Arbitragem com Bitcoins

Esta semana comecei uma nova operação de arbitragem com Bitcoins.

O preço dos Bitcoins no Brasil e no mundo possuem uma diferença de valor. Normalmente este valor é mais alto no Brasil do que no resto do mundo, mas esta diferença é tal, que acaba sendo equivalente aos custos de cambio e envio dos valores para uma corretora no exterior, sendo mais simples comprar os Bitcoins aqui mesmo, em uma das corretoras que atuam no país. Mesmo entre estas corretoras brasileiras, há uma pequena diferença de valor, mas não relevante, e não factível de operar para lucrar, dados os custos de entrada e saída dos valores que estas corretoras cobram nos depósitos e retiradas.

Acontece que existe uma oportunidade. Em determinados momentos, a procura por Bitcoins no Brasil se torna bem maior que a oferta. E nestes momentos há uma clara distorção entre os preços aqui e no exterior. A única maneira de aproveitar estas distorções é estar atento, mas mais que isso, é ter o dinheiro que será usado na compra já disponível na corretora no exterior. Se você deixar para enviar o dinheiro quando detectar a distorção, será tarde, porque normalmente uma transferência internacional ou compra de Bitcoins com cartão de crédito no exterior pode levar até cinco dias para ter o crédito aparecendo na sua conta, quando então já poderá ter passado a oportunidade.

A parte interessante é que devido às características das cripto-moedas e a velocidade de transferência delas, no momento em que compramos Bitcoins no exterior podemos imediatamente transferi-los para nossa conta no Brazil e proceder a venda, ganhando o ágio da diferença entre a compra lá fora e a venda aqui na mesma hora.

Um dos cuidados que precisamos ter nisso é observar também as cotações do dólar, pois altas ou quedas da moeda podem inviabilizar o lucro de uma operação que em princípio seria lucrativa quando olhamos apenas os valores dos Bitcoins.

Identifiquei que podemos lucrar entre 8% a 12% em cada operação, já líquidos das taxas e impostos envolvidos. Como o prazo para cada operação pode ser de até 10 dias entre o envio do dinheiro para compra dos Bitcoins no exterior e a disponibilização dele novamente na conta corrente após a venda dos Bitcoins no Brasil, é possível fazer um giro regular de aproximadamente 30% de lucro a cada mês, quando há condições de mercado adequadas para isso.

Não preciso dizer que há diversos riscos nesta operação, mas deixa eu avisar assim mesmo:

HÁ DIVERSOS RISCOS NESTA OPERAÇÃO. NÃO FAÇA ISSO SE NÃO SOUBER AVALIAR OS RISCOS ENVOLVIDOS. NÃO INVISTA DINHEIRO QUE NÃO POSSA PERDER SEM AFETAR SIGNIFICATIVAMENTE SUAS FINANÇAS.

Não sendo exaustivo, alguns dos riscos são:

  • risco de erros na operação de cambio e envio do dinheiro para o exterior;
  • risco cambial entre o início e fim da operação;
  • risco de extravio/perda dos Bitcoins durante a operação;
  • risco da contraparte em relação às corretoras envolvidas;
  • risco de quedas bruscas na cotação do Bitcoin no meio da operação;
  • riscos de rede que inviabilizem a conclusão da operação em prazo adequado;

EXECUTE ESTAS OPERAÇÕES POR SUA CONTA E RISCO.

Enquanto escrevo estas linhas, a distorção de valor está abaixo de 12%, não dando margem de lucro para concluir uma operação. Há dois dias tal distorção estava em pouco mais de 21%, dando ampla margem de lucro mesmo com todos os custos envolvidos. Como escrevi antes, o importante é estar não apenas atento, mas com o dinheiro preparado lá fora para quando a situação se mostrar vantajosa.

PS: resolvi incluir uma questão extra neste assunto, pois alguns amigos me perguntaram este final de semana se deveriam vender os Bitcoins que já possuem para então enviar o dinheiro para o exterior e recomprar lá, iniciando estas operações. Acho que não é interessante vender seus Bitcoins já em carteira.

O motivo para isso é simples. Se você tivesse vendido seus Bitcoins ontem ou anteontem, com o aumento brutal acontecido nestes dois dias, você teria perdido um lucro muito maior do que o que obteria com a operação de arbitragem. Os dois investimentos são coisas diferentes.

O investimento em Bitcoins visa acumular a moeda de forma a lucrar com a valorização dela no longo prazo, devido a acreditarmos que há uma utilidade real na mesma e que a simples demanda irá fazer o valor apreciar fortemente ao longo dos próximos anos.

Já a operação de arbitragem, é uma operação financeira que visa fazer crescer seus reais em giros mais rápidos. Esta operação independe da cotação do Bitcoin, depende apenas da diferença de cotação no exterior e aqui no Brasil.

Então, como escrevi nos artigos anteriores, sugiro manter 1% a 5% dos seus investimentos em moedas digitais, dependendo do seu conhecimento e crença na utilidade das mesmas para justificar o crescimento fora de série, e investir um valor distinto para o giro com a arbitragem, como em um negócio, ou um investimento mais ativo. A operação de arbitragem não é “investimento em Bitcoins”, mas sim, “uma operação de arbitragem que usa Bitcoins como veículo para tal arbitragem.”

PS2: JÁ ESCREVI QUE HÁ RISCOS? SAIBA O QUE ESTÁ FAZENDO ANTES DE TENTAR ESTAS OPERAÇÕES.

Se você tem interesse em aprender mais sobre este assunto, entre em contato.

12 pensamentos em “Arbitragem com Bitcoins”

  1. Boa noite, muito interessante o seu texto.

    Fiquei com. algumas dúvidas: Essa arbitragem irá fazer com que você movimente dinheiro na sua conta do banco. Isso poderá dar um alerta para o Banco Central, pois vai parecer que você está movimentando muito dinheiro, quando na verdade você só está rodando o mesmo dinheiro. O que fazer com relação a isso ? E sobre o imposto de renda: como declarar ?

    Outra coisa: o envio para o exterior seria feito via ordem de pagamento ?

    Obrigado

    1. Oi Marcus,

      A movimentação com certeza pode “alertar os gansos”. O segredo aqui é documentar tudo e guardar os comprovantes se for chamado na malha fina. Quanto ao imposto de renda, aconselho a falar com um contador para ter a informação de fonte especializada. Pelo que sei no momento, e friso esse “no momento” porque isso pode mudar na hora em que fores declarar, as vendas de determinado bem (e o Bitcoin é hoje considerado um bem, declarado assim no IR) em valor menor que R$ 35.000 dentro de um mesmo mês, não geram cobrança de imposto (mas os lucros devem ser anotados e declarados).

      O envio ao exterior pode ser feito de várias maneiras. Pessoalmente acho que a mais simples é através da abertura de uma conta corrente no exterior. Desta forma, transferes o dinheiro para ti mesmo.

  2. Fabricio, como mitigar os riscos. Como fez sua declaração de ganho de capital para a Receita Federal? e com relação ao Bacen, alguma medida ou declaração?

    1. Oi Leandro,

      O jeito é fazer tudo dentro da lei, guardar todos os comprovantes das operações e revisar todos os cálculos. E claro, consultar um bom contador para ter todas as regras atualizadas. No momento, se mantiveres as vendas abaixo de R$ 35.000 mensais, em princípio não precisas pagar imposto. Mas tens que declarar os ganhos, afinal, de algum lugar esse dinheiro apareceu e aumentou teu patrimônio. É como respondi recentemente a outro comentário aqui sobre o assunto.

      E mais uma vez ressalto a necessidade de cada um procurar um contador para examinar sua situação específica. Não é minha área de atuação, sei até o limite do que preciso, mas não tenho autoridade para orientar terceiros nisso.

  3. Olá Fabrício!
    Muito interessante sua matéria!
    Eu estou estudando esses métodos de arbitragem e estou com dúvida. Você transfere os valores em reais para sua conta no exterior ou primeiramente compra dólares? Você paga os 6% de IR para envio de dólares no exterior, além do IOF?
    Qual a corretora que você usa no exterior para comprar os Bitcoins?

    1. Oi Maurício,

      Para envio de dinheiro para o exterior, tens que contratar uma operação de câmbio junto do teu banco. Para envio entre contas de tua própria titularidade, o IOF é de 0,38%.

      Uma corretora que gosto bastante lá fora é a Bitstamp.

  4. Ola Fabricio, tudo bem?

    Muito obrigado pelas informações. Caso a conta no exterior seja nos EUA, você sabe como funciona o imposto de renda por la?

    Obrigado

    Leonardo

  5. Oi Fabrício,
    andei pesquisando o custo de envio para o exterior entre contas correntes fica na faixa de 3%. Quais são as outras taxas que tornam o investimento inviável em torno de 12% de distorção?

    1. Oi Samir,

      Há as taxas de compra e venda das exchanges, e as taxas para recebimento e retirada dos valores entre os bancos e as exchanges. Os 12% são uma margem de segurança ainda para a questão do câmbio, que dependendo da cotação e das taxas que o banco cobra, pode variar em relação ao percentual de ágio verificado pontualmente.

  6. Muito interessante o seu artigo, Fabrício. Parabéns.
    Minha dúvida é: Como abrir a conta nos Estados Unidos estando aqui no Brasil?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *