A regra número 1

Um grande amigo meu – também leitor da Coleção “Pai Rico” – me contou entusiasmado na semana passada: “Marcelo, você não vai acreditar, expliquei a diferença entre ativo e passivo para dois colegas de trabalho: um vendeu um dos carros no dia seguinte e outro ia repensar com a noiva a compra do apartamento”. Sim, o sujeito tinha dois carros e vendeu um deles no dia seguinte e naquele momento eu decidi: meu próximo texto será sobre a regra número um do “Pai Rico”: a diferença entre um ativo e um passivo.

Robert Kiyosaki, autor do livro “Pai Rico, Pai Pobre”, afirma que se você deseja ser rico, tem que conhecer a diferença entre um ativo e um passivo e comprar ativos. É a regra número um e é também extremamente simples: ativo é algo que põe dinheiro no seu bolso e passivo é algo que tira dinheiro do seu bolso.

O que define um ativo e um passivo não são as palavras, são os números. Uma casa é um ativo ou um passivo? Uma casa põe ou tira dinheiro do seu bolso? Se a casa coloca dinheiro no seu bolso através de, por exemplo, renda de aluguéis, é um ativo. Porém, se a casa tira dinheiro do seu bolso com despesas de manutenção, impostos, etc, a casa é um passivo.

Uma outra questão interessante: o ouro é um ativo ou um passivo? Pai Rico dá a sua opinião no livro Independência Financeira: “o ouro só é um ativo se você o comprar por menos do que o vender”. Se você comprou por $100 e vendeu por $200, o ouro colocou dinheiro no seu bolso nesta operação, é um ativo. “Mas se você comprou por $200 e vendeu por $100, então o ouro foi um passivo”.

Infelizmente, segundo o “Pai Rico”, as pessoas não sabem distinguir um ativo de um passivo. Os ricos adquirem ativos, enquanto que os pobres e a classe média adquirem passivos pensando que são ativos.

Os nossos colegas do primeiro parágrafo decidiram ou vender o segundo carro ou repensar a compra do apartamento porque perceberam que estavam comprando passivos e não ativos. O carro, por exemplo, tira dinheiro do seu bolso de várias formas: IPVA, gasolina, desvalorização, seguro, estacionamento, etc. Enquanto que o mesmo dinheiro aplicado em um ativo, estaria colocando dinheiro no seu bolso. Isto não significa que você não deva comprar um carro ou um apartamento para morar, significa que se o fizer deve estar consciente de que está comprando um passivo.

É simples, comece. Vou relatar uma experiência pessoal: comprei ano passado um daqueles computadores de mão (estilo Palm), raramente eu usava, gastava dinheiro com as pilhas e o aparelho ainda perdia significativo valor diante do surgimento de outros computadores mais modernos no mercado. Depois de entender a diferença entre ativo e passivo, percebi que meu computador de bolso era um passivo para mim. Vendi e hoje fico feliz em ver o dinheiro recebido gerando rendimentos no banco. Comece! Transforme, por menor que ele seja, um passivo em um ativo e, com certeza, você verá o resultado da regra número um.

—–
Marcelo Junqueira Angulo
Marcelo Junqueira Angulo é administrador de empresas pela EAESP-FGV. É fã da série de livros “Pai Rico, Pai Pobre”, e criador do site www.amigorico.org.