

Envio de dólares para os USA: IOF de 1,1%

Compra de Bitcoins (Bitstamp): corretagem de 0,25%

Venda de Bitcoins no Brasil: corretagem máxima de 0,3% ao sermos executados, não executores (Mercado Bitcoin, onde o preço está mais alto). Corretagem de 0,25% em algumas corretoras nacionais (como a BitcoinTrade, por exemplo, mas que no momento não compensa, pois o valor do Bitcoin está mais baixo lá).

Custo total: 1,1 + 0,25 + 0,3 = 1,65%

Lucro: 2,41% – 1,65% = 0,76%

Obtemos hoje 0,76% em uma operação que leva no máximo três dias. Em um mês conseguimos fazer pelo menos 10 dessas operações. E mesmo que não conseguíssemos, é mais do que a renda fixa nos paga por mês, em apenas uma operação de dois ou três dias, contando todo o tempo de envio do dinheiro para o exterior e os prazos de compensação bancária.

E estamos com a margem das mais apertadas possíveis. Esta margem costuma ficar sempre mais próximo dos 6%, nos dando então um percentual de 4% de lucro médio por operação, ou mais de 40% ao mês, se levarmos em conta que a cada operação estaremos negociando um valor 4% maior do que na operação anterior. A mágica dos juros compostos.

E temos este resultado mesmo sem que se abra aquela janela enorme de oportunidade que estamos esperando para operar quando usamos o formato de operação sem conta corrente no exterior.

Passei esta semana testando na prática a validade a validade da operação. No início da semana a margem estava em mais de 6,8% de diferença, mas foi caindo até chegar aos 2,41% que está neste momento. Realizei três operações simples de envio para conta corrente no exterior, compra lá fora, envio e venda aqui e novamente repetindo o giro. O resultado foi bastante positivo, as operações funcionaram como um relógio. O único cuidado extra que tive no processo foi o de buscar os pontos de entrada em momentos em que o gráfico de uma hora mostrasse sinais de subida das cotações, pois mesmo as variações diárias poderiam gerar problemas se houvesse uma queda pontual muito rápida.

No curso de arbitragem com Bitcoins que irei ministrar trimestralmente em NY, mostrarei com detalhes o funcionamento desta operação, assim como darei todo o suporte e acompanhamento pessoal para a abertura da conta corrente nos USA, sem a necessidade de endereço de residência lá, nem qualquer outro documento extra além do passaporte, visto de visitante e comprovante de endereço no Brasil.

Arbitragem inversa com Bitcoins

Já escrevi outros artigos aqui explicando sobre a arbitragem com Bitcoins. Sugiro a leitura deles antes desse aqui, caso você não saiba do que se trata. Basta procurar na lista de tópicos ao lado sobre o assunto e ver os artigos relacionados.

Esta semana, porém, me dei conta de algo que não havia pensado antes. Não é que tenha me dado conta, na verdade, é que simplesmente a situação se apresentou, e tendo notado o que estava acontecendo, o cérebro deu um estalo.

A arbitragem com Bitcoins é feita tradicionalmente quando o preço dos Bitcoins no Brasil, devido à alta procura, se torna consideravelmente mais alto do que o preço dos Bitcoins nas corretoras estrangeiras. Então compramos Bitcoins baratos lá fora, e vendemos com lucro no Brasil.

Semana retrasada tivemos uma disparidade inversa. A procura no Brasil se tornou menor do que lá fora em relação à oferta, tornando o preço do Bitcoin aqui mais barato do que lá. E isto permitiu a realização da operação oposta, comprar Bitcoins aqui e vender lá fora com lucro.

Antes de ter tido esta iluminação, havia visto estas oportunidades apenas como janelas em que poderíamos enviar dinheiro para o exterior de forma mais barata do que remessas internacionais tradicionais. Ou como a única maneira de enviar dinheiro para as corretoras no exterior de maneira a poder operar a arbitragem tradicional para quem não tivesse conta corrente no exterior.

Então naquela semana, o que já estava se sofisticando com a viagem que fiz a NY para abertura de conta corrente de maneira a operar com mais eficiência a arbitragem com Bitcoins, se tornou ainda melhor.

Aguarde mais uns dias, que em breve vou publicar um video em que explico todos os detalhes do curso de arbitragem internacional de Bitcoins que devo começar a ministrar com regularidade em NY, incluindo aí todo o suporte e acompanhamento para a abertura de conta corrente no exterior, sem a necessidade de endereço fixo nos USA ou qualquer outra complexidade deste tipo.

Enquanto isso, fique com um pequeno video “teaser” que fiz de brincadeira durante minha viagem, animado que estava com o sucesso da minha missão em NY.